Prisão Não É O Que Reforma Um Estuprador

laitman_283.02Pergunta: Seus leitores do Instagram estão perguntando: “Como podemos aceitar o mal?” Você respondeu: “Não há mal. O mal simplesmente aponta para uma pessoa que ela não alcançou a perfeição no bem.

Isto é, o bem oculto é sentido como mal. É sentido de maneira aguda, de modo que a pessoa atente para que outras possibilidades existem para ela corrigir essa propriedade e transformá-la em boa”.

Um de seus leitores está perguntando: “E quanto ao estupro? Comportamento anormal em nossas conexões?”

Resposta: Isso é egoísmo, é excesso. Claro, isso é mal. Mas o egoísmo deve ser corrigido e então não haverá mal algum. Isto é, esta é uma atitude incorreta em relação ao outro. A intenção em relação ao outro é apenas intenção. Se ela adquire uma forma positiva ou negativa, temos que discernir e corrigir o “menos” em “mais”. Mas a intenção em si não pode ser mudada. Em outras palavras, não podemos castrar um estuprador; precisamos reformá-lo.

Pergunta: Mas como?

Resposta: Como fazer isso é outra coisa. Ações não vão mudar o mundo. Temos que nos aprofundar na raiz do problema, em por que algumas pessoas tratam outras pessoas dessa maneira e corrigir essa direção, ou em outras palavras, sua intenção. É com isso que a ciência da Cabalá lida.

Pergunta: Suponha que alguém comete violência contra os outros. O que significa corrigir sua intenção, que as mesmas ações da mesma pessoa sejam benéficas para os outros?

Resposta: Ela pretendia magoar os outros? Não, queria se satisfazer. Então, deixe-a realizar-se através de diferentes ações: atos de bondade para com os outros. Ela precisa ser corrigida, reformada e educada de forma diferente.

Ela então receberá o mesmo prazer, até mesmo um muito maior do que teria sentido enquanto perpetrava violência. A Cabalá pode dar-lhe um prazer que é 620 vezes maior. Em vez de violência, serão atos de bondade para com outra pessoa, pois essa pessoa estará desfrutando disso junto com ela.

Pergunta: O que explica essa transformação em uma pessoa?

Resposta: A força superior, a luz superior. Essa não é uma questão simples. O estuprador também não pode fazer muito a respeito. Uma pessoa deve ser mudada, reeducada.

Pergunta: Mas o que pode ser feito?

Resposta: Pelo menos, não a aprisione. De acordo com a Torá, não há conceito de prisão. Não há conceito de “isolar alguém da sociedade”. Para isolá-lo – havia seis cidades de refúgio. É aí que uma pessoa seria reeducada.

Pergunta: O que acontece com uma pessoa quando sua intenção muda, quando sua atitude em relação aos outros muda? Em que nível esta mudança ocorre: química, psicológica?

Resposta: No nível espiritual. No nível mais alto e mais interno. Ela tem que mudar sua atitude, sua compreensão de onde ela está: em uma sociedade, no mundo, sua atitude em relação à vida e à morte, em direção a todo o universo, tudo tem que mudar dentro dela. Essa correção ocorre sob a influência da luz superior.

Pergunta: Suponha que um estuprador queira mudar sua atitude …

Resposta: Mesmo que ele não queira mudar, nós gradualmente o influenciaremos de tal forma que ele deseje mudar a si mesmo e será mudado.

Pergunta: O que significa influenciá-lo de tal forma que ele mude?

Resposta: Através de exemplos, educação. É um sistema educacional que tem que influenciá-lo por um longo período de tempo. As pessoas que eram condenadas às cidades-refúgio não podiam sair. Se uma pessoa matasse ou prejudicasse alguém, ela poderia encontrar um refúgio lá, entregar-se e admitir seu crime, e então as sociedades nas cidades-refúgio iriam trabalhar nela.

Ela era influenciada de tal maneira que a luz superior poderia afetá-la. Ela deve se colocar sob a influência da luz superior. Uma pessoa não pode fazer isso sozinha, ela é completamente corrompida. Portanto, ela é ajudada de tal maneira que a luz superior começa a afetá-la.

Como isso é conseguido? Pela inclusão na sociedade. O coletivo trabalha em atrair a luz superior, e a pessoa, estando na sociedade, quer goste ou não, recebe uma porção da luz superior através dela, e a luz superior a reforma.

De KabTV, “Notícias com o Dr. Michael Laitman” KabTV 28/02/19

Comente