“Israel Em Uma Encruzilhada: Hora De Um Governo Para Todos” (Newsmax)

Meu artigo na Newsmax: Israel em uma Encruzilhada: Hora de um Governo para Todos

Se os fracassos de outras pessoas podem nos fazer sentir um pouco melhor em nossa perda, Israel não está sozinho no mundo em seu limbo político depois que as segundas eleições deste ano acabaram novamente sem um vencedor claro.

Da mesma forma, a Espanha se prepara para sua quarta eleição em quatro anos, após resultados inconclusivos das pesquisas de abril passado; e no Reino Unido, a Suprema Corte decidiu que a decisão do primeiro-ministro Boris Johnson de suspender o Parlamento – um movimento aparente para evitar oposição ao Brexit – era ilegal, causando tumulto político.

Parece que a humanidade avançou tecnologicamente, mas regrediu em termos de estabilidade e certeza sobre o futuro. A boa notícia é que chegar a uma solução não é nenhum bicho de sete cabeças. Os líderes só precisam dar o exemplo de uma família e governar de acordo.

A vida familiar é baseada na interdependência e construída em concessões mútuas. Se não fosse assim, qualquer crise poderia facilmente levar ao divórcio.

Um equilíbrio delicado é mantido, onde, por um lado, o casal se esforça para permanecer próximo e aprecia o conforto e a segurança que a proximidade proporciona, enquanto, por outro lado, mantém uma individualidade saudável e espaço para o crescimento pessoal. Os casais de sucesso se movem em uma espécie de dança mútua, em que cada parceiro se abstém de ver os aspectos negativos do outro e cobre discordâncias com amor.

Da Independência à Interdependência

Em Israel, os líderes que aspiram a governar o país não sentem interdependência. Eles parecem estar completamente separados, sem nenhuma semelhança com uma família acolhedora. Cada um segue sua própria justiça, se entrincheira em sua posição e pensa em seu próprio interesse.

Diferentemente da gestão familiar, onde as negociações são relativamente fáceis e os danos são pequenos em escala, no nível de Estado, movimentos leves podem rapidamente resultar em disputas políticas complicadas que correm o risco de se deteriorar em crises sociais ou reeleições. Portanto, qualquer parte que se entrincheira em sua própria posição não merece governança até que possa reunir forças para ceder um pouco à sua posição e orgulho.

Está claro para todos que o sucesso do Estado de Israel dependerá de sua capacidade de formar um governo de unidade nacional. Esse governo deve ser como uma família que incorpora inúmeras visões opostas e rivalidades políticas, mas trabalhando juntas, comprometendo-se mutuamente em benefício do povo. Isso só pode funcionar dessa maneira porque nenhuma unidade pode existir, exceto acima de opiniões diversas. Os sábios expressaram o seguinte: “Assim como seus rostos são diferentes, também são suas opiniões”, em outras palavras, assim como as diferenças que existem entre os membros de uma família.

As abordagens políticas dos dois principais partidos, Likud e Blue-White, são de caráter semelhante. Portanto, o atual prêmio a ser ganho por Israel pode ser assumido por compromisso e nada mais. Mesmo se houver um conflito significativo no futuro entre os dois líderes, Netanyahu e Gantz – discordâncias sobre o processo de paz que podem se deteriorar em lutas reais, por exemplo – a mágica do governo de unidade nacional funcionará.

Unidade como Resultado da Diversidade

A unidade aceita e contém o outro, concorda em trabalhar com os diferentes e dá espaço a todos.

A unidade equilibra as várias visões de mundo e traça uma linha contínua entre diversas perspectivas, a fim de tecer uma visão única e completa. A unidade produz um discurso reflexivo e rico a partir de um monte de opiniões.

O povo dividido de Israel tem sede de solidariedade e coesão social transversal, desejando além da esperança que nossos líderes escolhidos deem o exemplo e se sentem juntos em uma mesa redonda, como em uma família clássica. Ansiamos por uma liderança forte o suficiente para demonstrar confiança mútua, uma que possa desistir do ego e do orgulho em benefício do povo.

Bom para Todos, Bom para Mim

A liderança que trabalha na direção dessa unidade inspiraria o povo com um espírito positivo de se tornar um exemplo de vontade de produzir benefício próprio para o bem coletivo.

Por que alguém estaria disposto a desistir de sua própria posição específica para o benefício de todos?

Essa liderança visionária é possível quando a pessoa percebe que cada um de nós é parte integrante de um todo coletivo; portanto, quando todos se beneficiam, eu também sou um destinatário dessa bondade.

Esta tem sido a marca registrada que governa a resiliência do povo de Israel desde tempos imemoriais: um governo poderoso, composto por líderes com visões diferentes, fortes o suficiente para transcender seus egos particulares por nossa propriedade comum: o povo de Israel. Com essa liderança, o povo também se tornará mais forte e mais unido, capaz de se elevar acima das divisões predominantes na sociedade. Este é o começo do caminho para anunciar a unidade de Israel como um exemplo para o mundo.

Comente