Governança Genuína E Imaginária

laitman_290Nós vemos a realidade de dentro de nós mesmos, estando dentro do Criador, dentro da força superior, além da qual não há nada. Nós existimos em tal realidade, envoltos na casca do nosso egoísmo, através do qual vemos algumas outras formas e imagens ao invés do Criador: uma realidade imaginária, um mundo ilusório e evanescente.

Nós devemos tentar neutralizar essa tela obscura que nos confunde, representando que vemos um mundo grande dentro do qual há movimentos, ações, vida inanimada, vegetal e animal, pessoas.

Se a verdadeira percepção nos for revelada, veremos o verdadeiro governo: uma força agindo em todo o universo, boa que faz o bem. Além dela, encontramos um gerenciamento falso e externo, projetado para nos confundir. Afinal, quando nos esforçamos para tentar descobrir a verdadeira governança, vemos várias possibilidades para contornar esse engano e ver a verdade por trás dele, romper as barreiras que estão no caminho e descobrir que tudo isso é feito pela Criador, por uma única força boa, e nada mais.

Não apenas a força superior trabalha ao nosso redor, criando várias imagens, barreiras entre ela e nós, um mundo inteiro de ocultação. Ela também existe dentro de nós, moldando todos os nossos pensamentos, desejos e até mesmo o fato de que estou falando sobre ela agora, sem perceber que isso é orquestrado pelo Criador.

Nós precisamos imaginar, descobrir e começar a viver nesse sentimento até nos identificarmos completamente com o Criador. Todos os distúrbios devem ser percebidos como ajuda para vermos o Criador agindo na realidade: tanto dentro quanto fora de mim. “Eles ajudaram todos os seus amigos” é se encontrar dentro da força superior, tentar descobri-la a cada segundo e perceber que todos os nossos pensamentos, desejos e sensações não vêm de nenhuma outra fonte além do Criador.

O começo desta revelação é chamado de “embrião espiritual”. Uma pessoa se anula, descobrindo que tudo deriva de uma única fonte em que ela existe, como no útero de uma mãe. Nada mais existe.

Assim que alcançamos esse estado, os distúrbios aparecem imediatamente. Ao superá-los e relacionar tudo apenas ao Criador, começamos a avançar pelos “nove meses de gravidez”. É assim que continuamos até o final da correção. Ao longo de 6.000 anos, o desejo não corrigido tem despertado dentro de nós. Corrigindo-o, nós revelamos o Criador. No final, nós chegamos ao fim da correção, estabelecendo em todos os nossos sentidos que “não há outro além Dele”.1

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 05/10/18, Lição sobre o tema “Percepção de Uma Realidade, Uma Única Força” (Preparação para a Convenção)
1 minuto 5:45

Comente