Medium: “Cúpula Kim – Trump: O Negociador Encontra O Ditador”

O maior portal, Medium, publicou meu novo artigo: Cúpula Kim – Trump: O Negociador Encontra O Ditador

O interesse de Trump em conhecer Kim Jong-un é óbvio: se ele se tornar o único a desnuclearizar a Coreia do Norte, será uma conquista sem precedentes para a América, para o mundo e para o próprio Trump, que será lembrado nos livros de história.

Vindo direto da cúpula do G7 no Canadá, Trump continuará com a mesma abordagem: posicionar-se para conseguir o melhor negócio possível. Mas funcionará com o jovem ditador com quem ele trocou insultos até agora? “No primeiro minuto, eu saberei”, disse o empresário que se tornou presidente dos EUA.

Presidente Trump no G7 (Reuters)
No momento de escrever estas linhas, ninguém sabe o que vai sair da cúpula histórica. Mas, certamente, Trump pretende que Kim considere a desnuclearização em troca de reconhecimento diplomático e algum pacote econômico. Ele terá como objetivo colocar Kim – cujo país está desesperado por alívio econômico – em um modo racional de comportamento de dar e receber (toma-lá-dá-cá).

Na verdade, Trump provavelmente já tem planos de como conseguir que países asiáticos e europeus ajudem a assinar um cheque para o Sr. Kim.

Mas não é surpresa que Trump se torne o primeiro presidente dos EUA a se reunir com um líder norte-coreano. Ele se ajusta ao seu hábito de sacudir o status quo e contrariar a ordem global existente. Basta dar uma olhada na foto da recente reunião do G7, que faz um bom trabalho ao capturar a dinâmica “Mundo vs. Trump”.

Trump é um pragmático profissional incansável, em posição de levar os líderes mundiais a um relacionamento direto de dar e receber (toma-lá-dá-cá). Ao colocar os interesses americanos em primeiro lugar, seus movimentos estão derrubando acordos internacionais entre poderosos atores globais. E ao fazer isso de maneira não politicamente correta, ele está explodindo bolhas e fachadas ideológicas que se tornaram norma nas relações internacionais há muitas décadas.

Dito isto, Trump não necessariamente entende o ponto de virada épico que a sociedade humana está enfrentando agora, ainda mais o papel único que ele mesmo desempenha nele. Na verdade, a maioria de nós não pode conceber a transformação significativa que o mundo está passando agora.

Todos os dias, a sociedade humana está se tornando mais interdependente em todo o mundo. E à medida que essa realidade se torna mais evidente, as falácias do mundo moderno também se tornam evidentes. Assim, gradualmente, chegamos a reconhecer que a humanidade precisa de um novo sistema operacional para executar seus programas e sincronizar os relacionamentos entre povos e países.

Mas primeiro, temos que redefinir o sistema operacional atual – e Trump está apertando esse botão.

Por último, como eu expressei antes, quando eu comento sobre assuntos relacionados a Trump, sua popularidade ou falta dela é irrelevante para mim. Eu não tiro meus palpites da grande mídia ou do que as pessoas dizem, nem escolho qualquer lado a favor ou contra Trump ou qualquer outra pessoa.

Em vez disso, eu explico o mundo através da lente da sabedoria da Cabalá, que lança luz sobre as leis fundamentais da natureza que moldam o desenvolvimento global e coletivo da humanidade.

Comente