Ibur (Concepção)

laitman_270Nós nascemos neste mundo com um desejo de desfrutar, com um coração egoísta em que há um ponto especial: o começo do mundo superior, a parte divina de cima. Precisamos transferir a importância e o significado do nosso desejo de desfrutar até este ponto, o desejo de doar. Do desejo de desfrutar, apenas um ponto negro deve permanecer, e o desejo de doar, de um ponto, de uma gota de sêmen, de uma minúscula centelha, deve se expandir até a magnitude de Bina e Keter.

É assim que nos movemos de um mundo para o outro. Tudo depende da importância do ponto no coração, do ponto de doação e amor, de sair de si mesmo para o amigo, e da desconsideração cada vez maior do desejo egoísta da pessoa até que ele encolha até certo ponto. Embora a princípio, sintamos todo o grande mundo neste desejo, ele se transforma no ponto que originalmente era, nos quatro estágios da Luz direta: um ponto negro dentro da Luz branca. Além disso, a centelha de doação expandirá para a magnitude do mundo do infinito, preenchendo tudo com a Luz branca.

Precisamos fazer todas essas mudanças através de nossos próprios esforços, para aumentar o valor do ponto de doação e amor, a centelha espiritual, a propriedade do Criador, e simultaneamente, cada vez anulamos a nós mesmos e a importância de nosso desejo de desfrutar, no qual, por enquanto, percebemos todo esse grande mundo.

Todo o nosso trabalho é reduzir nosso mundo a um único ponto negro, encontrar uma centelha espiritual em nós mesmos e elevá-la ao mundo do infinito, um mundo brilhante e vasto.

Todo esse processo começa com o estado de embrião, quando prestamos atenção apenas ao ponto da Luz branca, para a centelha espiritual, e fazemos tudo para aumentá-la. Nós nos imaginamos permanecendo dentro de Bina, no útero da mãe, e é assim que avançamos.1

Normalmente, neste momento, aspirações egoístas mais elevadas despertam em uma pessoa para se elevar, para se estabelecer, para se tornar famosa, que é oposto ao desejo de anular a si mesma. Este é exatamente o trabalho que nos é dado de cima. Até que a pessoa concorde em se tornar um zero, que não precisa de nada nem agora nem no futuro, não será capaz de entrar no mundo espiritual e se tornar um embrião espiritual. Não antes.

Até que a pessoa concorde em se reduzir a zero, a um ponto, ela não entrará no estado do embrião. É necessário sentir-se bem para entender onde está este buraco de agulha através do qual ela penetra no mundo espiritual.2

A força que nos atrai para a espiritualidade, chamada Moisés, leva-nos ao pé do Monte Sinai, isto é, à nossa insignificância diante do monte de dúvidas. Este é um sentimento muito difícil e a pessoa deve concordar com isto, isto é, estar prontao para continuar apesar de muitas dúvidas e humilhações, reduzindo-se a um zero completo.

Se ela reduz seu desejo de desfrutar ao mínimo necessário para a existência, ao qual sua natureza, o Criador, a obriga, ela está pronta para receber a Torá.3

Devemos permitir que o superior trabalhe em nós, confiando completamente Nele, como uma criança nos braços de sua mãe ou no útero da mãe. O mundo inteiro é o ventre de uma mãe e precisamos nos tornar um embrião. Imagine como fazer isso; é preciso reduzir os próprios desejos, pensamentos e ações. Talvez trabalhemos muito, mas é como se não fizéssemos nada sozinhos; é o superior que trabalha através de nós. Só queremos sentir como Ele trabalha em nós.4

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 05/09/18, Lição sobre o tema “Concepção”

1 Minuto 0:20
2 Minuto 19:37
3 Minuto 35:51
4 Minuto 41:41

Comente