Meus Pensamentos No Twitter 12/01/19

Dr Michael Laitman TwitterO desejo do homem compreende 613 desejos. Cada um deve ser corrigido da recepção à doação pela luz da Torá, compreendendo 613 luzes, das quais cada uma corrige um dos 613 desejos correspondentes a ela. Após a correção, a mesma luz preenche o desejo que corrigiu – observa um Mandamento.

O Criador criou o homem no desejo de receber sozinho,
mas sob a influência da Torá
o homem adquire a intenção de doar,
tornando-se assim semelhante ao Criador
e começa a sentir o mundo superior do Criador.

Eu não trabalho no meu sentimento e razão. Eu só aspiro a ser incluído no grupo e, através da inclusão, adquirir novos sentidos. Nas conexões com os amigos eu construo o homem, Adam, semelhante ao Criador. Eu não me importo com minhas sensações atuais, já que é meu grau animado.

Está escrito: grande é o ensinamento que leva a ações práticas. A luz obtida pela prática da Cabalá leva a ações práticas: ela retorna a pessoa à Fonte, que é uma ação. Isso significa que a luz cria uma nova estrutura, HaVaYaH, o Templo, no coração da pessoa.

Para transformar um egoísta em homem (AdamEdame, semelhante ao Criador), o Criador dá ao homem todos os estados um por um, opostos a Ele, de modo que de todos os estados (imagens) opostos ao Criador, o homem preferirá o ideal: ser semelhante ao Criador, acima de seu conforto pessoal.

Eu peço para sentir Sua grandeza (fé).
Na medida dessa sensação, eu poderei abaixar e me anular, meu ego; não seguir as instruções do egoísmo que Você criou em mim; mas fazer tudo como Você, em doação e amor, “lishma.
Você criou o ego – e peço-Lhe que o reforme.

Eu gostaria de agir para deleitar o Criador, mas o ego não me deixa!
Se a grandeza do Criador é revelada a mim, eu posso doar como Ele.
Portanto, eu devo me envolver na Torá – para alcançar Sua grandeza.
Daí todas as condições de se envolver na Cabalá, em um grupo unido, etc.…
são para alcançar a grandeza do Criador!

O Criador: “Eu vendi a Torá e Eu mesmo com ela”. Isto é, se você toma a Torá, também toma o Criador, já que é impossível usar a Torá sem o Criador. A Torá pode ser usada como um meio (Tavlin) para corrigir o egoísmo e para ser recompensado em equivalência de forma com o Criador.

Por si só, o estudo da Torá não envolve a Luz Superior, mas apenas deixa a pessoa saber sobre o que foi escrito (Hochma Bah Goim Ta’amin).
O trabalho espiritual (Avodat Hashem) é estudar a Torá por esforços, atraindo a Luz Superior para reformar a intenção de receber para si mesmo…
… Para a intenção de doar aos outros e ao Criador.

Até que a pessoa ganhe a propriedade de doação, Bina, Hassadim, a fé, ela é chamada de goy.
Ela pode alcançar as vestimentas da Torá, mas não o Criador vestido nela. As vestimentas exteriores da Torá são chamadas conhecimento externo, e não a própria Torá.
A #Torá é a realização do Criador, Seu ser revelado.

O egoísmo não permite que o homem aja contra si mesmo, esgotando sua energia.
Mas se o homem deseja agir pelo amor do Criador, ele se concentra apenas na luz do Criador, na correção, como pagamento por todos os seus esforços – apenas por uma chance de doar – e recebe a correção!

Afundando no egoísmo, a pessoa só pode agir pelo seu próprio bem.
Mas se ela age contra si mesma, atrai a luz que reforma que a torna semelhante ao Criador.
No entanto, ela só pode agir contra si mesma se o grupo for obrigado a fazer isso.
Por isso está escrito: “A pessoa não pode sair da prisão, mas pode ser salva pelos amigos!”

Do Twitter, 12/01/19

Comente