Textos arquivados em ''

Curso Gratuito De Cabalá Autêntica – Primavera 2018 (Inscrições Abertas)

Uma experiência com consequências para toda a vida

fornecida pela PRÓPRIA NATUREZA

Começa Domingo, 07 de outubro de 2018

AGORA É O MOMENTO MAIS IMPORTANTE DA SUA VIDA… SE VOCÊ PERMITIR

Neste curso, você vai descobrir uma compreensão mais profunda da natureza, do mundo, e quem você realmente é, vai receber ferramentas para desenvolver uma nova abordagem para a vida, e experimentar uma perspectiva única que o ajudará a dar sentido aos eventos no mundo de hoje. Ao contrário de uma série de equívocos sobre a Cabalá que você normalmente ouve, isso está aberto para qualquer pessoa independentemente de quaisquer diferenças que aparentemente existam entre as pessoas (raça, idade, sexo, cultura, etc.) e você está livre para avançar no seu próprio ritmo, sem pressões ou obrigações.

INFORMAÇÃO E INSCRIÇÃO (Clique Aqui)

The Times Of Israel: “Desafios De Hoje Para Os Judeus E A Falta De Liderança”

O The Times of Israel publicou meu novo artigo: “Desafios De Hoje Para Os Judeus E A Falta De Liderança

O futuro da nação judaica está em jogo. Chegou a hora de um “Moisés moderno” para o povo judeu – um líder, um grupo ou um movimento que pavimentará o caminho para a união diante das atuais divisões e conflitos? Um tipo de liderança de esquadrão avançado que aborda as questões mais prementes que afetam os judeus na diáspora e em Israel, e preenche as lacunas entre eles?

Fragmentação interna e divisão, apatia, assimilação e antissemitismo são apenas alguns dos desafios do mundo judaico. Esses problemas são claramente evidentes, mas ninguém está avançando com soluções ou planos viáveis ​​para abordar efetivamente essas questões, o que poderia aumentar rapidamente e ameaçar nossa própria existência. Estamos muito ocupados brigando uns com os outros enquanto nossos inimigos unem forças contra nós.

Na Europa, o antissemitismo atingiu níveis tão altos que os judeus foram advertidos a não usar kippot em público por medo de serem violentamente atacados. Na Grã-Bretanha, os incidentes antissemitas atingiram recordes pelo segundo ano consecutivo, com mais de 100 novos casos sendo registrados todos os meses por grupos de vigilância. Na Alemanha, um país que anteriormente se aplicava à legislação mais rígida do mundo que proibia o uso de símbolos nazistas, recentemente suspendeu essa proibição para jogos de computador. A venda de mercadorias neonazistas e encontros neonazistas em festivais de música não são mais tabus. Só nos EUA, foram registrados 3023 casos de antissemitismo em 2017 – 2018, o nível mais alto em duas décadas, de acordo com a Liga Anti-Difamação (ADL).

Enquanto isso, há um conflito crescente entre judeus americanos e israelenses. Uma mudança significativa está ocorrendo na visão da geração mais jovem de judeus americanos sobre o que significa ser judeu. Assim, uma das maiores preocupações dos judeus americanos é manter a identidade judaica da próxima geração, e a memória do povo judeu, para ajudar a evitar riscos existenciais para o povo judeu.

Para defender esses desafios, precisamos de uma liderança capaz de renovar nossa base ideológica como um povo unido. Tal liderança deve elevar-nos ao nível de unidade e responsabilidade mútua que uma vez foi alcançado e ensinado por nosso patriarca Abraão ao pequeno grupo chamado “Israel” antes de descermos ao ódio infundado, a fonte de todos os nossos problemas e misérias. De maneira muito simples, quando nos unimos – não apagando nossas diferenças, mas nos elevando acima delas -, conseguimos e prosperamos, e nossa liderança deveria estar predominantemente preocupada em realizar esse princípio.

Devemos aspirar a uma nova liderança capaz de aprender os princípios da antiga sabedoria da Cabalá e que possa explicar como a humanidade está conectada como um sistema integral. Precisamos de uma liderança que demonstre como o povo judeu é um microcosmo do mundo, uma pequena réplica que reflete toda a humanidade e que pode nos guiar passo a passo ao fazer mudanças positivas significativas rumo à conexão e ao entendimento mútuo.

O mais renomado Cabalista do século XX, Rav Yehuda Ashlag (Baal HaSulam), escreveu em sua “Introdução ao Livro do Zohar”: “Tenha em mente que em tudo há interioridade e exterioridade. No mundo em geral, Israel, os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, são considerados a interioridade do mundo”. Essa força interna pode ser ativada no povo judeu através de nossa conexão. É o que as nações do mundo inconscientemente querem de nós, vivendo profundamente como a razão central por trás de toda expressão de antissemitismo.

O Rav Abraham Isaac Kook também enfatiza a importância de nosso papel em seus escritos Orot (Luzes): “Israel é a essência de toda a existência, e você não tem movimento no mundo, em todas as nações, que você não encontrará em Israel”. Como nossos sábios transmitem, nosso papel judaico não é opcional. Somos responsáveis ​​por tudo o que acontece no mundo, para melhor ou para pior. É difícil entender porque não sentimos isso imediatamente, mas com a ajuda de uma liderança sábia que saiba como tornar esta realidade clara e acessível a todos, veremos que é assim que o sistema de conexão humana é estruturado em um nível mais profundo. Em vez do estado atual de reagir com respostas automáticas a dificuldades e perigos, uma liderança sábia evitaria que tais situações se desenvolvessem em primeiro lugar, estabelecendo nossa unidade como nossa salvaguarda inviolável.

Com os Grandes Feriados (Festas) se aproximando, temos uma grande oportunidade de renovação. Agora é a hora de uma liderança que nos guiará para alcançar o nível de “ama teu amigo como a ti mesmo” e, ao fazer isso, tornar-se uma “luz para as nações”. Isso exigirá uma campanha educacional massiva exigindo unidade e união. No momento em que atingirmos a meta de conexão, em vez de mais divisões, conflitos e ameaças, poderemos proclamar uma verdadeira Rosh Hashaná, o começo de um novo ano de unidade, paz e tranquilidade para todos.

$200 Milhões De Investimento De Trump Em Israel

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 27/08/18

E um novo rei subiu ao poder e seu nome era Trump. E ele governou Israel com mão de ferro, impondo sanções econômicas aos seus cidadãos e reprimindo o comércio internacional. E as Nações Unidas comemoraram quando finalmente conseguiram deslegitimar Israel.
***
Tal cenário de horror parece distante da realidade de hoje. Trump é visto por muitos como um amigo ávido de Israel em um mundo que está se tornando cada vez mais hostil em relação a ele. No entanto, o homem que declarou Jerusalém a capital de Israel, que continua a proteger a posição de Israel na arena internacional e que cuida do povo judeu – certamente está segurando as rédeas. A cada dia que passa, o futuro de Israel parece depender de seu apoio contínuo.

Mas por trás da demonstração de simpatia por Israel, Trump é um homem de negócios astuto. Como um bom vendedor, ele primeiro lhe concede um sabor doce, garantindo que possa exigir um bom pagamento depois. Em sua maneira extravagante, Trump está pavimentando o caminho – tanto do lado israelense quanto do lado palestino – para um acordo de paz que poderia garantir a ele um nível de prestígio que nenhum presidente dos EUA jamais alcançou antes.

No entanto, Trump está destinado a falhar nesta área, assim como todos os seus antecessores fizeram. A paz entre Israel e os palestinos só é possível se for baseada nas leis da natureza.

De acordo com a sabedoria da Cabalá, a paz entre os seres humanos em geral só é possível através da ativação da força inerente da natureza, e qualquer plano que não a leve em consideração falhará.

O povo de Israel é a única nação fundada na unidade baseada nas leis da natureza. Eles viveram pelo sistema natural de conexão humana por centenas de anos até que foram para um longo exílio, vagaram pelo mundo e perderam seus alicerces.

A criação do povo judeu foi a maneira da natureza de fazer um minimodelo de unidade entre os seres humanos que mais tarde seria estendido a toda a humanidade. Portanto, os conflitos de Israel com seus vizinhos e com o resto do mundo gradualmente aumentarão até que o povo de Israel cumpra seu papel natural.

Assim, a única maneira de alcançar um acordo de paz viável e duradouro é primeiro reavivar a fundação do povo judeu. Caso contrário, os esforços de Trump falharão miseravelmente, e ele gradualmente mudará sua atitude para com Israel.

Então, voltando ao cenário negativo com o qual começamos, os problemas de Israel se intensificarão a um nível insuportável, até que eles não tenham outra escolha a não ser dolorosamente evocar o poder da unidade das profundezas da natureza com todas as suas forças. E somente então, a paz virá a Israel e se espalhará para o resto do mundo.

No entanto, um cenário muito mais ideal seria despertar a unidade com antecedência, fácil e agradavelmente, iniciando um programa educacional que conscientize sobre o papel único do povo judeu e os treine para cumpri-lo.
Portanto, seria uma boa ideia para Trump investir os US$ 200 milhões que ele cortou da ajuda palestina na implementação de um processo educacional que levaria Israel a ativar o plano de paz inerente à natureza. Esta seria a melhor chance de Trump de entrar na história como a pessoa que trouxe a paz para a região.

Meus Pensamentos No Twitter 27/8/18

Dr Michael Laitman TwitterA entrada na escada da fusão com o Criador começa com o desejo de ser um “embrião” no Criador e total submissão a Ele, como um embrião está a cargo da mãe. Então a restrição é alcançada: não querer nada além de estar no Criador, isto é, todos os pensamentos/desejos – sobre Ele.

Cabalá: Para motivar os judeus a se unirem, Israel deve produzir um programa educacional sobre o papel da unidade dos judeus na unidade do mundo. #Trump deve exigir que #Israel se una e, assim, obrigar o mundo inteiro a seguir, para que ele possa obter o Prêmio Nobel e relaxar.

Paz Israel-Palestina é possível se os palestinos quiserem a paz, o que eles farão – somente se os judeus mostrarem vontade de se unir como um só. Caso contrário, os esforços de #Trump falharão; ele mudará sua atitude em relação a Israel para uma terrível pressão! É o Criador que nos força a nos corrigir.

Na espiritualidade não há tempo, dia/noite, meses/anos. Eu determino meu dia/noite. A noite é um novo desejo do Criador, um novo grau. Mas eu cubro a escuridão com a luz de Hassadim, e assim a luz de Hochma se veste nela, a luz do sol – um novo dia chega!

O dia começa à noite: “E foi a tarde e a manhã – um dia”
Na escuridão, eu preparo a fé, doação, preencho meu desejo com a luz de Hassadim. Eu estou pronto para permanecer neste estado se tiver a chance de doar. Assim atravesso a noite e a transformo em dia.

O trabalho espiritual começa na descida. Temos a chance de nos mover em direção à doação, fé acima da razão. Quando você se sente mal, o mundo se torna sombrio, você perde a importância da meta, e o Criador, grupo, estudo e caminho espiritual não atraem – lembre-se de que tudo é estabelecido por Ele.

Para possibilitar que nos reformarmos, o desejo (a alma) foi quebrado. De estarmos quebrados, temos a oportunidade de consertar a quebra, através da união. A chave é ganhar o poder de doação, porque ele é a cola que une todas as partes da alma quebrada.

Quando uma pessoa se sente satisfeita (no egoísmo!), é difícil para ela superar a si mesma, descobrindo suas falhas, começar o trabalho espiritual, pois no espiritual só avançamos devido a um sentimento de falta.

O egoísmo (Faraó) evolui na medida em que seu poder agradável a princípio se torna insuportável – o que nos leva a procurar como sair dele.

Cabalá: o uso correto do egoísmo está na restrição. Pare de ganhar; economizando, conecte-se com todos no organismo comum – a Alma. A evolução poupa aqueles que se adaptam, isto é, os preguiçosos, com um metabolismo diminuído. Reduza o desejo de receber! Ao doar receba a eternidade!

Crise: A taxa de natalidade está diminuindo e o tempo de vida aumentando. O envelhecimento da #população leva a um aumento nas despesas médicas e pensões. O número de contribuintes está diminuindo devido à falta de pessoas que trabalham. Cada mulher deve dar à luz 2,2 filhos. Mas a terra está superpovoada.

Do Twitter, 27/08/18

Fé Acima Da Razão

Laitman_177.06O trabalho dentro da razão é claro para todos. É importante de acordo com o nosso entendimento e, portanto, estamos prontos para trabalhar. O trabalho acima da razão vai contra nossa mente e sentimentos. Todo o nosso mundo trabalha para receber, de acordo com sua própria mente e sentimento, dentro da razão. O ser humano, como o ser mais inteligente e desenvolvido de todos, deve agir de forma racional.

Nós respeitamos uma pessoa por sua inteligência. Especificamente, aqui, precisamos ir, como se contra o sentimento e a razão. Mas o que mais temos? Nada. Acontece que devemos ir contra tudo o que existe em nós, se quisermos alcançar o mundo superior. Afinal, no mundo superior nossa mente e sentimentos não funcionam, o mundo superior está acima de nossa razão e sentimentos.

Este é o próximo passo: em vez de receber – doar, em vez de razão – acima da razão. Mas o que posso fazer se não possuo as propriedades de doação e o mundo espiritual é construído sobre princípios completamente diferentes. Não se pode dizer o contrário, porque não sabemos o que significa essa oposição.

Nós não entendemos como mudar a nós mesmos para nos elevarmos a um estado chamado “o mundo vindouro”, para o próximo nível. Uma pessoa só tem que tentar fazer isso. O mundo espiritual é chamado de “o mundo vindouro” porque ele virá, mas virá apenas de acordo com nossos esforços.

Mesmo que não o desejemos, o programa da criação já tem o nosso desejo e ele virá. Aquele que faz esforços com antecedência, poupa tempo e sofrimento porque rapidamente chega a uma oração. Caso contrário, ele perderá tempo porque sua teimosia não lhe fará bem. Você tem que ser teimoso apenas no que diz respeito à aplicação dos esforços, como diz o ditado: “Faça qualquer coisa, exceto saia”.

Mesmo se eu vejo que por todos os sinais nada funciona para mim e que o Criador até me deixa saber que não sou desejado, eu ainda não desisto. Persistência é a chave para o avanço.

A pessoa preciso ter uma razão profunda para trabalhar acima dela. Nossa tarefa é fazer um esforço até que recebamos a propriedade de doação, a propriedade de conexão e amor.1

A espiritualidade é revelada nos desejos de doação, e é necessário saber como verificar e medir esses desejos de acordo com o princípio que é oposto ao que temos. Como está escrito: “Eu vi um mundo oposto”.

Em nosso mundo tudo é medido pelo quanto eu ganho, quanto está no meu bolso, na minha bolsa. Mas no mundo espiritual, o oposto é verdadeiro: quanto mais eu gostaria de receber na razão, eu me elevaria com alegria acima dessas exigências a fim de doar, apesar do meu grande desejo de desfrutar.

É assim que minha fé acima da razão é medida. Eu me regozijo porque subi ao próximo passo, me aproximei do Criador e comecei a sentir e explorar a realidade chamada mundo superior. Afinal, tenho certeza de que o Criador controla tudo e, portanto, sabe melhor o que é bom.

Tudo o que tenho vem do Criador, incluindo todos os meus instrumentos de verificação. Tudo o que tenho direta e indiretamente vem Dele, e nada depende de mim. Mesmo se eu decidir me analisar, a verificação vem do Criador.

Sem o Criador, não sou apenas um computador vazio no qual nenhum programa está instalado; não há computador. Não há nada. Portanto, quanto mais elevado eu posso me elevar acima da razão, mais forte e elevado o sentido do mundo espiritual que possuo.

O primeiro passo para a espiritualidade é desistir de seu sentimento bom e confiante dentro da razão e construir acima dele a atitude oposta ao mundo, em prol da doação. Acontece que eu tenho dois níveis: razão e acima da razão. E eu tento expandir os dois, abrir essas tesouras o máximo possível. Lá, entre elas, sentirei o mundo superior, a realidade superior. 2

O objetivo do trabalho de uma pessoa neste mundo é um sentimento de perfeição em seus desejos de desfrutar: ganhar mais, vencer, ter sucesso, preencher-se com todas as bênçãos. O objetivo do trabalho de uma pessoa no mundo espiritual é o sentimento de perfeição nos desejos do superior. Conforme os nossos esforços para imaginar isso, somos influenciados pela Luz que retorna à fonte e nos leva ao desejo do superior e ao sentimento de perfeição nesse desejo.

Um não pode existir sem o outro. É impossível sentir o mundo espiritual e sofrer com ele. Eu só receberei a realização espiritual se isso me fizer feliz.3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabala, 20/08/18, Lição sobre o tópico: “O Trabalho Dentro Da Razão E O Trabalho Acima Da Razão”
1 minuto 0:20
2 minuto 10:08
3 minuto 21:11

Nova Vida # 71 – Dinheiro E A Mente Judaica, Parte 1

Nova Vida # 71 – Dinheiro E A Mente Judaica, Parte 1
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo:

A prosperidade israelense depende de um poço espiritual e não de poços de petróleo ou reservatórios de gás. O comércio é baseado na conexão. Todo judeu é um comerciante porque o atributo judeu é se conectar. Os antepassados ​​da nação judaica eram pessoas com uma inclinação espiritual para conectar pessoas como Abraão. O poder espiritual que a nação teve no passado gerou sabedoria e habilidades especiais. Os judeus estudavam ciência e medicina para serem ricos internamente e essenciais em todos os lugares. Os membros da nação judaica foram exilados da terra de Israel depois que sua natureza egoísta cresceu a ponto de não poder mais ser canalizada para uma conexão mútua. Agora, o antissemitismo protege os judeus e os leva a cumprir seu papel nos negócios: conectar todas as nações em uma única família espiritual.

De KabTV “Nova Vida # 71 – Dinheiro E Mente Judaica, Parte 1”, 10/09/12