Em Uma Pequena Jangada

laitman_290Se estou constantemente nos amigos, não cairei, posso equilibrar meus estados. É como se estivéssemos em pé em uma balsa atingida pelas ondas, todos nós da dezena. Todo o nosso trabalho é equilibrar a balsa no mar tempestuoso; todos fazem esforços apenas para isso.

Há um nível no meio da balsa mostrando o nível horizontal e todos nós focamos nele, na linha do meio. Fazemos isso juntos ou não podemos equilibrar o nível. Devemos sentir um ao outro, entender o que cada um está fazendo e o que precisamos para equilibrar. Não trabalhamos alternadamente, um após o outro, devemos estar conectados internamente, mesmo antes de executar ações, a fim de alinhar o nível a zero.

Ao equilibrar o nível, eu realizo uma ação oposta ao Criador: Ele eleva as ondas e eu quero compensar a perturbação, compensar Seu trabalho e, assim, eu O chamo. Eu trabalho com a tela e a luz refletida contra o Criador, levando a uma colisão devido à oposição de nossas ações e, ao mesmo tempo, à adesão, porque trabalhamos juntos. É como se estivéssemos dançando um tango, como uma noiva e um noivo.

Isso requer a conexão dos corações. A mente não ajudará aqui; ela funciona muito devagar. Somente o coração pode reagir instantaneamente. Se um coração sente o outro, eles se dão bem imediatamente antes que a compreensão chegue à mente e ela comece a pensar.

Portanto, queremos estar em um coração. Quando sentimos que isso é possível, de repente entendemos como o mundo espiritual é organizado: “até a razão”. A mente começará a reagir em meio minuto e não antes; portanto, o principal é o sentimento, que responde imediatamente.

Um coração significa que não há diferença em nossa atitude; não há atraso de coração para coração, estamos simplesmente todos juntos. Portanto, não precisamos esperar um pelo outro ou perguntar um ao outro o que o outro está fazendo para equilibrar o nível. Nós equilibramos juntos; não pedimos nada porque sabemos, sentimos o que será. Nos elevamos acima do tempo porque eu não preciso esperar pelas ações dos amigos; eu moro com eles em um único coração. Portanto, o tempo desaparece, pois não há passado, presente e futuro.

Passado, presente e futuro existem entre nós apenas por causa da transferência de um para outro. Se todos agirmos a partir de um ponto, não haverá tempo. Acontece que já estamos na eternidade porque o tempo desapareceu.

No entanto, se não trabalharmos a partir do centro do grupo, todo o nosso trabalho será de uma maneira muito longa e indireta. No final, atingiremos a meta algum dia, mas prolongaremos muito o tempo.

O nível é o ponto central do grupo, um único desejo, uma única intenção, um único coração. Neste lugar, podemos revelar o Criador: um contra o outro.

O nível não é uma bolha de ar em um líquido, como em um dispositivo físico, mas o coração comum do grupo que pertence a todos. Imagine que estamos em uma jangada balançando nas ondas. No meio da jangada, há um nível que precisamos manter em equilíbrio. Se somos capazes de alinhá-lo, então, no ponto central que mantém o equilíbrio, apesar das ondas, ocorre o contato com o Criador, Sua revelação.

No próximo nível, será ainda mais difícil manter o equilíbrio: as ondas aumentarão mais, a jangada ficará mais alta, dois andares. No entanto, isso nos fará unir ainda mais firmemente em um coração, e só assim descobriremos mais e mais oportunidades para revelar o Criador e trazer satisfação a Ele.

O nível é o ponto comum para todos nós, que veio do Criador. É o Criador dentro de nós! O nível estará em equilíbrio se todos estivermos direcionados um para o outro, cada um querendo nada para si e estar pronto para dar tudo de si aos amigos. 1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá em 21/10/19, Simchat Torá

1 Minuto 51:30

Comente