Meus Pensamentos No Twitter 13/05/19

Dr Michael Laitman Twitter

Para entrar na espiritualidade, a pessoa precisa desenvolver seu Reshimo, a centelha, em um Partzuf. O crescimento acontece a partir de uma sensação de alegria, embora a pessoa revele o quão longe está do Criador, e precisa da luz para desenvolver o embrião do Partzuf.

Se você está na intenção de doar, qualquer estado é perfeito, mesmo que o Criador deseje deixá-lo neste estado para sempre. Combinar o desejo do Criador é estar em um estado de perfeição. Mas se há uma diferença entre o desejado e o real – até este ponto você diverge do Criador

A pessoa precisa imaginar que está em completa doação, em um mundo preenchido pela luz do Criador. Embora ela veja o oposto, deve imaginar a verdade, em vez do mundo que vê, distorcido por seu egoísmo. Ela precisa agradecer ao Criador por sentir a grandeza do que Ele criou e do trabalho que lhe foi concedido fazer.

O Criador e eu somos opostos em nossas qualidades. Por isso eu sinto o mundo como ruim. À medida que ele se desenvolve, meu egoísmo retrata o mundo para mim como cada vez pior. O Criador é absoluto – eu sou aquele que precisa mudar, aproximando-me Dele com minhas qualidades. É por isso que a Torá foi dada – a luz da correção, dos meus desejos e pensamentos.

O desenvolvimento espiritual é independente de nossos sentimentos e pensamentos do ego (fé acima da razão). O Criador deseja que sintamos o mundo como o sentimos, mas nos sintonizemos como se ele viesse do Criador absoluto. Isto é, para mudarmos a nós mesmos de modo a sentirmos o mundo como perfeito. Isso é chamado de percepção da qualidade de doação.

No trabalho espiritual, é melhor estar em um estado pequeno do que em um estado grande, porque:
1. Há menos risco de despertar desejos e pensamentos egoístas;
2. Damos ao Criador mais prazer ao estarmos devotados a Ele nos estados pequenos.

Uma pessoa é um dispositivo para medir o Criador e, como qualquer dispositivo de medição, deve ser ajustada, calibrada. Inicialmente, ajuste-se ao zero e, do zero, estude e meça seus estados – e assim avance. O zero é o começo da escada espiritual.

Para medir quão similares são as minhas qualidades em relação ao Criador, eu tenho que definir a “escala a zero”. Como o Criador confere bondade absoluta ao mundo, eu devo me imaginar como estando nesse estado. Isso é possível apenas restringindo todos os meus desejos. Esta é a restrição, Tzimtzum Aleph.

Do Twitter, 13/05/19

Comente