Textos arquivados em ''

Meus Pensamentos No Twitter 31/12/19

Dr Michael Laitman Twitter

Meu novo #livro foi lançado:

A Escolha Judaica: Unidade ou Antissemitismo.

Você aprenderá sobre:
– Elo direto entre o #antissemitismo e a unidade da nação, documentado por séculos
– Como judeus e gentios se beneficiariam se o ódio pelos #judeus fosse eliminado

Do Twitter, 31/12/19

Nova York É A Nova Capital Do Antissemitismo?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 31/12/19

A unidade do povo judeu visa trazer prosperidade e bem-estar espiritual não apenas aos judeus, mas à humanidade. O papel do povo judeu é ser uma “luz para as nações”, fornecendo a todas as pessoas neste planeta um método para alcançar a unidade e a manifestação de um exemplo positivo e unificador.

Os antissemitas abrigam uma inimizade irracional inexplicável em relação aos judeus. De acordo com a sabedoria da Cabalá, essa sensação negativa é, inerentemente, um desejo de unidade entre os judeus, que preencherá todos os espaços cinzentos da vida com luz e vitalidade.

Leia meu artigo completo

A Startup Ideal De Israel: Método Correto Para O Desenvolvimento Humano

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 30/12/19

O Que As Pessoas Esperam Dos Judeus?

Ao longo da história, os judeus tiveram um sucesso desproporcional na economia, política e cultura. No entanto, quanto mais eles obtêm sucesso, mais o antissemitismo aumenta. É porque existe uma expectativa inconsciente dos judeus de fornecer algo significativo que o povo judeu aparentemente deve ao mundo.

Qual é a expectativa inconsciente do povo judeu?

Os judeus têm uma capacidade inata, da qual eles próprios desconhecem, de proporcionar a cada pessoa perfeição, harmonia e felicidade. Isso é feito através de um método de correção e desenvolvimento humano, de acordo com as leis fundamentais da natureza: uma estratégia que nos ensina a superar um esforço humano pela autorrealização às custas dos outros, conectando-nos positivamente acima de nossa rejeição primordial.

Os judeus receberam esse método de Abraão na antiga Babilônia. Ele se perdeu nos exílios. Portanto, hoje, quando vemos o mundo sofrendo, os judeus precisam restabelecer esse método entre si, testando-o como se fosse um laboratório e depois compartilhando-o com o público.

Como o povo judeu pode perceber a oportunidade que lhes dará um lucro tremendo e se tornará um valor indispensável para o mundo inteiro?

Os Cabalistas explicam esse processo e o método de conexão, por um lado, e por outro lado, há uma pressão crescente sobre os judeus das nações do mundo através do crescente sentimento antissemita, crimes e ameaças. Mais cedo ou mais tarde, o povo judeu terá que desenvolver sua capacidade inata de se conectar acima das diferenças, possibilitando à humanidade essa habilidade especial. A única questão é quando eles perceberão isso e a que sofrimentos e golpes o antissemitismo crescente levará? Quando aprendermos como podemos nos complementar mutuamente, ao fazer isso, veremos nosso futuro positivo.

O Que É O Ego?

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 30/12/19

A natureza humana é o desejo de desfrutar, e o ego é a intenção de desfrutar às custas dos outros.

Leia meu artigo completo

Eleve-Se Acima Dos Desejos, Prefira O Avanço Espiritual

laitman_962.6Um desejo interior de conhecimento, de progresso e de desenvolvimento científico é inerente à humanidade. No entanto, devemos chegar a uma conclusão clara de que apenas a equivalência de forma com a força superior nos dará satisfação digna de um humano. Tudo o resto é apenas uma Klipa, que não devemos tocar.

Parece-nos que, com a ajuda do conhecimento externo, conseguiremos algo, mas em breve chegaremos a uma crise na ciência. Tudo o que foi desenvolvido pela humanidade, exceto a alma, é obra de ídolos, que não traz nenhum benefício; pelo contrário, leva-nos na direção oposta. No final, isso nos faz arrepender e levantar as mãos. 1

No mundo corporal, um herói é quem quer triunfar sobre os outros com seu egoísmo. No mundo espiritual, um herói é quem supera seu próprio egoísmo. 2

A inveja é a força mais poderosa. Não suporto que outra pessoa tenha o que eu deveria ter. Esse sentimento é tão forte porque vem da influência da luz de cima que me permite sentir a outra pessoa como eu. Portanto, eu a invejo porque todas as suas realizações, comparadas com o que vejo em mim, parecem multiplicar-se muitas vezes, de acordo com a distância entre nós. 3

A inveja decorre do fato de que viemos da alma única de Adam HaRishon; portanto, podemos nos sentir, ver o que um amigo tem. O egoísmo se multiplica muitas vezes pelo que vejo em um amigo, de modo que até a coisa mais insignificante nas mãos dos outros me parece muito valiosa e eu quero tê-la. Parece-me que me falta exatamente o que ele tem e, se eu conseguir, ficarei completamente satisfeito. Isso vem do sistema de Adam HaRishon. 4

Se sinto inveja, um certo desejo, significa que tenho que trabalhar com ele. Não somos responsáveis ​​por nosso desejo e seu caráter – o desejo aparece e desaparece e volta novamente. Na sabedoria da Cabalá, não estamos em guerra com nenhum desejo, mas simplesmente nos tornamos mais integrados ao ambiente correto, onde obtemos a direção e a força certas.

Uma pessoa não tem chance de derrotar seu desejo em uma batalha frontal cara a cara e não há razão para tentar. Eu devo considerar todos os desejos enviados a mim para crescer por causa deles. Se eu destruir um desejo, não posso crescer. Devo me elevar acima do desejo e preferir o avanço espiritual a ele. Isso é possível através da conexão com o ambiente e apelo ao Criador, a implementação do método de correção.

Eu nem levo em conta os desejos que são revelados em mim porque não pretendo realizá-los. Eu os vejo apenas como um trampolim do qual tenho que sair para pular. Essa seria a atitude certa. 5

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/12/19, Introdução ao Livro Panim Meirot uMasbirot

1 Minuto 10:00
2 Minuto 26:17
3 Minuto 26:58
4 Minuto 30:05
5 Minuto 47:35

“É Relatado Que A Rússia Está Considerando Desconectar-se Da Internet. Você Acha Que Eles Farão E Por Que Eles Fariam Isso?”(Quora)

Dr. Michael LaitmanMichael Laitman, no Quora:É Relatado Que A Rússia Está Pensando Em Desconectar-se Da Internet. Você Acha Que Eles Farão E Por Que Eles Fariam Isso?

Em essência, na realidade cada vez mais socialmente dividida de hoje, eu apoio que todas as nações possam controlar sua própria Internet. Pode parecer contrariar a abordagem da interdependência global e da interconectividade sobre a qual escrevo e falo frequentemente, mas, na realidade, não é assim.

Para compreender positivamente nossa crescente interconexão tecnológica global, ela precisa ser acompanhada de uma forma de educação que atualize nossas atitudes uns com os outros, para que possamos combinar nossas crescentes conexões externas com a melhoria das atitudes internas entre si.

Ao não implementar esse aprendizado enriquecedor de conexões, a Internet global que criamos se torna um espelho de nossas atitudes egoístas corruptas entre si. Em vez de servir como uma plataforma que usamos para melhorar nossas relações humanas, ela se torna uma espécie de mercado no qual cada um de nós quer tagarelar sobre o que está em nossa mente ou usá-la para lucrar com os outros.

Portanto, como falhamos em atualizar nossas atitudes uns com os outros, não culpo nenhum país por tentar configurar o controle nacional da Internet. Ao não acompanhar nosso crescente pluralismo e liberdade com o aprendizado enriquecedor de conexões que melhora nossas atitudes uns com os outros, deixamos de perceber um nível mais elevado de consciência humana que nosso mundo global, com suas conexões mais estreitas, está nos convidando. Portanto, não surpreende que as nações comecem a fazer movimentos protecionistas, como o fechamento da Internet.

Em vez de relações positivas se espalharem pela Internet, se vemos uma proliferação de ódio e divisão, então definitivamente fica melhor parar com isso. Uma Internet que serve para aumentar as conexões humanas positivas não receberia críticas de nenhuma nação ou governo: todos se beneficiariam de um ambiente globalmente conectado que nos fornece um suprimento constante de felicidade, confiança, apoio, incentivo e motivação.

Blitz De Dicas De Cabalá – 14/07/19

627.2Pergunta: O conforto do desenvolvimento pode ser o critério para sua correção?

Resposta: Não. Apenas dizemos que, se fazemos a coisa certa, nos sentimos confortáveis ​​por causa disso. O que significa “confortável”?

Isso é avaliado por definições completamente diferentes, e não egoístas, porque minhas demandas pelo mundo, pela vida, estão mudando. Isto é, o conforto assume uma forma completamente diferente para mim, a vida assume um conteúdo diferente.

Pergunta: Sabe-se que não há conceito de tempo e espaço na espiritualidade. Como posso determinar que meu estado atual de desenvolvimento é mais lento do que deveria ser? Com base em quais critérios meu caminho é considerado acelerado? Eu determino essa aceleração?

Resposta: A aceleração do caminho espiritual é determinada por você e pelo ambiente. Isso em primeiro lugar.

Em segundo lugar, não há tempo no mundo espiritual. Os 6.000 anos de que falamos não são anos, mas o número de estados pelos quais devemos passar, ou seja, são 6.000 graus de nossas mudanças consecutivas, do egoísmo completo e absoluto para o altruísmo absoluto.

Pergunta: Como uma pessoa pode reconhecer um ambiente que a desenvolverá através do caminho da luz?

Resposta: Para fazer isso, você ingressa em um grupo onde pode discutir isso. Somente no grupo e não fora. É claro que você pode dar palestras para iniciantes e organizar outros círculos de estudo. No entanto, você só pode discutir o desenvolvimento espiritual entre si.

Pergunta: O que devemos fazer quando houver discordâncias entre amigos no grupo? Devemos culpar o Criador por Criador ou tentar equilibrar a disputa e chegar a um entendimento?

Resposta: É imperativo alcançar um entendimento baseado no fato de que é o Criador que causa todos os tipos de problemas e somente para que vocês se elevem acima deles.

De KabTV, “Fundamentos de Cabala”, 14/07/19

Resoluções De Ano Novo

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 29/12/19

Quanto mais fortes nossas relações com os outros, mais felizes somos.

A resolução mais importante do Ano Novo é investir na única fonte de verdadeira satisfação, uma fonte que pode ser encontrada através da conexão humana positiva, em nossa unidade coletiva, onde cada pessoa se concentra externamente em construir amizades e beneficiar a sociedade.

Se nosso desejo estiver focado fora de nós mesmos, em doar aos outros, não nos sentiremos vazios o tempo todo. Nesse estado de conexão, seremos capazes de alcançar uma vida bela e completa, livre de sofrimento. Essa fonte de realização é ilimitada e não apenas relevante para o novo ano, mas para toda a nossa vida.

Leia meu artigo completo (em inglês):

Todos Devem Aderir Ao Movimento Em Direção Ao Criador

laitman_962.6O universo inteiro é como círculos concêntricos, começando pelo mais interno, no qual existem pessoas que receberam um despertar para a adesão ao Criador. Elas entendem que é necessário conectar-se entre si, porque somente dentro do desejo comum, dentro de nossa conexão, o Criador pode ser revelado; portanto, tudo é construído na conexão.

Primeiro, pessoas com o “ponto no coração” chegam a essa conexão, pessoas ansiando pela revelação da força superior que se manifesta na conexão. Depois, existem muitos outros círculos externos, camadas. Nosso grupo está no centro; recebeu um grande presente do alto: o desejo de se aproximar do Criador. É nossa responsabilidade realizar esta ação e aproximar os outros círculos Dele.

O círculo mais interno deve se corrigir anulando seu egoísmo; os outros círculos não precisam mudar sua natureza. Tudo depende do círculo mais interno, dele sentir sua obrigação de cumprir seu papel, o desejo que lhe é dado para o propósito da criação. Somente ele recebeu esse desejo, não os outros, e, portanto, é obrigado a cumprir sua missão.

Não podemos fazer reclamações contra outras pessoas, outros círculos, porque cada círculo age de acordo com o desejo despertado nele. Portanto, somos obrigados a realizar nosso desejo interior de alcançar o Criador, bem como ajudar os círculos mais externos que não têm essa deficiência e vinculá-los ao objetivo de toda a criação.

Esses dois movimentos, um dirigido para dentro e outro para fora, devem ser realizados nas duas próximas Convenções: a Convenção no deserto e a grande Convenção em Tel Aviv. Essas duas ações dependem uma da outra, porque nossa conexão deve ser construída com o objetivo de conectar toda a humanidade ao Criador.

Portanto, trabalhar na conexão interna é apenas uma preparação, da qual saímos para nos conectar com o mundo inteiro, com todas as pessoas. Não procuramos infectá-las com nosso desejo. Simplesmente queremos mostrar a todos os círculos em Israel e no mundo como agimos e despertá-los um pouco. Cada círculo agirá de acordo com o desejo que desperta nele.

Não importa que esse desejo tenha como objetivo indireto a adesão ao Criador e a obtenção de equivalência de forma com Ele. No entanto, o Criador desperta uma crise no mundo, que é sentida de maneira diferente por cada círculo. Nossa tarefa é explicar a todos os círculos como é possível superar a crise global geral de acordo com o desejo pessoal especial que desperta em cada círculo. 1

Cada pessoa, até certo ponto, deve pertencer ao movimento geral em direção ao Criador, e não apenas àquelas que estão estudando a sabedoria da Cabalá de acordo com seu desejo interior. Basta que as pessoas que não têm esse desejo interior sintam a crise e percebam que ela é causada pela falta de conexão entre nós e a força superior. Essa conscientização já é suficiente para incluí-las no processo geral.

Cada círculo é obrigado, na medida do seu desejo, a participar da conexão de toda a humanidade e sua conexão com a força superior. A tarefa de todo e qualquer círculo é realizar seu desejo natural na vida e apontá-lo para a conexão com outros círculos e a força superior que controla todos.

O círculo interno executa essa tarefa na intenção, o círculo externo em ação, cada um de acordo com seu desejo. Mesmo aqueles que protestam e resistem também participam de todo o processo, realizando certo trabalho, sem o qual é impossível alcançar a meta. Afinal, por sua resistência, eles ajudam a determinar com precisão a direção do alvo. 2

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 12/12/19, Escritos de Baal HaSulam, “Introdução ao Livro do Zohar

1 Minuto 1:10
2 Minuto 12:30

A Escolha Judaica

Dr. Michael Laitman

Da Minha Página No Facebook Michael Laitman 29/12/19

Sem exceção, desunião, ódio e, às vezes, extrema violência entre judeus, sempre precedem catástrofes na história do povo judeu. Midrash Rabbah (Shemot 1:8) afirma que o Faraó, que inicialmente amava os judeus e lhes deu a melhor terra no Egito, começou a odiá-los somente depois que eles começaram a se separar. O rei da Babilônia Nabucodonosor conquistou a terra de Israel e arruinou o Primeiro Templo somente depois que Israel afundou em derramamento de sangue interno e outra conduta inadequada um para com o outro. Nos últimos dias do templo, eles se odiavam tanto que o Talmude (Yoma 9b) escreve que eles estavam “esfaqueando um ao outro com as espadas em suas línguas”.

Ainda assim, nada se compara à ruína do Segundo Templo e ao exílio do povo de Israel da terra por dois milênios. É uma história tão cheia de ódio interno, tortura, assassinato e até canibalismo, que os sábios simplesmente concluem que a razão da queda do Segundo Templo era o ódio infundado (sem fundamento). De fato, para cada judeu que os romanos mataram tentando conquistar Jerusalém, os judeus mataram dez pessoas dentro da cidade. O historiador judeu-romano Flavius ​​Josephus capturou a essência dos eventos em uma frase em “As guerras dos Judeus: “A sedição destruiu a cidade, e os romanos destruíram a sedição”.

Se você observar toda a história judaica, descobrirá que esse é o único elemento que sempre antecede os maiores cataclismos judaicos. É por isso que especialmente hoje, com nossa crescente divisão e partidarismo, é tão importante que nos elevemos acima de nossas diferenças e nos unamos, apenas para evitar a próxima calamidade.

Leia meu artigo completo (em inglês):