Sucesso Real: Trazer O Conhecimento Do Criador Para O Mundo

laitman_963.1O povo de Israel retornou à terra de Israel, mas se ainda estamos sobrecarregados de pensamentos sobre realização corpórea: comida, sexo, família, dinheiro, poder e conhecimento, que absorvem toda a nossa atenção e obscurecem nossa visão, ainda estamos no exílio. A vitória de Israel na Guerra dos Seis Dias de 1967 nos deu um forte golpe porque inesperadamente adquirimos território e população adicionais para os quais estávamos despreparados, e não sabíamos como lidar com isso.

Isso levou a uma grande estagnação em nosso desenvolvimento tecnológico, uma vez que adquirimos muita mão-de-obra barata e não-especializada, e não precisávamos desenvolver novas tecnologias na construção civil e em outros campos. Isso realmente nos atrasou. Demorou muito tempo para superar esse golpe e começar a desenvolver tecnologia e um novo estilo de vida sob essas novas condições.

A Guerra dos Seis Dias foi um grande golpe para Israel porque estávamos orgulhosos demais do nosso sucesso e força. Deveríamos ter alcançado a revelação do mal, mas isso ainda precisa acontecer. Toda a história do Estado de Israel demonstra como o Criador nos ensina, repetidas vezes, que todos os nossos sucessos, conquistas, riqueza e inteligência não nos ajudam. Como resultado, ainda nos vemos como ovelhas cercadas por lobos sem nenhum lugar para se esconder.

É isso que toda a nossa história nos ensina, e logo sentiremos que o mundo inteiro está em armas contra nós. Hoje nos sentimos no topo devido ao nosso poder tecnológico. Mas isso é apenas para nos elevar à altura, como se estivéssemos em uma montanha-russa, e depois nos empurrar para baixo. Será uma atração muito dura porque o mundo inteiro mergulha na escuridão e fica desequilibrado nessa descida. Ele não tem sistemas de amortecimento para os enormes saltos em finanças, relações internacionais, etc. Isto está no fundo de uma interdependência global completa de cada um sobre todos. A situação é muito alarmante.

De acordo com a conexão entre raiz e ramo, não há melhor lugar para correção do que a Terra de Israel. Portanto, somos obrigados a trabalhar aqui. Jerusalém, Safed e Tiberíades são todas zonas de especial influência espiritual. Portanto, não há dúvida de que é mais fácil implementar a correção na Terra de Israel.1

Baal HaSulam escreve sobre a divisão no povo de Israel que levou ao colapso do Segundo Templo: a disputa ideológica entre fariseus e saduceus com relação à necessidade de trabalhar para o Criador. Mas hoje em dia, não há outra luta exceto por um lugar na liderança, por poder, dinheiro e pronto. Estamos no final do processo de descida das gerações. Portanto, em nossa geração, não há mais uma luta ideológica, mas simplesmente todos lutam por sua posição, por sua influência sobre os eleitores. Isso não tem nada a ver com ideologia, e os Cabalistas não participam disso.

Hoje chegamos ao último ponto na descida das gerações. Não há lugar mais baixo para ir – o que resta é apenas a guerra mundial e a crise global. Não há escapatória; agora temos que encontrar um jeito de subir. A única coisa que precisamos entender é de onde vem, ou seja, qual é o propósito, aonde nos leva, e o que deve ser feito para usar tudo o que acontece para o benefício do povo de Israel (se é realmente Israel, ou seja, aspirar ao Criador).

Isso nos levará à realização do mal a partir da qual entenderemos o que deve ser o oposto, o bom estado, e como alcançar esse bem precisamente de dentro do mal. Estamos cientes da necessidade de nossa conexão e do cumprimento do dom que recebemos: a Torá, a ciência da Cabalá, o método da unidade. Não há nada maior que a unidade. Todos os slogans sobre “ame o seu próximo” devem estar praticamente incorporados em nós hoje.

Nosso egoísmo é o único inimigo que nos impede de alcançar uma boa vida corpórea e rouba nossa vida eterna e espiritual de nós. Por causa do egoísmo, nascemos como animais e vivemos e morremos como animais. Nosso corpo morre e se decompõe sem que tenhamos desenvolvido uma alma, e acontece que nossas vidas foram vividas em vão.

A vida é dada para desenvolver uma alma durante a nossa existência neste mundo corpóreo. A alma é uma parte da Divindade de cima e, portanto, é eterna. O desejo de doar ao próximo, que está fora dos meus interesses pessoais, é ser como o Criador e, portanto, é eterno. Precisamos desenvolver esse desejo o máximo possível.

Devemos entender que estamos voando sobre a montanha-russa, na descida mais íngreme com uma parede no final em que colidiremos. Então vale a pena pensar em como escapar deste holocausto global, quando todas as nações do mundo se voltarão contra Israel.

A salvação está somente na unidade do povo de Israel, em sua prontidão para se unir a fim de dar unidade a toda a humanidade. Devemos estar o mais próximo possível da doação, pelo menos no mundo corpóreo. Isto implica assistência mútua, distribuição justa e todas as condições da sociedade futura, mesmo que seja por razões egoístas. Se não fizermos isso, será muito ruim para nós. Não queremos trazer o mundo para tal sofrimento físico – seria melhor se esta decisão viesse como resultado da realização do mal antes que o golpe viesse.2

A crise dentro do povo de Israel reside principalmente no fato de que ninguém sente que está no exílio. Pelo contrário, todos consideram isso como liberdade, porque Israel é um país forte e próspero. Tudo é ótimo e temos o que nos orgulhar. Eles não entendem que esses não são os parâmetros pelos quais Israel deve ser medido. Isto não é sobre o sucesso corpóreo. O estado em que Israel existe agora é chamado de “destruição”.

Parece que tudo está bem e Israel é o país das mais avançadas tecnologias de ponta. Mas nós existimos dentro da natureza, que é toda fechada e global. A natureza é o Criador e nós agimos contra Ele tanto no sentido espiritual como no físico. Do ponto de vista da espiritualidade, somos completamente opostos ao Criador porque nos comportamos da maneira mais egoísta, pior que tudo.

Nosso desejo de desfrutar é tão desenvolvido que conseguimos ultrapassar o mundo inteiro. Mas, na verdade, recebemos o poder para ter sucesso exatamente da maneira oposta: servir ao mundo inteiro, doar, ensinar e tornar-se um canal de conexão entre o Criador e os seres criados. Em vez disso, usamos nosso egoísmo para desenvolver hi-tech e extrair tanto dinheiro quanto possível para capitalistas e para armamentos. Enquanto isso, as crianças são negligenciadas e as famílias estão sendo destruídas. Esta é uma abordagem completamente errada porque estamos indo contra o programa geral da natureza.

Dia após dia, nos tornamos cada vez mais distantes da natureza comum e, portanto, perderemos em todos os aspectos. Em primeiro lugar, isso se relaciona à natureza geral, isto é, à ecologia e à atitude das nações do mundo em relação a Israel. Nós sentimos como o antissemitismo está crescendo diariamente, cruzando todas as fronteiras, e estamos nos tornando cada vez mais “um povo obstinado”, na verdade vivendo não na Terra de Israel, mas no Egito, escravizados pelo faraó.

Nós nos tornamos muito bem-sucedidos no desenvolvimento de todos os valores corporais do mundo: em alta tecnologia, armamentos e economia, usando nossas qualidades egoístas e inflando-as a tal ponto que nos tornamos os primeiros a usar o egoísmo. Acontece que chegamos ao estágio do Faraó. O sofrimento inevitavelmente virá em breve porque construímos esse mundo. No entanto, podemos transformar este iminente tsunami em uma onda suave e benigna. Não será uma onda de tsunami que derruba o mundo inteiro e afoga todos, mas uma onda positiva de, por exemplo, chocolates e flores.

Vamos começar com a realização do mal e deixar de nos ver como bem-sucedidos. Por causa disso, nos encontramos em um buraco profundo. Israel é obrigado a dar ao mundo o método de correção, o conhecimento do Criador e levar todos ao estado final corrigido.3

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 30/06/19, Escritos do Baal HaSulam, “Exílio e Redenção”
1 Minuto 08:20
2 Minuto 36:00
3 Minuto 1:04:20

Comente