Semana Mundial Da Amamentação

Dr. Michael LaitmanDa minha página no Facebook Michael Laitman 01/08/18

Leite materno: o maior patrimônio natural da humanidade

Quando entramos na Semana Mundial da Amamentação (de 1 a 7 de agosto de 2018), os EUA acabaram de tornar a amamentação em público legal em todos os 50 estados. Espera-se que a nova legislação aumente a importância da amamentação em geral.

Neste ponto você pode estar se perguntando, o que a sabedoria da Cabalá tem a ver com encorajar as mulheres a amamentar?

A sabedoria da Cabalá lida muito com o conceito de “amamentação”, não em seu aspecto fisiológico, mas no contexto de suas raízes espirituais: as forças espirituais que criam o fenômeno da amamentação em nosso mundo físico.

A partir do sistema espiritual nós podemos aprender que o alimento natural da mãe contém forças únicas, vitais não apenas para o corpo físico do recém-nascido, mas também para o seu desenvolvimento espiritual. No entanto, as ferramentas científicas que temos hoje são incapazes de detectar todos os componentes sutis e delicados encontrados no leite materno.

Além dos muitos benefícios do leite materno que a medicina indica, como anticorpos que protegem o corpo do recém-nascido contra doenças, desenvolvimento mental e muito mais, há também um alimento emocional que flui entre a mãe e o bebê. O bebê recém-chegado precisa de contato contínuo com a mãe, na medida em que pode ser semelhante a como era no útero.

A amamentação conecta a mãe e a criança a um único sistema, no qual o sangue da mãe se transforma em leite e se transforma em sangue novamente no corpo do bebê. É por isso que o leite materno é tão importante, já que é quase idêntico a ser alimentado por meio do cordão umbilical no útero da mãe.

O grande Cabalista, o ARI, escreveu sobre as raízes espirituais disso em seu livro Árvore da Vida (Etz Chaim): “Após o nascimento do recém-nascido, o sangue superior volta a ser leite… o sangue é transformado em leite dentro do ventre cheio, e desse sumo é feita manteiga para alimentar o bebê”.

O leite carrega consigo a fisicalidade e o cheiro da mãe, mas também sua atitude e seu mundo interior, sua sabedoria de vida e outros fatores que não podem ser medidos cientificamente. É um canal de comunicação aberto por vinte e quatro meses, através do qual circula muita informação, elevando o bebê de acordo com as inúmeras mudanças que moldam seu mundo de forma emocional, fisiológica e mental.

Na idade em que o bebê começa a andar e ainda é amamentado, formam-se várias camadas de conexão. Por um lado, o bebê pode “escapar” de sua mãe e começar a construir sua independência longe dela. Por outro lado, a necessidade emocional e a conexão constante entre eles os conectam para a vida.

A mãe também desfruta dos benefícios da amamentação não apenas no sentido físico, mas como está escrito: “Ouça os filhos da moralidade de seu pai e não abandone a Torá de sua mãe” (Provérbios 1:8). De sua mãe, o bebê recebe o que é chamado de “Torá” – as luzes internas que desenvolvem suas qualidades internas, preparando-o para o futuro desenvolvimento espiritual. Ao longo de sua vida, ele buscará essa conexão profunda, apenas em um nível mais alto – para nascer como uma pessoa espiritual e sugar de sua raiz superior.

Para maiores informações sobre este assunto, por favor, veja meu artigo sobre por que as mães que ficam em casa devem se beneficiar primeiro da renda básica >>>>>>

Comente