Textos arquivados em ''

Entre Os Amigos

laitman_962.5Se eu quiser me conectar com um amigo, descubro que preciso da ajuda do Criador. Quanto mais peço ajuda ao Criador, mais sinto minha dependência Dele. Na medida em que o Criador fortalece minha conexão com os amigos, eu estabeleço uma conexão com o Criador, começo a entendê-Lo e senti-Lo. Tudo isso é revelado dentro da minha conexão com meus amigos, dentro das relações humanas, não em algum sentimento abstrato do Criador.

Eu sinto o Criador, eu apelo a Ele porque preciso Dele como um mediador entre eu e meu amigo. Eu revelo diferentes tipos de conexão com um amigo, eu atribuo tudo isso ao Criador. Entre eu e meu amigo há uma diferença de potenciais, que a Luz superior, o Criador, preenche, como uma corrente fluindo entre dois polos.

Desta forma, eu alcanço o Criador, isto é, não Ele mesmo, mas Suas ações, como está escrito: “Por Suas ações, nós Te conhecemos”. O Criador constrói e destrói as relações entre nós, rompe-as, levando-nos por todos os estados possíveis, através da escuridão e do mal, fazendo-me chorar e amaldiçoá-Lo. Mas daí vem a percepção, a sensação, a Luz vem, e eu entendo que uma pessoa não pode existir sem a outra porque “… a vantagem da Luz de dentro da escuridão” é revelada. Como resultado de todos esses estados, eu começo a alcançar o Criador. Embora Ele esteja se escondendo, eu começo a distinguir Sua presença julgando pela diferença entre os estados.1

O 613º mandamento é o amor pelo Criador. Podemos cumprir 612 mandamentos, mas não o 613o. O último mandamento vem de cima.

Os 612 mandamentos são a correção da conexão entre as partes da alma quebrada. 612 Luzes colam e fixam os fragmentos quebrados do vaso. O 613º mandamento é um acréscimo ao Kli pleno e completo – a Luz de Yechida – vindo do próprio Criador. Nós mesmos somos incapazes de qualquer ação em relação a este mandamento.

O mandamento espiritual é o ama ao próximo como a si mesmo. Se fizermos isso, chegaremos ao amor pelo Criador. Eu não negligencio os mandamentos físicos, mas o principal é saber o que queremos alcançar com isso. Por exemplo, lavar as mãos significa liberação de receber, após o que toda a nossa vida deve ser somente na doação.2

O Criador está entre todos os amigos. Além disso, é a sensação de uma lacuna, de uma distância entre nós – esse é o sentimento do Criador. Eu olho para um amigo e vejo como ele é diferente de mim, que discrepância existe entre nós, que omissões – este é o Criador entre nós. E se trabalharmos corretamente, vemos que o Criador começa a nos unir, como está escrito: “Um homem e uma mulher, se forem recompensados, a Shechiná [Divindade] está entre eles”.3

Em Adam HaRishon, antes da quebra, não havia inclusão mútua de desejos um no outro. Mas após a quebra da alma comum, todas as suas partes foram misturadas e penetraram uma na outra em um número infinito de variações, o que permite que uma pessoa compreenda profundamente e sinta o Criador.

Antes disso, a sensação do Criador por Adão era “circuncidada”, como se fosse uma criança pequena. Ele não tinha as ferramentas para penetrar profundamente no Criador. E devido à quebra e interpenetração de todas as partes que requerem trabalho em sua correção e pedindo a ajuda do Criador, um homem se familiariza com o mundo interior do Criador e penetra profundamente dentro Dele.

Antes da quebra, Adão recebeu a Luz somente no corpo do Partzuf no nível de Nefesh-Ruach. Mas graças à quebra, podemos elevar a Luz refletida da tela para a cabeça (Peh de Rosh) para cima, como se estivéssemos entrando no Criador. Então a Luz se espalha de cima para baixo até esta altura da Luz refletida, até a altura de atingir o Criador, e nós O alcançamos em nós mesmos. Isto determina a medida de nossa inclusão mútua, fundindo-se com o Criador: na medida em que alcançamos o Criador na cabeça, a este ponto nos unimos com Ele através do corpo do Partzuf espiritual.

E tudo isso começa e termina na conexão entre os amigos. Este é o nosso único objetivo, caso contrário, não será o objetivo da criação, mas algum tipo de substituto. Isso determina nossa atitude em relação à criação e mostra se temos o direito de sermos chamados de última geração.4

A solução está apenas em se conectar nas dezenas. Enquanto isso, não podemos superar a separação entre nós, nossa rejeição mútua. Queremos receber todas as respostas da nossa conexão na dezena. O que quer que aconteça no mundo, eu olho para a dezena e de lá recebo todas as respostas. Eu me organizo dessa maneira e, de repente, sinto que realmente existe um sistema que pode responder a qualquer uma das minhas perguntas.

Tudo o que acontece no mundo e comigo pessoalmente é uma consequência do que está acontecendo na dezena. Essa é uma causa interna, que causa todas as consequências em minha família, no trabalho e em todo o mundo. É necessário apenas olhar dentro da dezena: até que ponto estamos unidos ou nos falta unidade – do que depende o acontece em todos os cantos, como um ramo que vem da raiz.5

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 06/03/19, Escritos do Baal HaSulam, Introdução ao Estudo das Dez Sefirot, item 64
1 Minuto 47:55
2 Minuto 54:07
3 Minuto 59:40
4 Minuto 1:11:00
5 Minuto 1:45:40

Ataque No Grupo

laitman_943Pergunta: Nós podemos criar um ataque no grupo e como podemos fazê-lo corretamente?

Resposta: Um ataque no grupo só é possível quando vocês estão se reunindo com um objetivo, um desejo, uma intenção. Tentem se concentrar o máximo possível entre si para discernir claramente seus desejos e, então, começar a orar e pedir.

Pensem no que devemos pedimos e de que maneira. Tentem formular juntos. De repente vocês vão ver como começam a se entender mais, como seus corações se tornam mais próximos, como quem você são se torna mais claro, o que vocês querem e o que devem pedir.

Falem um com o outro, falem sobre isso e cheguem a uma única conclusão. Tentem ficar com esta conclusão pelo máximo de tempo possível e sentirão como ela muda vocês.

Isto é, vocês não apenas enviam um telegrama para algum lugar e obtêm uma resposta. Vocês estão no sistema do Criador, e no processo deste trabalho, começam a sentir como um relacionamento correto com o Criador, ou um desejo de um relacionamento correto com Ele, mudam vocês. Vocês vão conseguir!

Da Lição de Cabalá em Russo, 04/11/18

Nova Vida # 170 – O Que É Um Funeral Na Espiritualidade?

Nova Vida # 170 – O Que É Um Funeral Na Espiritualidade?
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo:

Quando um homem morre, um grupo de pessoas o acompanha em sua última jornada. Por que é importante acompanhar os mortos, o que é a morte na espiritualidade e o que significa estar enterrado no pó?

Se uma pessoa investiu na totalidade da sociedade, ela tem uma parte eterna nela. Apenas o corpo morre.

De KabTV, “Nova Vida # 170 – O Que É Um Funeral Na Espiritualidade?”, 21/04/13