3ª Eleições De Israel: Despertar Fatídico Para O Povo De Israel (Times Of Israel)

O The Times de Israel publicou meu novo artigo: “3ª Eleições De Israel: Despertar Fatídico Para O Povo De Israel

Uma terceira rodada de eleições foi anunciada em Israel pela primeira vez na história devido à nossa incapacidade de formar um governo.

O que posso dizer? Tudo o que posso dizer é que precisamos de algo para nos sacudir. Lamento escrever essas palavras, mas dói quando você ama o povo de Israel e o Estado de Israel. Afinal, é a minha casa.

Eu moro nesta terra há décadas e nunca pensei em sair. No entanto, não vejo futuro positivo se continuarmos os negócios como de costume, sem um exame minucioso e decisão de mudar a maneira como lidamos com nossas vidas.

É nosso dever fornecer a todos os cidadãos o método que inicialmente nos conectou como nação e que nos daria um direito inegável de viver nesta terra. Foi quando o Cabalista Rav Baruch Shalom HaLevi Ashlag (Rabash) abriu o primeiro de seus muitos escritos sobre como uma sociedade pode mudar da divisão para a unidade: que nos reunimos aqui para estabelecer uma sociedade a fim de nos elevarmos e nos tornarmos humanos, no sentido mais amplo da palavra (a palavra para “humano” em hebraico, “Adão”, também é a palavra para a alma coletiva que descobrimos quando nos unimos de acordo com as leis integrais da natureza).

Em outras palavras, o objetivo de nos reunirmos em um só lugar não é simplesmente continuar vivendo sem pensar nas correntes da vida aqui em vez de na diáspora, mas compreender o método que recebemos: unir e passar para a humanidade a força que nos une.

A atmosfera divisória de hoje em Israel é um sinal de que seremos incapazes de encontrar a paz mútua se não entendermos e implementamos as leis integrais da natureza. É o que nos unificou em primeiro lugar, ou seja, uma inclinação para nos unirmos acima das divisões da antiga sociedade babilônica da qual emergimos como nação.

É nosso propósito e papel no mundo alcançar tal unidade e, sem avançar nessa direção, nosso desperdício sem propósito, onde cada um de nós se concentra em construir nossas vidas às custas dos outros, traz o oposto: divisão social.

Nossa desunião então recebe uma reação negativa das nações do mundo. Essa reação é conhecida como antissemitismo, e seu despertar generalizado hoje é porque estamos em um estágio de desenvolvimento em que precisamos dar um passo em direção à união como uma nação única, de acordo com o princípio que nos uniu em primeiro lugar: unir (“ame seu amigo como a si mesmo”) acima das divisões (“o amor cobrirá todas as transgressões”) a fim de espalhar essa tendência unificadora ao mundo (de ser “uma luz para as nações”).

De acordo com as leis da natureza – leis integrais de interconexão e interdependência – o povo de Israel tem um papel fundamental: espalhar uma conexão positiva entre a humanidade. Foi-nos dado um método para fazer isso, o mesmo método de conexão com o qual Abraão nos guiou na antiga Babilônia, e que sofreu atualizações ao longo das gerações para nos adequar em nosso tempo.

Essencialmente, é o método de como atualizar a conexão entre nós na mesma extensão e qualidade da conexão da natureza, descobrindo gradualmente a imensa força unificadora da natureza quanto mais nos conectamos.

Além disso, nossa revelação da força unificadora da natureza se espalha entre a consciência coletiva da humanidade, invertendo nossa crescente tendência divisiva atual – onde nos comportamos como células cancerígenas, tomando o máximo possível para nós mesmos às custas da sociedade – a uma tendência unificadora, pacífica e amorosa que beneficia a humanidade.

Eu nunca vou sair de Israel. Permanecerei aqui e farei tudo ao meu alcance para o seu sucesso. No entanto, suas realizações materialistas como nação iniciante não são sinal de sucesso para mim. O sucesso do povo de Israel só pode ser espiritual: que compreendamos que nosso papel é um canal de unidade para o mundo.

Desde que nossos ancestrais alcançaram o sublime estado unificado, sob a orientação de Abraão, há 3.800 anos, nosso papel permaneceu inalterado. Desde então, nos desapegamos dessa consciência, mas, como explicado pelos Cabalistas, chegou o momento em que a necessidade de unidade não está apenas nos pressionando dentro de nossas fronteiras atuais; também é expressa em todo o mundo como uma crescente tendência divisória que destrói cada vez mais as sociedades. Assim, não passa um dia em que eu não possa falar ou escrever sobre esse fenômeno, pois um futuro pacífico ou doloroso depende precisamente da unidade do povo de Israel ou da sua falta.

Depois de esclarecermos e estabelecermos nosso objetivo exaltado, espiritual e eterno para nós mesmos, nossas vidas mudarão em uma direção positiva. A confusão em que nos encontramos hoje não se deve a alguns políticos que falharam em formar um governo, mas nós – todo o povo de Israel – somos responsáveis ​​por isso.

Portanto, devemos levantar a cabeça para fora da água, reconhecer que somos todos uma família, interconectados e interdependentes, e todos devemos resolver o problema juntos. Enquanto isso, não apenas sofremos, o mundo inteiro sofre, pois depende do nosso espírito interior se erguer como um povo unido de Israel.

Eu espero, assim, que comecemos a sentir a grande responsabilidade sobre nós, por nós mesmos e pelo mundo, e comecemos a implementar o método de conexão que temos ao nosso alcance.

Comente