Chanucá É A Estação Espiritual Mais Próxima

laitman_285.04Todos os feriados judaicos, dias alegres e tristes, referem-se ao processo espiritual seguido pelo grupo especial chamado Israel. No passado, esse grupo já passou por alguns estados em potencial e agora precisa implementá-los na prática. Estamos nos aproximando desta implementação e, portanto, temos que aprender o que deve ser feito em cada feriado ou dia especial, como está escrito: “As ações dos pais são um sinal para os filhos”.

Alguns feriados foram originalmente estabelecidos através de um despertar de cima e outros foram definidos por pessoas através de um despertar de baixo. Chanucá é um feriado especial que não é mencionado na Torá. Ele vem inteiramente do despertar de baixo, do grau de Bina, dos seres criados que desejam atingir a doação, o estado de pequenez, GE, parando ao longo do caminho (Chanu-ko) antes de continuar.

Depois de adquirir os desejos de doação de GE (Galgalta ve Eynaim), nos movemos para o propósito da criação, para os desejos de AHP. Este feriado é chamado espiritual porque se relaciona aos desejos de doação de GE, ao grau de Bina, diferentemente de Purim onde usamos os desejos de recepção, e assim, os costumes são completamente opostos. Purim refere-se ao fim da correção e é chamado de feriado corpóreo, porque o espiritual desce ao mundo corpóreo, corrigindo e satisfazendo os desejos de AHP.

Chanucá está mais próximo de nós do que Purim e, portanto, é mais compreensível. Podemos imaginar o que é estar em doação, acima do nosso desejo, oposto a ele, agindo acima dele. Portanto, vale a pena estudar os costumes de Chanucá para tentar aproximar-se do grau espiritual mais próximo. Todos os graus espirituais são baseados nesta condição porque cada um deles começa com GE, o estado de pequenez, que é o principal, e o estado de grandeza é apenas uma adição que vem e vai.

Chanucá é um feriado muito especial e nós esperamos que durante a semana de comemoração possamos alcançar este estado, examiná-lo e compreendê-lo.1

Os eventos relacionados ao feriado de Chanucá são contados em uma linguagem alegórica, mas nossa dificuldade é que, em vez de um estado espiritual, imaginamos um corpo corpóreo. Na verdade, trata-se de ações internas e fenômenos em que apenas o desejo e a Luz, o Criador e o ser criado, participam, nada mais.

Se quisermos saber o que está acontecendo dentro de tal estado, a Luz vem e começa a corrigir o desejo, elevando-o ao grau de Bina. Malchut sobe à Bina, isto é, ao grau de Chanucá. Malchut deve subir à Keter, mas faz uma parada em Bina ao longo do caminho.

Em nossa vida corpórea, também celebramos tal estado, porque houve um grupo que começou a se desenvolver na espiritualidade, formado por representantes de várias nações que viviam na antiga Babilônia, e eles se chamavam Israel. Em seu desenvolvimento espiritual interior, eles experimentaram tais estados e relataram sobre eles nas palavras do mundo corpóreo. Agora estamos estudando isso tanto em forma corporal quanto espiritual.

Eles estabeleceram um calendário de acordo com o qual celebramos esses eventos especiais e os chamaram de tradições externas, que incluem acender velas e cozinhar alimentos em óleo.

O feriado de Chanucá dura sete dias porque a correção deve passar por todas as Sefirot do Partzuf: Hessed, Gevura, Tiferet, Netzach, Hod, Yesod e Malchut. Trata-se apenas de desejos interiores.2

O mais importante são os distúrbios e o trabalho neles. É impossível avançar sem distúrbios. Os distúrbios e nossa reação a eles são a única coisa que nos leva ao propósito da criação. Então entendemos que não são distúrbios, mas uma “ajuda contrária”. O progresso só é possível através deo egoísmo adicional, o desejo de desfrutar, devido ao qual caímos, paramos de compreender e sentir, não podemos nos mover e só queremos dormir.

Esses são os próprias distúrbios pelos quais, quando os superamos e de preferência rapidamente com a ajuda do grupo, estamos avançando. Todo o nosso trabalho, nosso desenvolvimento, cada passo à frente ocorre apenas através da revelação de distúrbios. Está escrito: “Mil vezes os justos cairão e se levantarão”.

O avanço é baseado em descidas e subidas. Você precisa ver o distúrbio com antecedência e usá-lo como uma ajuda ao longo do caminho. O trabalho com obstáculos e distúrbios acontece continuamente.3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 02/12/18, Lição sobre o Tópico de “Chanucá”
1 minuto 0:20
2 minuto 1:26:40
3 minuto 1:30:00

Comente