Medium: “A Estrutura Ideal Para Uma Existência Feliz”

Medium publicou meu novo artigo “A Estrutura Ideal Para Uma Existência Feliz”

Como ser feliz tornou-se um algoritmo difícil de decifrar. É porque estamos usando a fórmula errada? A satisfação não depende de dinheiro, poder ou sorte, mas de relações humanas positivas. Este é o princípio do curso de felicidade em Yale e Stanford, com o curso já sendo o mais popular na história de ambas as universidades.

O curso é baseado em psicologia positiva. Afirma que o nosso nível de alegria na vida é determinado pela qualidade da nossa interação com os outros. De fato, as pessoas estão mais satisfeitas em um ambiente onde a solidariedade, o apoio e o senso de pertencer prevalecem. Em contraste, a competição para dominar e estar acima dos outros coloca a pessoa sob constante estresse, pressão e isolamento.

Isso explica por que as pessoas que parecem ter tudo podem sofrer de depressão severa ao ponto de algumas delas estarem tirando suas próprias vidas. Os recentes suicídios da designer americana Kate Spade e da personalidade da TV Anthony Bourdain exemplificam essa situação. Como efeito contagioso, dias após a morte, o número de chamadas para as linhas de apoio nos EUA aumentou em 65% e o volume de chamadas de emergência de texto aumentou em 116%.

Globalmente, cerca de 800.000 morrem por suicídio todos os anos, cerca de uma pessoa a cada 40 segundos, segundo a Organização Mundial de Saúde. As estatísticas mostram que a falta de realização está atingindo proporções epidêmicas. Atribuir isso a condições externas seria uma explicação simplista. Uma pessoa pode viver no meio de uma floresta em uma cabana e se sentir feliz, ou ter um apartamento luxuoso em um arranha-céu, mas sentir-se miserável e solitária. Qual é o fator chave que faz a diferença entre esses estados? A influência do ambiente.

O que nos distingue de outras espécies é o aspecto social. Nós somos moldados e influenciados pelo nosso ambiente a cada momento de nossas vidas, através de nossa família, trabalho e mídia. Uma pessoa pode ser oprimida ou elevada pelo ambiente dependendo de como absorve tal influência.

Uma sociedade igualitária baseada na solidariedade, onde todos se preocupam uns com os outros – a pessoa recebe o que precisa e trabalha pelo bem de todos – é a estrutura ideal para a existência feliz das pessoas e uma base sólida para o futuro próspero de seus filhos.

Ao contrário, nossa busca egoísta e agressiva por riqueza, honra, conhecimento e poder não pode ser uma fonte de felicidade. Isso ocorre porque no momento em que satisfazemos esses desejos, um novo vazio surge deixando-nos insatisfeitos novamente. Portanto, a alegria suprema só pode estar em um nível acima das buscas individuais de felicidade, construindo juntos um tecido social coeso que influenciará positivamente todos os membros da sociedade.

Como escrito pelo Cabalista Rav Yehuda Ashlag no jornal A Nação:

“É uma obrigação para todas as nações estarem fortemente unidas internamente, de modo que todos os indivíduos dentro dela estejam ligados uns aos outros pelo amor instintivo. Além disso, cada indivíduo deve sentir que a felicidade da nação é a própria felicidade, e a decadência da nação é a própria decadência … Isso significa que o povo dessa nação, que sente essa harmonia, é que faz a nação, e a medida da felicidade da nação e sustentabilidade são medidas pela sua qualidade”.

No entanto, nosso atual sistema educacional e ambiente reverenciam a competição e a conquista para ganhos pessoais, mesmo que seja à custa dos outros. Essa pode ser a descoberta mais importante para os estudantes de Yale e Stanford: que é ingênua ao pensar que algo vai mudar se continuarmos sendo controlados por nossa natureza egoísta.

Michael Laitman na Convenção Mundial de Cabalá, Nova Jersey, maio de 2018.

Portanto, mesmo a instituição de maior prestígio não pode nos ensinar como ser feliz. A solução seria inscrever toda a sociedade em estudos da felicidade, mas ela está de algum modo confortável com o status quo, que é a mensagem central a qual a pessoa, um produto do ambiente, está exposta.

No entanto, de um coração partido a outro, de crise em crise, do desespero à dor, toda a sociedade estará gradualmente ciente de seu atual estado ruim. Então ela descobrirá o caminho da Cabalá, escolhido por indivíduos singulares “desengajados” dos valores desviantes da sociedade para implementar um processo de transformação para encorajar laços estreitos de unidade e amor, onde, como mencionado acima, reside a felicidade.

A Cabalá é um método de construção de uma sociedade humana unificada e feliz. É um método que ensina valores necessários para a existência em um quadro social saudável, como se relacionar com os outros de uma maneira equilibrada. Além disso, ensina um processo passo-a-passo sobre como se conectar positivamente para atrair uma força que reside na natureza e que pode mudar a natureza humana. Assim, a pessoa aprenderá a não aspirar apenas a satisfazer sua própria felicidade, mas a dos outros também. Uma sociedade humana harmoniosa será então construída para assegurar a felicidade um do outro.

Em tal sociedade, a maneira de medir a felicidade de um indivíduo será simples: uma pessoa cuja felicidade e emoções positivas explodem o tempo todo – do indivíduo para os outros e dos outros para o indivíduo – é uma pessoa feliz e satisfeita. Então, todos nos formaremos com honras na universidade da vida.

Comente