Medium: “O Que Acontece Quando Morremos?”

O portal Medium publicou meu novo artigo “O Que Acontece Quando Morremos?

Para onde vamos imediatamente após a morte? O que acontece com a nossa mente, o nosso espírito e a nossa alma quando morremos? Nós voamos para um paraíso eterno ou caímos em um inferno eterno? Nós reencarnamos neste mundo como outras pessoas, ou mesmo animais, plantas ou rochas? Nós continuamos vivendo a vida que levamos uma e outra vez? Nós simplesmente desaparecemos no nada?

Ensinamentos diferentes oferecem respostas diferentes a essas perguntas. A ciência detalha como o corpo se decompõe quando morremos. Em geral, a discussão em torno deste tópico se divide em duas categorias principais:

  1. Pessoas que tiveram experiências de quase morte e viveram para descrever o que viram e sentiram;
  2. Crenças religiosas, filosofias e outras teorias que oferecem conceitos sobre a vida após a morte, reencarnação e consciência.

Este artigo é dedicado a investigar a questão – “O que acontece quando você morre?” – da perspectiva da sabedoria da Cabalá, que oferece uma abordagem fundamentalmente diferente da discussão atual. Vamos analisar a opinião da Cabalá:

  • O que é comum a todas as experiências de quase morte e o que podemos aprender com elas?
  • O que é a alma?Nós temos uma alma, ou temos uma quando morremos, ou podemos alcançar uma durante a nossa vida?
  • O que acontece com a nossa existência corpórea quando morremos?

O que podemos aprender com as experiências de quase morte?

Pessoas que sobreviveram à morte clínica relataram uma série de sentimentos, como um nada parecido com o sono, uma sensação de flutuação no céu ou em um cenário tranquilo como um jardim, uma luz brilhante ou um túnel em direção a uma luz brilhante, vendo e conversando com entes queridos que haviam morrido, bem como experiências fora do corpo, onde eles podiam ver o que estava acontecendo na sala em que foram declarados clinicamente mortos.

O que todas essas sensações têm em comum?

São todas sensações de liberdade do corpo físico. Nas experiências de quase morte, o corpo físico não é mais uma perturbação. As pessoas sentem como se pertencessem a algo diferente do que identificaram como seu corpo. A mente continua trabalhando e processando informações corporais, embora de forma diferente.

Experiências de quase morte expressam um limite entre nossa vida corpórea e sua morte. É um limite onde terminamos nosso contato com a informação que recebemos através do nosso corpo, mente e sentidos corpóreos.

Em tais estados, nosso desejo diminui e seu desaparecimento equivale ao desaparecimento da pessoa. Em outras palavras, o sentimento de vida que experimentamos em nossos desejos individuais (comida, sexo, família) e desejos sociais (dinheiro, honra, controle, conhecimento) desaparece completamente e nós concordamos com sua retirada, deixando de receber, sentir, viver e apreciar.

A sensação de liberdade do corpo físico marca uma mudança para um novo estado. Este novo estado, no entanto, ainda não é a morte, nem é espiritualidade nem eternidade.

De acordo com a Cabalá, é puramente psicológico. O que quer que sintamos em tais estados é limitado e minúsculo em comparação com as sensações de eternidade e plenitude, que a Cabalá afirma que podemos alcançar de maneira muito mais vívida enquanto ainda estamos vivos neste mundo.

Como? Alcançando-se nossa alma.

O Que É a Alma? Ela Pertence ao Nosso Corpo? A Morte do Corpo Marca o Nascimento da Alma, ou Podemos Alcançar Nossa Alma Enquanto Estamos Vivos?

De acordo com a Cabalá, a alma não é algo em que entramos após a morte do nosso corpo. Em vez disso, é algo que precisamos para alcançar uma percepção e sensação claras enquanto estamos vivos. Se não alcançamos a alma enquanto estamos vivos, considera-se que não temos uma.

A alma é um desejo acima dos nossos desejos corpóreos e egoístas. Isto é, acima de nossos desejos por comida, sexo, família, dinheiro, honra, controle e conhecimento, há um pequeno desejo que pergunta sobre o sentido e o propósito por trás de tudo que experimentamos: o significado da vida. Este desejo é um pequeno ponto, chamado “o ponto no coração” na Cabalá, que nós temos a oportunidade de desenvolver. O pleno desenvolvimento deste ponto é considerado a obtenção da alma.

Alcançar a alma é como sentir uma vida adicional à nossa atual, uma vida que estava escondida de nós. Quando alcançamos contato com a alma, ela se torna o centro da nossa vida. Reavaliamos nossa vida atual e começamos a nos relacionar com ela em um nível completamente diferente. A morte do corpo físico torna-se então como mudar a camisa de alguém. Em outras palavras, quando nosso corpo físico morre, continuamos reencarnando em um novo corpo até que a plena extensão da alma seja alcançada, chamada na Cabalá de “125 graus de realização espiritual”.

Se não alcançarmos a espiritualidade, tudo o que resta é um Reshimo (uma “reminiscência” ou “registro”). É um gene informacional espiritual, semelhante ao DNA. Este Reshimo veste-se de novos corpos até que emerge em nós como a pergunta: “Qual é o sentido da vida?”. Essa pergunta finalmente nos leva a buscar sua resposta: encontrar um método e um ambiente para o desenvolvimento da alma.

O Que Acontece Com A Nossa Existência Corpórea Quando Morremos?

Quando morremos, perdemos a consciência de tudo que sentimos em nossa vida corpórea. No entanto, significa que perdemos tudo? Não. Está sendo passado na forma de atributos da personalidade. Isso explica porque, em cada nova geração, as crianças são mais adaptadas à vida do que os adultos. Por exemplo, as crianças são instintivamente proficientes com as mais recentes tecnologias e dispositivos, enquanto a geração mais antiga os considera mais complicados.

Em cada geração sucessiva, o desejo de receber passa por um upgrade. Se o desejo de receber falhar em levar uma pessoa ao desenvolvimento espiritual, ela muda para um novo estágio, para outra oportunidade. Todos os problemas, dores e conhecimentos acumulam gradualmente de uma geração para a outra, em direção à necessidade de desenvolvimento espiritual.

É para isso que a sabedoria da Cabalá foi feita. Através da sabedoria da Cabalá, podemos ter acesso ao sistema eterno e completo da alma, descobrir seu poder interior e nos tornar sua parte ativa, revelando a espiritualidade como uma percepção e sensação claras, e esse é o propósito de nosso desenvolvimento.

Hoje marca um momento muito significativo no desenvolvimento da humanidade para esse propósito, que os Cabalistas descreveram como a época em que a humanidade em massa começaria a despertar com perguntas sobre seu sentido e propósito, e quando a Cabalá seria revelada e aberta a todos para nos permitir perceber esta oportunidade em nossa vida e ganhar a vida eterna.

Comente