Progresso Na Sua Própria Velocidade

laitman_962.2Cada um progride na sua própria velocidade e estilo, e passa pelas próprias etapas específicas. Não há necessidade de se preocupar com isso, a pessoa não sabe por que sua alma está sendo corrigida de tal maneira, elevando-se do estado oposto. Quanto maior a alma antes da quebra, pior fica no estado da quebra e mais alto se eleva após a correção, retornando ao seu lugar.

Isto é o que é dado a uma pessoa. O Criador a criou com uma alma de certa altura, e Ele organiza condições apropriadas para a pessoa: pensamentos, sentimentos e um ambiente. Todas as condições se originam da quebra da alma. O Criador não considera ninguém pessoalmente, mas olha para a alma geral quebrada que precisa ser corrigida. A quebra deve ir até o limite mais baixo para iniciar a subida.

Cada um começa a subir, como na parábola do rei que convocou seus súditos para transferir seu tesouro para outro lugar e deu a cada um deles uma moeda. Cada um carrega sua parte, com suas propriedades internas, condições de saúde, ambiente e vários obstáculos ao longo do caminho. Ele fica doente, vai para a prisão, recebe uma promoção ou ganha um milhão de dólares em uma loteria. Todos superam seus próprios obstáculos, tudo é organizado antecipadamente.1

Não há necessidade de se preocupar com os estados pelos quais passamos como se eu fosse responsável por eles. Eu sou o único responsável por atrair a Luz neste momento. Tudo o que foi e será, foi e será organizado pelo Criador. Todos os meus passos já são conhecidos. É apenas a qualidade dos passos que é desconhecida. Eu tenho que passar do ponto A para o ponto B, mas posso andar de carruagem puxada por cavalos, em um trem, andar ou apenas engatinhar.

A velocidade depende de mim, mas tenho que passar por todos os estados que já estão pré-definidos. Há pessoas que antecipam eventos futuros. E daí? Eu não lhes peço por previsões porque não quero pensar no que vai acontecer comigo. Tudo o que importa para mim é até que ponto fico aderido ao Criador a todo momento. Além disso, nada importa: ou me levanto ou caio, ou sou jogado em todas as direções; o Criador cuidará de mim.

Todos os obstáculos já foram construídos no meu caminho de acordo com a minha alma, e eu tenho que passar por eles; caso contrário, não irei corrigir minha alma e não me elevarei. Portanto, não devem ser considerados infortúnios. Essas perturbações serão reveladas e, acima de cada perturbação, terei que me aderir ao Criador. A única perturbação é a separação do Criador. Em cada estado, eu me preocupo apenas em como me aderir a Ele mais fortemente, atribuindo todos os estados e todas as salvações ao Criador.

Não são os estados em si que são importantes para mim, mas minha atitude para com eles: em que medida eu justifico o Criador neles e sou solidário com Ele. O Criador me assusta apenas para que eu me apegue a Ele e O justifique ainda mais.

Portanto, eu não temo o futuro, não importa o que aconteça. Eu temo apenas uma coisa: se terei o poder de me unir ao Criador e me aderir a Ele, como um bebê que se agarra à sua mãe como se quisesse se esconder em sua barriga.

Eu tenho que fortalecer minha fé, isto é, atribuir tudo o que está acontecendo em meu mundo ao Criador. Não há outra fonte. Tudo acontece apenas para que eu possa conectá-lo com o Criador em meu coração e mente. A inclinação ao mal, o Faraó, é isso que quer me separar do Criador, da única causa de tudo o que aconteceu.2

Se fosse óbvio para mim que tudo vem do Criador, a fé seria desnecessária porque haveria conhecimento claro. Eu tenho que estar em contato com o Criador que me puxa pelas cordas como uma marionete. É assim que me torno um anjo completamente controlado, como um cavalo ou qualquer outro animal. Portanto, por um lado, eu quero permanecer separado do Criador, e ao mesmo tempo me conectar com Ele por meu próprio esforço acima da restrição, acima da ocultação, como se não houvesse ocultação ou restrição. Isso, eu “como se” desperto por mim mesmo, e é chamado de “Luz que Reforma”.

Se o rei quer verificar até que ponto o escravo é dedicado a Ele, Ele finge que sua vida está em perigo. É assim que é possível verificar se o escravo está pronto para sacrificar sua vida para salvar o rei. Portanto, antes de mais nada, precisamos adquirir a Luz da fé na qual a adesão com o Criador, a Luz de Hochma, a Luz do conhecimento, é alcançada.

O conhecimento não pode estar acima da fé porque não é a fé que conhecemos em nosso mundo. Fé acima do conhecimento é a disposição de doar tudo sem qualquer razão. O que é exigido de nós é devoção, em troca de quê? Em troca de nada. Primeiro, alcançamos a Luz da fé, da devoção, e só então podemos nos conectar com o Criador.3

A adesão ao Criador dura um momento, mas a pessoa quer se aderir a esse momento para sempre, como se nada mais existisse. Ela atribui todo o passado, presente e futuro ao Criador, vendo Nele a causa e o efeito de todas as suas ações e realizações. E ela mesma permanece apenas um ponto que afirma tudo isso.

O Criador criou a inclinação ao mal e também criou a inclinação ao bem. Uma pessoa só decide que “não há outro além do Criador”.4

Da 1a parte da Lição Diária de Cabalá 26/02/19, Escritos do Baal HaSulam, Introdução ao Estudo das Dez Sefirot, item 17
1 Minuto 0:8:40
2 Minuto 0:14:11
3 Minuto 0:24:30
4 Minuto 0:32:20

Comente