Sefirot Brilhantes

laitman_275Uma Sefira é o desejo de receber prazer que se restringe e se abre para doar a um amigo, isto é, já tem uma tela e reflete a Luz, um cálculo de doação. Na medida em que doa a um amigo, ele é considerado radiante e, portanto, é chamado de Sefira. O desejo é dividido em dez Sefirot que querem brilhar, doar uma a outra e, assim, unir-se para doar ao Criador. Nesta medida, o Criador brilha sobre elas. Então, elas começam a brilhar e são chamados de dez Sefirot .

Podemos trabalhar com estas dez Sefirot em muitos níveis, desde que possamos superar nosso desejo e transformá-lo em radiação, uma fonte de Luz.

Obviamente, eu não posso ser a fonte da Luz, mas na medida em que quero doar, a Luz começa a aparecer em mim e me doa a força de doação. Assim, eu me torno o canal para conduzir a Luz superior aos outros. Todo mundo tem que se tornar um canal desse tipo, conectando o Criador com os outros. É assim que reconstruiremos o sistema quebrado de Adam HaRishon – uma alma comum da humanidade.

Nós pertencemos à última geração, que tem um enorme desejo de receber prazer e que é muito difícil de corrigir. Portanto, resistimos muito a essa correção e alongamos o tempo.

Por outro lado, esse é um processo tão difícil e longo, porque estamos realizando uma correção coletiva. Há muito tempo atrás, uma única pessoa ou um grupo pequeno era o suficiente para se aproximar do Criador, revelar a força superior e alcançar sua correção porque eles estavam se corrigindo. Hoje, no entanto, estamos no início do processo de correção coletiva e, portanto, temos que construir um adaptador de transição de nós mesmos para a humanidade como um todo, para todas as almas.

É por isso que nossa correção é tão vasta e ampla, diferente de qualquer outra na história. É por isso que temos que nos esforçar tanto para a primeira entrada no mundo espiritual.

Acelerar o desenvolvimento espiritual só é possível através da nossa conexão. Além disso, é importante saber por que precisamos dessa conexão, como está escrito: “o fim de um ato está no pensamento preliminar”. Estamos vivendo na era do fim da correção (Gmar Tikkun). Portanto, devemos fazer um movimento em direção a esse estado desejado e, a partir dele, começar a girar a roda para trás e ver o que precisamos fazer agora. No entanto, devemos visar o objetivo final desde o início. O círculo mais largo no final da correção e o mais próximo, com as dez dentro dele, que não são mais um círculo, mas uma linha, tudo tem que estar incluído em um único objetivo.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 27/09/18, Lição sobre o tópico “Sucot
1 minuto 35:22

Comente