Meus Pensamentos No Twitter 28/07/19

Dr Michael Laitman Twitter

O mundo só pode ser corrigido através da unificação da nação de Israel, da qual a qualidade da unidade se espalhará para o mundo inteiro. O mundo está precisando cada vez mais disso – e, portanto, o antissemitismo está crescendo. A unidade é a Torá de Israel. A redenção é a saída do egoísmo, do ódio em amor.

A condição de sermos libertados de nossa natureza, o egoísmo, o único mal no mundo, sair do exílio dentro dele, é para nós revelarmos seu mal precisamente nele: a revelação do mal.
Os judeus não podem escapar de sua missão – assim como eles saíram do egoísmo por conta própria no passado, eles retornaram a ele para arrancar todas as nações!

O mundo de hoje está passando pela percepção do egoísmo da humanidade (o governo do Faraó) como prejudicial a todas as nações. O objetivo da existência do Estado e do povo de Israel deve ser revelado a fim de revelar a Cabalá como o único método de correção do mundo. É por isso que existe a organização BB [Bnei Baruch]!

A qualidade da natureza, o egoísmo, chamado Faraó, deve reconhecer a necessidade de sua própria mudança para a qualidade oposta – o altruísmo, chamado Criador. A transformação gradual da recepção em doação é chamada de execução de um mandamento.
Esse entendimento deve ser revelado em todo o mundo!

Faraó – o próprio egoísmo abre a saída dele – o Egito, da escravidão da existência no egoísmo. Nossa natureza egoísta deve se convencer de seu próprio mal, dano – e da necessidade de adquirir a qualidade do Criador que é oposto a ela.
Essa é a medida em que precisamos disseminar a essência e a meta da Cabalá!

Baal HaSulam, “Shofar do Messias”: a condição para a redenção do mundo do mal do egoísmo é o reconhecimento das nações da “Torá” como o método de unidade: “E a Terra será preenchida pelo conhecimento”. Da mesma forma, o êxodo de Egito – o egoísmo aconteceu porque “o Faraó – o egoísmo, reconheceu o Criador e a correção” – e permitiu a saída de si mesmo.

Do Twitter, 28/07/19

Comente