Preparação Para O Encontro Entre O Criador E A Criação

laitman_963.1A última geração começa do mundo inteiro transformando-se em uma pequena aldeia, em um único sistema. No século XXI, o mundo chegou a um estado em que todos dependem de todos.

Essa dependência é desagradável, onerosa e é percebida como uma manipulação da elite financeira sobre nós, mas, no entanto, o mundo se fechou em um círculo e, portanto, somos chamados de última geração.

O mundo começou a operar como um mecanismo global e, embora esse mecanismo seja corrompido, agora temos a oportunidade de corrigi-lo em um bom mecanismo. Afinal, ele já revelou seu mal e expôs suas más conexões que nos enredaram de todos os lados e age em nosso detrimento. O sistema está até mesmo saindo do controle das autoridades, uma explosão financeira em escala global está se formando.

Após milhares de anos de desenvolvimento, o sistema finalmente atingiu a interdependência global. Agora surgiu um novo problema: como podemos nos corrigir; é impossível tolerá-lo por mais tempo. O egoísmo está se tornando tão global que não nos deixa esperança para o futuro.

Se entendermos isso, sentirmos e aceitarmos seriamente nossa missão, devemos nos corrigir o mais rápido possível na dezena, a fim de influenciar positivamente o mundo a partir dela. Aqueles que supostamente governam o mundo são muito fracos em relação a nós.

Eles não têm oportunidade de influenciar outra coisa senão os sistemas fictícios e artificiais que construíram para si mesmos: um sistema financeiro que não tem base real, um sistema industrial com 90% de seus produtos que ninguém precisa, etc.

Se dermos ao mundo uma pequena iluminação de nossas correções, ela fará grandes mudanças nele para melhor. Portanto, precisamos saber o que está acontecendo no mundo e incluir seu estado em nossa oração.

Não podemos nos corrigir para o nosso bem-estar; seria uma ação egoísta, e para o bem do Criador, também não podemos ser corrigidos porque Ele não precisa de nossos favores. Toda correção deve ser feita apenas em relação ao mundo.

Se corrigirmos o mundo, criaremos um vaso que o Criador possa preencher e desfrutar. Este vaso é o corpo da alma comum, e nós somos apenas a cabeça que deve organizar este encontro entre o Criador (a luz) e o desejo (o corpo do Partzuf). Nós estamos no meio, como uma cabeça; esta é nossa missão. Portanto, só podemos pensar no mundo e absorver seus problemas.1

O Dia em Memória do Holocausto é mais relevante hoje do que nunca. A situação se inverteu: hoje é mais perigoso para um judeu viver na América ou na Europa do que em Israel. Afinal, ele não pode se defender lá. Os judeus no exterior sofrem e estão em perigo, enquanto uma crescente serenidade reina em Israel. Estas são as duas formas de indiferença características dos judeus: estando entre os inimigos, eles não se sentem em risco, e aqueles que estão longe do perigo, fora da diáspora, não são apenas indiferentes ao que está acontecendo lá, mas em geral não querem ouvir sobre isso ou apoiar os judeus no exílio.

A mesma coisa estava acontecendo antes do Holocausto, quando nenhum dos judeus ao redor do mundo interveio no que estava acontecendo na Alemanha. Os judeus americanos não queriam aceitar um navio com judeus que fugiram da Europa e os enviaram de volta para a Alemanha, diretamente para Auschwitz. Nada mudou desde então, e hoje, os judeus israelenses não se preocuparão com os judeus na América.

Como os judeus americanos não cuidaram dos judeus europeus, os israelenses não se preocuparão com os judeus em outros países do mundo. Eles dirão: “Se eles se sentem mal lá, deixe-os vir para cá. Pelo menos, não vamos expulsá-los como os americanos fizeram no passado”.

Quando os nazistas chegaram ao poder na Alemanha, no começo eles colaboraram com os líderes do movimento sionista, e todos os judeus europeus poderiam ter sido enviados com segurança para Israel. A Alemanha estava pronta para contribuir com isso e prometeu apoio financeiro aos que se mudassem para Israel. Mas os judeus não queriam deixar a Alemanha para trocar “o país mais civilizado” pela pobre Palestina. Então, a atitude dos nazistas mudou para o oposto: no momento em que os judeus se recusaram a deixar a Europa e ir para Israel, eles se transformaram de simpatizantes em antissemitas. Essa mudança drástica foi feita de cima; hoje precisamos aprender a lição da história.

Mas hoje em dia, a correção final do mundo inteiro deve acontecer, de modo que o principal é cuidar da nossa união e encontrar uma maneira de escapar de um lugar para outro. Tudo depende de quando, de que forma e com que rapidez alcançaremos a união. Dependendo disso, pode ser que os judeus não tenham que procurar um abrigo em Israel enquanto fogem de outros países.

Mas não há dúvida de que Israel será o lugar mais seguro se o povo de Israel entender que devem ser Yashar-El (direto ao Criador), isto é, unidos. Se não, então pode ser o mesmo aqui como em todo o mundo, e pior ainda. Portanto, o Dia em Memória do Holocausto é um símbolo muito relevante para o presente.2

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 30/04/19, Lição sobre o tópico “Construindo A Futura Sociedade”
1 Minuto 1:40
2 Minuto 7:50

Comente