Uma Pessoa Deve Expressar Amor

laitman_962.2Baal HaSulam escreve que na futura sociedade corrigida, cada nação manterá suas tradições corpóreas porque elas emergiram de diferentes raízes espirituais de 70 nações. Deve haver amor nas relações entre as pessoas, mas sua forma expressa externamente corresponderá à mentalidade de cada nação. Mais importante ainda, uma pessoa deve expressar amor – nisto, ela não segue sua própria opinião e compreensão, mas a percepção de amor de outra pessoa, e ajusta-se a ela. Se eu, um judeu, quiser tratar um francês, para quem a comida mais deliciosa é uma rã, procurarei rãs kosher para ele.1

Somos obrigados a nos unir não por causa do medo do Criador ou do governo, mas por causa da conexão integral revelada cada vez mais na natureza a cada dia. Se nos aproximarmos de tal conexão, nos sentiremos bem, mas se não, será ruim para nós. A natureza exige que nos unamos e não há onde escapar dela.

Hoje existe o medo do perigo do iminente desaparecimento da vida na Terra por causa do aquecimento do clima, dos buracos de ozônio e das altas concentrações de gás metano na atmosfera. Mas tudo isso não vai acontecer, vamos sufocar, mas não vamos morrer. Seremos forçados a passar por todo o sofrimento até cumprirmos os termos da natureza. Se a unidade está embutida na raiz da criação, em seu objetivo final, certamente chegaremos a ela; a única questão é o preço que pagaremos por isso.2

A lei da sociedade do futuro: todos recebem as necessidades existenciais para doar cem por cento de si para servir a sociedade, vivendo em pé de igualdade com todos. Esta é a lei da garantia mútua (Arvut) implementada na forma corpórea. Somos obrigados a isso não pelo sistema socialista ou convicções filosóficas, mas pela lei da natureza, que devemos cumprir. Se não o cumprirmos, será muito ruim para nós e ainda seremos forçados a obedecer, mas apenas recebendo golpes. Temos a oportunidade de andar no caminho da luz (Achishena).

Está previsto que em cinquenta anos a Terra ficará sem vida e queimada: não haverá ozônio, nem oxigênio, nem vida. Mas não devemos nos preocupar com a camada de ozônio – deixe essa preocupação para o Criador. Precisamos cuidar da implementação das leis que somos capazes de cumprir, isto é, a lei do amor ao próximo. Com isso, colocaremos toda a natureza em ordem.

Nos próximos anos, vamos testemunhar como todas as nossas tentativas de normalizar o meio ambiente cuidando de flores, árvores, plantas e do desaparecimento de recifes de corais e proibindo a pesca são inúteis. Podemos decidir que a partir de hoje não faremos nada que possa prejudicar o globo, e amanhã descobriremos mais e mais problemas: a crise financeira, o colapso da sociedade.

A natureza deve nos levar à decisão de nos unirmos. Portanto, vamos sufocar sem oxigênio, queimar sob buracos na camada de ozônio, sofrer de erupções vulcânicas e furacões, a fim de perceber que não há escolha, que somente através de nossa conexão podemos acalmar a natureza.

A humanidade é o mais alto nível de existência na natureza. Estamos todos conectados juntos e, se alcançarmos o equilíbrio no nível humano, todos os outros níveis se equilibrarão automaticamente, de cima para baixo. Mas se o ódio e a confusão reinarem em nosso nível superior, não importa o quanto investimos nos níveis inferiores tentando preservar o meio ambiente, nada ajudará. Não importa quantos comitês abrimos ou quanto dinheiro investimos, tudo será inútil. Só uma coisa ajudará: a garantia mútua entre nós, a correta educação social.3

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 19/06/19, Construindo a Sociedade do Futuro
1 Minuto 10:40
2 Minuto 12:40
3 Minuto 17:00

Comente