Veja Através Da Dezena

laitman_962.6Não há nada tão difícil: você precisa entrar na estrutura chamada dezena. Ao entrar corretamente, eu me preparo para conhecer o Criador. Eu olho para a dezena como se através de uma lente de aumento, focalizando-a no Criador, e começo a vê-Lo e discerni-Lo.

Este é um sistema simples: eu – a dezena – o Criador. Se eu quero revelá-Lo mais, eu preciso de um dispositivo maior chamado dezena, isto é, incluir um número crescente de detalhes envolvidos em focalizar e dirigir rumo a um só coração. O Criador então Se revelará mais.

Isso continua até que todos os círculos, todos os participantes se reúnam em um Kli comum de toda a humanidade. Assim, o Criador será plenamente revelado àqueles que se anularam perante a dezena, perante o HaVaYaH, construído por Ele de todos os habitantes deste mundo.

Portanto, está escrito: “Como se você tivesse Me criado”. O Criador não existe por Si mesmo, mas apenas como o resultado total correto de todos os participantes em Sua revelação. Este dispositivo está à nossa disposição e somos obrigados a usá-lo sem se distrair com qualquer outro trabalho. Tudo o que acontece deve ser investido na criação deste instrumento, a dezena, a fim de revelar o Criador através dele. 1

Ao trabalhar em nossa conexão, alcançamos o “ama ao próximo como nos amamos”. E através dele, a pessoa já pode alcançar o amor pelo Criador, concentrando todos os desejos e aspirações do grupo através do grupo no Criador. É assim que conectamos toda a criação, que está concentrada no grupo e atinge a adesão com o Criador. Portanto, primeiro, é necessário alcançar o amor ao próximo, e só então poderemos dizer: “Ouve, ó Israel, o Senhor nosso Deus, o Senhor é um”, segundo a regra: “Israel, a Torá e o Criador são um”, isto é, a pessoa, o grupo e o Criador.

Nós criamos um instrumento para a revelação do Criador a partir do grupo. É semelhante ao binóculo, onde precisamos ajustar a nitidez para ver o objetivo desejado. Todas as nossas linhas de visão devem se concentrar em um ponto para que possamos olhar diretamente para o Criador.

Se inicialmente não visamos ao Criador, não temos nada para nos concentrarmos. Enquanto o grupo estiver fora de foco, eu não vejo o Criador chamado “venha e veja” (Bo-Re) por trás dele. Para “vir” e “vê-lo”, preciso manter tudo junto: eu, o Criador e o grupo focado Nele.

É impossível criar o foco no grupo se eu não imaginar o Criador por trás dele. Caso contrário, não tenho nada para focar, isto é, o Criador deve ser o primeiro. Mas como pode ser possível se concentrar no Criador sem um grupo? Onde vou ajustar a lente? Eu sou aquele que gira a lente, induzindo nitidez.2

Para focar o grupo, devo imaginar o Criador, isto é, as propriedades ideais de doação e amor. Então, tento ver o grupo como um instrumento, uma lupa, binóculo, com os quais dirijo nitidez nessas qualidades, concentrando todas as nossas aspirações nelas. Embora tenhamos desejos diferentes, nós os concentramos em um objetivo, unindo-os em um único desejo e essência.

Nós não nos concentramos em nenhum objeto distante, mas imaginamos o Criador sendo revelado dentro de nós: “venha e veja”. Nós nos concentramos não no próprio Criador, mas em nossos Kelim onde o Criador será revelado. Todo este trabalho visa alcançar a conexão correta de nossos desejos (Kelim) no grupo.

Se nos parece que não há sucesso, significa o contrário. Nós nos tornamos mais próximos e nos aproximamos do Criador e, portanto, revelamos nossa própria desfocagem dentro de nós mesmos com uma resolução cada vez maior. Devemos pedir ao Criador que nos ajude a nos unir, a revelar a crescente semelhança de nossas intenções, apesar das diferenças sempre crescentes nos desejos.3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 30/06/19, A Dezena É Um Todo HaVaYaH
1 Minuto 0:20
2 Minuto 5:15
3 Minuto 21:35

Comente