“Uma Mania Antissemita Na Moda” (Breaking Israel News)

O maior portal de notícias, Breaking Israel News, publicou meu novo artigo: “Uma Mania Antissemita Na Moda

Se o uso do simbolismo nazista na moda se manifestasse em casos isolados, haveria apenas um pequeno motivo de preocupação. Mas quando essa tendência é apoiada ou encoberta por gigantes como a Amazon, a maior plataforma de vendas on-line do mundo, não podemos permanecer indiferentes. Desde decoração de casa a roupas e acessórios, o site popular está infestado de produtos que mostram vítimas do Holocausto indo para as câmaras de gás e imagens que glorificam o Terceiro Reich. Essa tendência vem para nos abalar até a compreensão da urgência e pertinência de unir nossas forças. Ao nos tornarmos um povo unificado, seremos capazes não apenas de evitar banalizar as atrocidades do passado, mas também de impedir que a história se repita.

Todos os tipos de mercadorias com fotos de vítimas de campos de concentração e imagens que exaltam Hitler agora são facilmente encontrados em lojas on-line. Já existe uma tendência da moda chamada “nazista chique” que ganha popularidade em todo o mundo.

Empresas de moda internacionais causaram alvoroço nos últimos tempos por usar imagens antissemitas e símbolos de ódio em seus designs, como roupas listradas, incluindo estrelas amarelas parecidas com as roupas que os judeus foram forçados a usar durante o Holocausto e suásticas.

Minimizando o Holocausto como Tragédia

Antes tabu, a glorificação das manifestações antissemitas e dos símbolos nazistas está se tornando cada vez mais popular no mundo da moda, arte, música, esportes, festivais e até atrações de parques de diversões, como um passeio em forma de suástica recentemente fechado na Alemanha, onde exibições públicas propaganda e lembranças nazistas são ilegais. Apenas no ano passado, essa proibição foi surpreendentemente levantada para jogos de computador.

A Amazon confirmou recentemente que lançará operações em Israel nas próximas semanas, incluindo um site em hebraico para clientes e varejistas locais. Isso acontece durante o período em que o Museu de Auschwitz condenou a publicidade on-line e a venda de produtos com judeus famintos do Holocausto e o simbolismo nazista sendo promovidos como um “presente ideal”. O memorial judaico exigia um sistema de verificação mais rigoroso para os varejistas, “visto que às vezes as coisas ultrapassam o mau gosto e tornam-se desrespeitosas. Especialmente quando há imagens de vítimas”. Os compradores on-line também ficaram chocados com as mercadorias ofensivas e algumas empresas de comércio eletrônico, incluindo a Amazon, concordaram em retirar alguns itens específicos de seus sites em determinados locais, enquanto outros permanecem disponíveis on-line em diferentes países.

A tendência de banalizar o capítulo mais sombrio da história judaica é preocupante porque, como podemos ver, agora é encontrado basicamente em todos os campos humanos. Além disso, pesquisas realizadas na Europa mostram que a memória do Holocausto está começando a desaparecer. Na América, uma em cada três pessoas consultadas sobre o assunto não acredita que 6 milhões de judeus foram assassinados no Holocausto.

Que tal Tornar a Conexão “Na Moda”?

O crescente ódio de hoje pelos judeus e a indiferença das pessoas ao sofrimento histórico dos judeus nos lembram de nossa tarefa. Essa tendência grotesca é uma oportunidade para refletirmos sobre o motivo do antissemitismo e lembrar que temos um método de conexão para impedir que as atrocidades se repitam.

Por muitos séculos, nossos ancestrais lutaram para manter sua unidade acima do crescente egoísmo. Mas 2.000 anos atrás, os judeus sucumbiram ao ódio infundado e foram exilados de suas terras. Desde então, perdemos a capacidade de ser uma luz para as nações porque perdemos nossa unidade. O momento em que perdemos nossa unidade foi o momento em que o antissemitismo, como o conhecemos, começou.

Somente quando reacendermos o amor fraterno que cultivamos séculos atrás e compartilharmos o método para conseguir isso com todos, o mundo deixará de nos odiar e nos culpar por todos os seus problemas. Como isso é possível? É possível porque, gostemos ou não, a unidade judaica determina o estado do mundo e seu destino. Através de nossa conexão, transmitimos uma força positiva e unificadora ao mundo, uma força que o mundo precisa desesperadamente. Por outro lado, nossa separação nega à humanidade esse poder e evoca seu ódio contra os judeus. Essa é a causa da agressão da nação em relação a nós e por que eles nos percebem como a fonte de todo o mal.

Em seu ensaio, “O Arvut (Garantia Mútua)”, Rav Yehuda Ashlag escreve sobre o importante papel do povo judeu: “A nação israelense foi estabelecida como um canal na medida em que eles se purificam [do egoísmo], eles passam adiante seu poder para o resto das nações”.

Agora é a nossa hora de nos tornarmos uma “luz para as nações” através do nosso exemplo, para tornar a unidade, a paz e a calma a única moda da moda no mundo. Não podemos permitir que atrocidades ocorram novamente quando temos um método de prevenção por meio de nossa conexão. É indispensável manter esse objetivo de amor fraterno entre todos os judeus, acima de todos os obstáculos, porque nossas vidas dependem dele e porque o bem-estar do mundo exige de nós.

Comente