Trabalhando Com Obstáculos

Dr. Michael LaitmanSe meu objetivo é dar ao Criador, não deve ser importante para eu fazer isso a partir do estado de subida ou descida. Eu faço uma restrição em mim mesmo como se eu não existisse e só estou procurando alguma oportunidade de agradar o Criador. Eu vivo constantemente em um “sanduíche”: só presto atenção ao meu objetivo de trazer alegria ao Criador, seja subindo ou descendo.

Então minha atitude para com os altos e baixos se torna construtiva: eu os avalio em termos do que me ajudará mais. Talvez seja mais útil para eu revelar mais trevas e todos os tipos de defeitos. Já pelo fato de agradecer ao Criador pelo mal revelado, dou-Lhe prazer porque entendo que essa é uma preparação para me fundir com Ele. Quero ser fiel a Ele nos estados ruins, assim como nos bons, e não esperar que Ele corrija tudo.

Se eu resolver os problemas e permanecer alegre, isso é um sinal de que estou no caminho certo e mantenho a direção certa. Não há bem sem mal. O mal é uma base sólida com a qual posso avançar com confiança para um trabalho perfeito. Eu sempre verifico onde e como, de que forma e com que poder posso agradar ao Criador, tanto quanto possível, aderir-se a Ele. Não luto por Ele para me sentir bem, mas porque toda a minha intenção é fundir-se a Ele por uma questão de doar a Ele. Portanto, podemos sentir a perfeição em qualquer estado, para que as trevas brilhem como a Luz, e não haverá diferença entre trevas e luz, dia e noite, e tudo estará unido em um grande dia.

Se não me vejo nesse tipo de sanduíche, a vida constantemente me jogará para cima e para baixo, e não sentirei que esses saltos foram atingidos e não ficarei feliz com os altos e baixos da mesma forma.

O Criador é o curador de todas as doenças. Portanto, quando revelo algum tipo de quebra, já tenho o remédio certo. Quando revelo a doença, já significa que tenho a cura: esses dois processos estão inextricavelmente ligados. A principal alegria vem de revelar as falhas. Quanto mais as revelamos, mais prazer podemos oferecer ao Criador.

Se eu estiver pronto, sempre ficarei feliz em qualquer queda: “Olha, ainda há uma falha! E aqui está outra, e mais!” Vou me divertir e me alegrar ao revelar defeitos e me arrepender daqueles que ainda não foram revelados. Afinal, um problema oculto não tem chance de resolução, e descobri-lo é uma grande bênção do alto. Se ele se manifesta, significa que existia antes, mas disfarçado.

Se o Criador nos revela más qualidades, condições e relacionamentos quebrados , este é um sinal do nosso progresso. Nós devemos aceitá-los todos com alegria, porque eles são enviados a nós pelo Criador com amor. Devemos responder imediatamente a Ele com amor, gratidão e bênçãos, tanto pelo mal quanto pelo bem. 1

Não é bom se tudo correr quieto e tranquilamente no grupo. Isso é semelhante a uma família: se marido e mulher nunca discutem, não é vida. De acordo com a natureza, deve haver conflitos para que possamos entender as fraquezas um do outro e nos amarmos, não importa o quê. Deve haver lacunas e conexões, e apenas a alternância delas dá uma sensação de vida.

Não precisamos esperar que o relacionamento seja suave como uma linha horizontal. Afinal, sabemos que um eletrocardiograma plano significa morte. Vida significa conflitos, golpes e superações: deve haver altos e baixos. 2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 13/08/19, “Aprender com a Descida Durante o Tempo de Subida”
1 Minuto 2:40 – 11:24
2 Minuto 16:00

Comente