“Combater O Estresse Crescente Devido Às Mudanças Climáticas” (Kabnet)

Meu novo artigo na KabNET: “Combater O Estresse Crescente Devido Às Mudanças Climáticas

O aquecimento global é um tópico em chamas. Ondas de calor extremas, sem paralelos na história humana, tornaram-se uma fonte de estresse crescente, um problema que já não percebemos de longe, mas em nossa própria pele.

Estima-se que o estresse calórico custará à economia global US$ 2,4 trilhões por ano na próxima década, de acordo com as Nações Unidas, mas o impacto sobre a saúde mental não é menos preocupante. Os americanos já estão entre as pessoas mais estressadas do mundo, e o aquecimento global de hoje não está contribuindo para aliviar a pressão, particularmente entre a geração jovem.

O calor extremo pode representar riscos à saúde que não permitirão que as pessoas trabalhem, particularmente ao ar livre, levando à perda de 80 milhões de empregos em todo o mundo até 2030. Essas são projeções desfavoráveis ​​da Organização Internacional do Trabalho (OIT) que lembram que não há tempo a esperar. Enfrentar o estado atual exigirá novos paradigmas, uma maneira completamente nova de pensar, já que as anteriores nos levaram a uma realidade precária.

Estudos recentes revelam que as pessoas que sentem mais o calor são a nova geração. Ao mesmo tempo, eles são os agentes autorizados a mudar o mundo fracassado herdado de seus pais e avós. Mas há um problema: uns surpreendentes 90% da Geração Z entre as idades de 15 e 21 anos relatam a pior saúde mental que qualquer geração nos EUA, o nível mais alto de estresse, de acordo com a American Psychological Association. O estresse relatado é devido à violência armada, turbulência política e problemas pessoais. É a população mais vulnerável em termos de bem-estar mental, e agora um novo e assustador desafio foi imposto a eles: carregar sobre seus ombros a responsabilidade pelo futuro.

 “Precisamos encorajar e apoiar a geração jovem para lubrificar as rodas da recuperação, levando a humanidade a um estado de tranquilidade e equilíbrio em todos os níveis da natureza”.

O sucesso da nova geração em inverter a situação dependerá de como eles começarão a se comportar. A geração mais velha – por sua busca imprudente de novas indústrias e desenvolvimento – está destruindo nosso planeta. Precisamos apoiar os esforços da nova geração para acabar com essa tendência apressada e descuidada. Precisamos entender que o mundo é integral, interdependente e cada vez mais interconectado. Portanto, toda ação impacta todo o sistema: a Terra, o cosmos e a nós mesmos. Mas mesmo antes das ações, o maior poder que temos é o poder do pensamento.

Se nos aproximarmos uns dos outros, conectados através do poder do pensamento, ou seja, intenções positivas para beneficiar uns aos outros, seremos capazes de deter o aquecimento global e a deterioração do planeta. No entanto, a preocupação e os pensamentos de um indivíduo sozinhos não produzirão resultados. A força que gerará uma mudança verdadeira e efetiva só pode ser ativada coletivamente.

Como nossas relações podem ser uma força tão poderosa capaz de mudar nosso ambiente? A razão é que o nível humano – o mais elevado e mais desenvolvido na natureza – é precisamente onde o problema reside. Nossa natureza egoísta – ganho pessoal à custa dos outros – é a força mais prejudicial e destrutiva da natureza, afetando negativamente os níveis inferiores da natureza: inanimado, vegetativo e animado. Portanto, o caminho para restaurar o equilíbrio da natureza é reparar nossa conexão quebrada como seres humanos, a causa fundamental do desequilíbrio ecológico.

É claro que em um mundo onde pelo menos uma dúzia de países tem capacidade nuclear, não pode haver uma solução egoísta no nível físico. Nós apenas temos que mudar a nós mesmos, nossa atitude e comportamento uns para com os outros, a fim de recuperar a harmonia do nosso ecossistema.

A hora para isso é agora. Portanto, precisamos encorajar e apoiar a geração jovem para lubrificar as rodas da recuperação, levando a humanidade a um estado de tranquilidade e equilíbrio em todos os níveis da natureza.

Comente