Meus Pensamentos No Twitter 14/11/18

Dr Michael Laitman TwitterNa rede material somos nós que somos importantes. A humanidade pensa que, construindo uma rede dessas, avançamos. Mas toda vez que alcançamos a unidade, revelamos a quebra interior da unidade egoísta – inaugurando a guerra e a miséria. A unidade egoísta é necessária para reconhecer seu dano.

Se a pessoa se lembra da “condição para o apelo correto ao Criador”, que ela não pode pedir para si mesma, já que é egoísta e não para o grupo, ela evoca a resposta “atrasada” do Criador, prejudicando a si mesma. Mas o lado de trás do Criador também ensina gradualmente o apelo correto.

Portanto, cuidado com o apelo ao Criador antes de organizar seu relacionamento com o grupo, busque a si mesmo na unidade, veja todos como um todo. Somente imaginando que você conecta todos os corações, você pode se voltar ao Criador a partir daquele único coração. Essa será a oração certa.

Não pense que a condição “ama o próximo como a si mesmo” é realizada pela luz superior apenas no fim da correção. Todo o nosso trabalho começa com este esforço, e as ações e os apelos apropriados ao Criador são construídos somente sobre ele, através de todos os 125 graus – e Ele o corrige!

Construindo relações de garantia mútua em um 10, começamos a sentir a rede nos conectando, que se transforma em 10 Sefirot, um Parztuf espiritual.
É assim que cumprimos a condição de revelar a Luz superior, a manifestação do Criador na criação, na dezena como em um único todo.

Embora não defendamos a garantia mútua, de cima somos tratados como se a defendêssemos e transgredíssemos, como um só corpo (Partzuf de Adão). Se uma pessoa transgride, todos são responsabilizados, pois todos estão em um barco. Por isso, é preciso sempre pedir por todos e não para si mesmo.

Nosso tempo é caracterizado pela agressão por minorias étnicas, sexuais e étnicas, perseguidas anteriormente, em relação aos seus antigos perseguidores. Isso leva à violência.
A Cabalá aconselha: “O amor cobrirá todos os pecados” – devemos desenvolver apenas o amor. Caso contrário, a ilegalidade e a violência prevalecerão!

Vários países da UE (e Trump!) recusaram-se a assinar o tratado da ONU sobre a migração “ordenada”, uma vez que leva a um influxo de ilegais e mina a sua soberania. Uma coligação formou-se na UE contra a obsessão globalista da Alemanha e da França. Uma guerra de pró e antiglobalistas está chegando.

Antes de Trump, a política dos EUA estava à altura da elite financeira mundial, no controle da economia mundial. Desde 2008, está claro que não podemos continuar vivendo de acordo com as leis dos financiadores. A alternativa: progresso capitalista, produção nacional, deveres.
O que vem pela frente: a vitória de Trump ou a fragmentação da América?

Se não houvesse escuridão, não sentiríamos a luz. Portanto, a escuridão e a luz devem existir simultaneamente, como dois lados opostos de um fenômeno. Caso contrário, não discerniríamos a realidade ou sentiríamos que existimos. Nossa existência é baseada no contraste da luz e da escuridão.

Todos os estados “ruins” durante o dia vêm apenas para nos dar uma chance de discernir a luz em seus antecedentes. A luz é a qualidade de doação, uma boa atitude para com o amigo em prol do objetivo comum e não do lucro próprio. A escuridão para mim é o pano de fundo para discernir luz, unidade, Criador.
Caso contrário, não corresponderemos à rede espiritual e isso nos pressionará e nos levará à união.

A conexão certa sempre vai para/a partir do Criador através do grupo: não diretamente de mim para o amigo, mas para construir o Partzuf da alma dentre dez ou tantos quantos o Criador trouxer ao grupo.
… o lugar da revelação do Criador. Não EM nós, mas ENTRE nós.

Cada um deve pensar apenas na rede comum, no bem-estar do grupo, na responsabilidade pessoal pela conexão de todos. Não há outro trabalho espiritual além do desejo incessante de unir a todos. Essas conexões entre nós se tornarão um Kli
É melhor não pedir nada do que pedir por mim.

Antes de se voltar ao Criador, a pessoa deve resolver suas relações com os amigos no caminho do progresso espiritual.
Se eu me volto ao Criador para mim, um egoísta, eu destruo em vez de construir
Meu apelo causa bem ou mal no mundo.

Nós agradecemos pela escuridão, assim como a luz, já que é uma condição necessária para revelar o Criador às criaturas. Se não superarmos a nossa relutância em nos mover, a decepção, os pensamentos de amor próprio, isto é, a sensação da escuridão como o começo da construção de um Kli, nunca nos tornaremos humanos.

A observância da Torá e dos mandamentos só é possível na medida da unidade; sem unidade, a observância da Torá é impossível. Isso porque a observância da Torá está no desejo e somente na extensão da garantia mútua (Arvut).

Aprecie a escuridão, que leva ao objetivo da criação. Veja a luz no fundo da escuridão.
Escuridão é o que foi criado para discernir a luz. Daí que estados escuros são mais valiosos do que os iluminados. O ego não quer a escuridão e, portanto, devemos ser mais felizes com isso do que com a luz. Não valorize os estados pelo quão agradáveis ​​eles são.

A experiência nos permite, depois de passar pela escuridão, antecipar a próxima revelação da luz.

Podemos reconhecer, discernir e revelar a qualidade da luz do Criador apenas na medida em que alcançamos qualidades opostas da escuridão.
Devemos, portanto, passar por todos os estados de escuridão, opostos à luz.

De forma prática: eu devo discernir a necessidade de uma conexão-doação-amor-Criador.

Toda a sabedoria da Cabalá é sobre como e o que pedir ao Criador.
Eu peço a Ele (oro) por mudanças em mim – este é o trabalho do homem.
O Criador cumpre meus pedidos – este é o trabalho do Criador (Avodat HaShem).

Do Twitter, 14/11/18

Comente