Vivendo Através Dos Desejos Dos Outros

Laitman_032.02Pergunta: Se não sentimos nada da verdadeira criação, o que sentimos quando amamos, compartilhamos comida ou olhamos para as estrelas?

Resposta: Nós sentimos prazer em nosso egoísmo insignificantemente pequeno. Todo o nosso mundo, toda a nossa vida está dentro dele. Nós não sentimos nada fora dele.

Pergunta: Então, não há nada poético sobre as estrelas, o tormento ou o amor? Não há poesia, nada romântico?

Resposta: É disso que a matéria corpórea vive, tanto pessoas como animais. Estes, no entanto, não são escrutínios espirituais. Os discernimentos espirituais vêm de um estado diferente, fora de mim, quando sinto alguém fora de mim e vivo por seus pensamentos, seus sentimentos, pela capacidade de preenchê-los.

Ao fazer isso, eu começo a me sentir semelhante ao Criador que criou a matéria e a mantém regenerando-a, transformando-a constantemente em estados superiores. Quando sinto que posso preencher outros – para saturá-los, para mudar para melhor, não de acordo com meu entendimento, mas com base em seus desejos -, eu me sinto como o Criador e sinto o que o Criador sente. Isso é chamado de vida espiritual.

Pergunta: Qual é a regra principal de uma vida espiritual?

Resposta: É viver através dos desejos dos outros.

Pergunta: Por que eu não posso sentir o mundo espiritual?

Resposta: Porque você não desenvolveu a intenção, o desejo, o anseio de sentir os outros em vez de si mesmo.

O que significa “em vez de si mesmo”? É sentir os outros como um objeto, e a si mesmo como um instrumento, para trazer esse objeto para um estado positivo e correto.

Da Lição em Russo, 25/02/18

Comente