Mapa Do Destino

laitman_448No calendário judaico, existem correlações especiais entre as datas. Isso ocorre porque o sistema espiritual tem um instrumento chamado Zeir Anpin (ZA), que é vestido por Malchut, e a luz de Bina entra nele de cima.

Zeir Anpin tem aberturas ou buracos particulares, através dos quais brilha até Malchut. Quando algum buraco corresponde ao receptor, Malchut, a alma, a luz entra nele, e isso é chamado de “Mazal” – o destino de uma pessoa.

Existem correlações especiais entre dias e noites e entre vários tempos. Por exemplo, algo que pode ser feito em um determinado dia e hora da noite, também pode ser feito em um dia diferente em um horário diferente, e os resultados serão praticamente os mesmos.

Nós vemos até que ponto somos afetados pela luz de Bina. De acordo com Zeir Anpin e Malchut, cada vez nos colocamos em um novo destino.

No judaísmo, as tabelas astronômicas foram reunidas há muito tempo. Colombo, Newton e outros cientistas famosos, assim como viajantes, as usaram. O próprio Abraão foi um grande astrônomo e astrólogo.

Durante os tempos de Abraão, a astrologia não era como é hoje. Baseava-se em uma conexão clara entre a localização das estrelas, a Lua, a Terra e o Sol em relação a cada pessoa, em relação à alma, levando em consideração quando ela foi concebida, nascida e assim por diante.

Se soubéssemos tudo isso, saberíamos o que acontecerá com cada pessoa e como elas agirão – seu destino seria conhecido. Não havia necessidade de adivinhação – este é o mapa do nosso destino.

Da Lição de Cabalá em Russo 30/12/18

Comente