Sucot 2019: Como Reconstruir Nosso Lar Judaico (Times Of Israel)

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Sucot 2019: Como Reconstruir Nosso Lar Judaico

Sinagogas de todo o mundo estão fechando suas portas para sempre. Mudanças demográficas, problemas financeiros, assimilação e falta de interesse na vida judaica entre os jovens, bem como o sentimento de insegurança devido a ataques antissemitas, estão entre os principais fatores que contribuem para esse fenômeno. Mas há uma causa mais profunda para a diminuição de membros e suas consequências para as comunidades: a falta de coesão e o sentido de um lar comum entre o povo judeu como um todo. O festival de Sucot, durante o qual celebramos a unidade e a hospitalidade com os mais próximos de nós, é um convite para remodelar nosso destino e refletir sobre a construção de uma Sucá comum, onde todos os judeus podem se unir como um, e com eles o mundo inteiro.

As festividades judaicas deste ano enfrentam uma nova realidade. Uma vez vibrantes, comunidades judaicas em todo o mundo viram seus membros significativamente reduzidos. Por exemplo, a comunidade de Nice, uma vez a quarta maior da França, com cerca de 20.000 membros, diminuiu para meros 3.000. Situações semelhantes podem ser encontradas nas congregações judaicas em Boston, Nova York e no Centro-Oeste americano, tudo devido à diminuição do número de membros.

“Os judeus exibem níveis mais baixos de comprometimento religioso do que o público em geral dos EUA”, entre os quais apenas 26% disseram que a religião é “muito importante”, em comparação com 56% dos não-judeus, segundo organizações de pesquisa americanas. Os estudos também mostram uma lacuna entre a participação judaica nos serviços da sinagoga em comparação com outras denominações: “Os judeus relatam frequentar serviços religiosos a taxas muito mais baixas do que outros grupos religiosos. 6 em 10 cristãos (62%) dizem que frequentam serviços religiosos pelo menos uma ou duas vezes por mês (em comparação com 29% dos judeus)”, revelou a pesquisa.

Eu não estou surpreso. Após a Segunda Guerra Mundial, o sentimento de pertencimento e a necessidade de associação comunitária prosperaram entre os judeus, mas hoje em dia não há basicamente nada para manter uma comunidade unida. Em uma geração em que tudo é descartável e tudo pode ser adquirido, a independência se tornou mais valorizada do que nunca e os cálculos para a comunidade seguem em conformidade. Alguém pode perguntar: “Por que devemos fazer parte de uma comunidade e nos identificar como judeus? O que eu ganho com isso?”. “Nada, e talvez o oposto”, seria a resposta provável. De fato, a vida judaica tem pouco ou nenhum significado se não fizermos as perguntas mais importantes da vida, como “Por que eu existo?” e “O que significa ser judeu?”

A palavra “judeu” – “Yehudi” em hebraico – deriva da palavra “unidade” – “Yichud“. Nosso objetivo como judeus é alcançar um estado de unidade entre si e compartilhá-lo com as nações do mundo, ou seja, ser “uma luz para as nações”. No entanto, para atingir um objetivo tão elevado, precisamos primeiro nos elevar acima de nossa natureza egoísta, ou seja, transformar nossos atributos de preocupação pessoal e autoindulgência em preocupação e cuidado dos outros.

Como isso se relaciona com o feriado de Sucot? Este festival é precisamente um chamado para sair de nosso confortável “lar” egoísta, ou seja, nosso amor próprio, e construir uma nova estrutura, uma Sucá, o símbolo do novo mundo que podemos criar se adquirirmos a qualidade de doação, a qualidade do amor pelos outros.

Sucot simboliza o belo processo de mudança interior, onde levamos o “desperdício do celeiro e da adega”, itens que, de acordo com a sabedoria da Cabalá, representam a qualidade do amor pelos outros que agora estão misturados e imersos em nossos pensamentos egoístas de preocupação pessoal, e elevamos esses atributos como um telhado, bem acima de nossas cabeças. Construímos uma cobertura para o ego e, dia após dia, durante a semana de Sucot, realizamos esclarecimentos adicionais sobre as qualidades que contribuem para o altruísmo e pedimos nossa correção. Então, simbolicamente, a luz que penetra através do telhado de palha transforma nossas qualidades egoístas anteriores em um novo estado em que reconhecemos o amor e a conexão com os outros como os valores mais importantes da vida.

O verdadeiro significado de Sucot é construir uma nova realidade de entendimento e apoio mútuos – uma Sucá de paz, para que todo o povo judeu e o mundo inteiro possam se reunir sob esse grande telhado e se unir como um. Quando isso acontecer, o lar temporário da Sucá será transformado em um templo, um lugar comum em nossos corações, e não apenas uma estrutura física.

Eu desejo a todos um feriado alegre e tranquilo!

Comente