Meus Pensamentos No Twitter 30/05/19

Dr Michael Laitman Twitter

A pessoa deve acreditar acima da razão e imaginar que mereceu a fé, a sensação do Criador, de como o Criador governa o mundo com bondade. Quando ela sente falta de razão, deve trabalhar acima da razão, como se já sentisse razão.
Assim, ela adquire a importância do objetivo e recebe a força vital – a alegria de estar perto do Criador.

A concepção no mundo superior acontece quando uma pessoa se anula, como um embrião em uma mãe, e o superior a corrige nessa medida. O egoísmo se anula em relação à Bina e não tem desejos próprios. Isso significa que ele pode ser nutrido diretamente, pelo que a mãe, Bina, é nutrida. Não há perguntas, a boca está fechada e a pessoa avança pela fé acima da razão.

A entrada na espiritualidade acontece anulando a si mesmo, ao amor por si mesmo, Malchut, o desejo de receber para si mesmo e a entrada no desejo de doar, a qualidade de Bina. Neste estado, a alma se adere ao Criador mais uma vez. Essa completa autoanulação é chamada Ibur, criação da alma no mundo superior, no Criador.

A pessoa deve estudar a Torá, ou seja, a correção, nos estados do dia e da noite – sentindo a perfeição e seu oposto, para agradar ao Criador. Se houver uma diferença entre os estados do dia e da noite, isso significa que há qualidades não corrigidas. Devemos nos alegrar por eles serem discernidos e aspirar a valorizá-los em igual medida.

Quando a pessoa desconsidera o trabalho do Criador, não tendo energia para fazer o trabalho além de recebê-lo do Criador, a fim de aceitar seu domínio cegamente acima do egoísmo, ela deve se alegrar que tenha egoísmo, algo para dar ao Criador – e preferir este trabalho em uma sensação de escuridão, acima de estados de luz.

Vinte de meus alunos de todos os Estados Unidos se reuniram esta semana para um dia repleto de treinamentos. Enquanto eu estava voltando para Israel, eles se reuniram para trabalhar em como disseminar a mensagem de unidade para o povo dividido da América.

Os judeus assimilam na sociedade europeia que está se afastando dos valores de garantia mútua que constituem a base do povo. Após 500 anos de prosperidade na #Espanha, uma ordem de deportação foi assinada ordenando os #Judeus a deixarem a Espanha. Os judeus ficaram chocados.
Mas uma coisa boa resultou da #expulsão: os judeus finalmente se reuniram em #Israel e o método de conexão foi descoberto no mundo.

Entre os séculos IX e XIII, durante a prosperidade da diáspora judaica, os judeus espanhóis estavam no auge. Este não foi um fenômeno positivo – é a “Idade de Ouro” da separação. # Antissemitismo

Foi maravilhoso ver a união de amigos na Convenção de 2019 na América do Sul e do Norte. Horas depois da última lição – nunca e em nenhum lugar antes sentiu-se um anseio tão íntimo pela unidade! Essas impressões são eternas! Obrigado!

O progresso na espiritualidade depende da conexão com o Criador. A inclinação ao mal é ajudada pela resistência, ajudando a desenvolver a força de atração. Devemos, portanto, respeitar o egoísmo, percebendo que ele nos ajuda, como halteres para fortalecer os músculos.

O Criador criou deliberadamente a inclinação ao mal para que as pessoas pudessem superá-la e trazê-la à bondade. Ele coloca deliberadamente obstáculos contra nossa unidade, e devemos procurar maneiras de transformá-los em bondade.
Nós nunca devemos amaldiçoar nosso egoísmo, já que é a força do Criador, enviada para nós na forma de uma perturbação.

A pessoa que deseja alcançar o Criador é descrita  como aquela que sitia uma fortaleza. A parte principal é “Hoots Mi Tse” – qualquer coisa além de deixar os esforços!
O resultado se tornará aparente muitos anos depois: a percepção de que a atitude de uma pessoa em relação aos outros é a base do relacionamento da pessoa com o Criador. O coração vai suavizar e aceitar o amor pelos outros. Revelação!

O Livro do Zohar diz: “Antes de merecermos a Torá com a ajuda da luz, a transformação do nosso ego, o desejo de doar, fechaduras fortes mantêm a porta do Criador fechada”. Eu sinto isso como a rejeição das pessoas por mim. Somente superando as rejeições é que se abre gradualmente a porta para os corações e para o Criador.

Nós aspiramos a tudo que não seja o Criador, doação! Portanto, o amor pelas criaturas é um estágio necessário para atingir o Criador através da equivalência. É por isso que se chama a principal lei da Torá. Se a pessoa estuda a Torá, ela estuda como amar as criaturas. E como ensinar ao mundo a amar o Criador. Sempre verifique o que você está estudando!

Do amor ao próximo, a pessoa chega ao amor pelo Criador – e de nenhuma outra forma. Aquele que espera evitar os outros e estabelecer uma conexão pessoal com o Criador está errado. Cada um de nós é um fragmento do vaso quebrado da alma de Adam Rishon. É impossível que um fragmento egoísta aspire ao Criador.

Tornar-se como o Criador significa deixar de pensar em mim mesmo – se eu existo ou controlo algo. Todos os meus pensamentos são sobre o Criador e, portanto, sobre os outros, doação. Para se tornar como o Criador, você deve ajudar os outros a se aproximarem do Criador. Destaque-se, junte-se à dezena – e você será bem-sucedido.

Do Twitter, 30/05/19

Comente