Mundo – Realidade Ou Ilusão? Parte 9

laitman_227Aderir À Linguagem Dos Cabalistas

Baal HaSulam, “A Essência da Sabedoria da Cabalá”: Qualquer pessoa razoável entenderá que, ao lidar com assuntos espirituais, muito menos com a Divindade, não temos palavras ou letras com as quais contemplar. Isso ocorre porque todo o nosso vocabulário não passa de combinações das letras de nossos sentidos e imaginação.

É particularmente dessa forma que a pessoa precisa encontrar alguma justificativa nessas palavras para ajudá-la nas negociações habituais na investigação da sabedoria. Aqui o sábio deve usar definições rigorosamente precisas para os olhos dos observadores.

Se expressássemos em nossas palavras tudo o que sentimos, cada um de nós criaria nossa própria linguagem, nossa própria enciclopédia, etc., e não poderíamos nos comunicar. Portanto, o que podemos e devemos fazer é usar as palavras, expressões e definições baseadas em nossa essência.

É exatamente isso que a Cabalá faz. Ela diz que uma pessoa consiste em um desejo que se divide em cinco tipos: zero, um, dois, três e quatro. Nestes cinco tipos de desejos, nós sentimos várias realizações positivas e negativas, e todo mundo as tem. Assim, tudo consiste apenas em desejo.

Portanto, se aderirmos a uma linguagem Cabalística clara, não nos desviaremos. Vamos falar a mesma língua. Isso aconteceu antes da quebra na antiga Babilônia, quando todas as pessoas falavam uma língua, o aramaico, na qual O Livro do Zohar está escrito.

A língua aramaica é boa porque vem da essência da própria natureza. Os cinco níveis de desejo, dos quais cada um de nós consiste, geram cinco definições. Esta língua é baseada neles.

De KabTV, “Fundamentos da Cabalá”, 15/09/19

Comente