A Lava Fervente Da Unidade

laitman_943Nós só podemos nos unir pelo ataque. Afinal de contas, possuímos uma força que resiste à unificação de todas as maneiras possíveis. Mas essa força não nos impede de fazer nada neste mundo. O egoísmo das pessoas neste mundo não é um impedimento; só contribui para o desenvolvimento.

Portanto, o egoísmo não é uma coisa ruim. Pelo contrário, se uma criança não quisesse nada, não procurasse conquistar o mundo inteiro, seria subdesenvolvida e isso seria alarmante.

Quanto mais alguém é egoísta nesse mundo, maior é sua capacidade de ter sucesso. É necessário apenas direcionar seu egoísmo na direção certa para que não seja destrutivo e não prejudique a sociedade. Mas se, graças ao egoísmo, ele faz um ótimo trabalho e alcança muito, é apenas para benefício dele e do mundo.

Para ser mais preciso, não é nem o egoísmo, mas a força do desenvolvimento inerente ao programa da evolução, em toda a natureza, incluindo todas as pessoas. O verdadeiro egoísmo, sobre o qual está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal, criei a Torá como tempero”, manifesta-se apenas quando aspiramos à unificação. Então, dentro da unidade, revelamos a força que a impede.

O desejo de nos unir é o nosso desejo de corrigir o sistema da alma comum, o primeiro homem, Adão, que foi destruído. Nosso dever é corrigi-lo, pois o Criador criou a separação entre nós como um lugar para trabalhar, de modo que conectaremos todas as partes quebradas.

Quando tentamos uni-las, revelamos a força que impede a unificação. Essa força é chamada de “egoísmo”. A força que se opõe a ela é chamada de “Torá”, a “Luz que reforma”. É preciso saber como revelar essa inclinação ao mal dentro de si mesmo. É uma cobra que nos impede de nos unirmos.

A pessoa precisa apreciar essa força que resiste à conexão e não destruí-la. Precisamos reunir todas essas forças e tentar superá-las. Então descobriremos que não podemos fazer isso sozinhos porque esta é a força criada pelo Criador, e é por isso que precisamos da Torá, que é a Luz da correção.

Somente aquelas pessoas que perceberam a necessidade de unidade precisam da Torá, que é a Luz mais elevada que nos leva à unidade e correção.

Apesar da enorme força de resistência do ego, o poder da Torá une nossos corações de pedra, aquece-os, derrete-os e transforma-os em uma lava fervente, numa única força. Então chegamos a um vaso espiritual ( Kli ) das dez Sefirot , ao Partzuf , à parte de Adam HaRishon que o Criador criou e partiu em pedaços.

É assim que avançamos e tudo começa com o nosso desejo de nos unirmos. Você não deve procurar a inclinação ao mal em nenhum outro lugar, mas apenas dentro da união. Neste caso, ela será revelada. Nós não procuramos o mal. Buscamos bondade, conexão e união, e depois revelamos o mal.

Nós sempre nos movemos na linha direita, e se a linha da esquerda se revelar nela, significa que precisamos dela e ela deve estar paralela à linha direita. Então devemos trabalhar na linha do meio para usar corretamente as linhas esquerda e direita como um todo.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 08/06/18, Lição sobre o Tópico: “Atacando a Conexão”

Comente