Textos arquivados em ''

Meus Pensamentos No Twitter 15/06/18

Dr Michael Laitman TwitterIsso continuará até que ambas as partes reconheçam sua missão no mundo – unir-se, tornando-se o núcleo de unidade das nações do mundo.

Judeus nos EUA e Israel estão à deriva: israelenses à direita e americanos à esquerda. Eles não são uma nação nem uma família. A cada nova geração, os judeus americanos estão desaparecendo.

Do Twitter 15/06/18

Tudo Que Eu Preciso É De Uma Dezena

laitman_231.03Como eu posso saber quantos Partzufim espirituais estão diante de mim e quantos estão atrás de mim? Onde eu estou não importa. O mais importante é que eu tenho uma dezena, que é minha estrutura espiritual.

Se eu chego à adesão nela, alcanço a adesão em toda a escala da criação. Eu não preciso me preocupar em conectar a dezena superior e a dezena inferior e assim por diante em toda a cadeia. Há uma infinidade em sua forma completa em cada elemento da realidade espiritual. O mundo espiritual é organizado dessa maneira: apenas a qualidade, e não a quantidade, funciona nele. Se eu conecto totalmente a minha Malchut com as nove primeiras Sefirot, que para mim é o meu grupo, eu obtenho adesão, minha correção final e, ao mesmo tempo, o fim da correção geral.

“Não há parcialidade na espiritualidade”. Na espiritualidade “o geral e o particular são iguais”. Não sentimos isso, para nós são apenas belas palavras. Mas é necessário entender que, se eu tiver uma dezena, não preciso de mais nada. Eu posso terminar todo o trabalho da minha correção completa nela.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá, 28/03/18, Talmud Eser Sefirot, Parte 2, “Histaklut Pnimit”, Capítulo 9, Item 111

Copa Do Mundo FIFA

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 14/06/18

A Copa do Mundo FIFA 2018 começa hoje com um jogo entre a Rússia e a Arábia Saudita, começando um mês de vitórias e derrotas, terminando com uma única equipe de um único país declarada campeã mundial de futebol.

Sem dúvida, é um mês de pura alegria e emoção para muitos milhões em todo o mundo, sentados em frente a suas TVs de plasma com uma cerveja na mão. Eu me lembro quando passeava perto do estádio de futebol em Ramat Gan com meu professor, o Rabash; ele costumava dizer que é um lugar respeitável, já que dá às pessoas uma sensação de alegria e gratidão na vida.

Assim, durante um mês, a copa do mundo acrescenta uma atmosfera globalmente consciente à humanidade, ajudando todas as pessoas em todo o mundo a sentirem-se um pouco conectadas, enquanto todas estão coladas às suas telas como uma só.

Mas fora do estádio e mais longe das câmeras, o lado obscuro deste evento é desenfreado. Drogas, jogos de azar e máfia, todos desempenham um papel nos bastidores. Hostilidade, racismo e extrema violência entre hooligans também estão acontecendo. E não se esqueça dos bilhões de dólares envolvidos, junto com anunciantes, agentes, políticos e muita corrupção.

Portanto, assim como a copa do mundo une a humanidade, ela também reflete todas as maldições da humanidade.

Se realmente quisermos que esse evento faça o bem para a humanidade, a primeira coisa a fazer é tirar o lucro dele. Por exemplo, direcionando o produto para causas sociais, como ajudar os necessitados, a medicina ou a educação.

Mas também há hostilidade embutida na competição em si. Eles dizem que começou na Grécia antiga com o objetivo de conexão entre países, mas não vejo que esse seja o objetivo que serve hoje.

Idealmente, nossos esportes devem empregar uma competição positiva para promover um maior senso de unidade tanto nos jogadores quanto nos espectadores, demonstrando conexão e praticando a colaboração. Deve ser uma experiência altamente educacional.

Por exemplo, e se as equipes recebessem uma bola e seu objetivo fosse mantê-la no ar, passando-a dinamicamente entre todos os jogadores? E se a multidão estivesse torcendo por um sucesso coletivo global, em vez do triunfo de sua nação sobre as outras?

Se seguíssemos e desenvolvêssemos esse novo tipo de esporte, também marcaríamos alguns pontos importantes para a unidade global.

Acordo De Paz De Trump?

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página no Facebook Michael Laitman 14/06/18

“Trump será capaz de estender suas habilidades de negociação para o conflito israelense-palestino e iniciar uma mudança radical na região? Infelizmente, não vejo isso acontecendo. E mais uma vez, a razão tem a ver com a própria natureza.

Há 3.800 anos na antiga Babilônia, um “acordo” especial foi feito no berço da civilização humana. Representantes dos vários grupos, tribos e clãs decidiram se unir e coexistir sob o princípio da unidade acima de todas as suas diferenças.

Era a maneira natural de plantar a semente da unidade para toda a raça humana. Em outras palavras, a natureza fez um acordo com eles: transformá-los em um mini-modelo de unidade global, que em última análise tem que dar um exemplo ao mundo”.

Leia meu artigo completo >>

Nova Vida # 38 – Construindo Um Ponto De Conexão – Ser Um No Casamento

Nova Vida # 38 – Construindo Um Ponto De Conexão – Ser Um No Casamento
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

A concessão mútua e o princípio de que o amor cobre todas as transgressões pode transformar um relacionamento conjugal de um em que nos invalidamos e engolimos uns aos outros para um em que vivemos em completa harmonia juntos. Nós nos tornamos um quando tudo o que um parceiro faz e pensa é voltado para o outro parceiro e vice-versa. Nenhum dos parceiros leva em conta tudo o que lhes pertence individualmente e, com isso, corrigem-se e despertam as forças da natureza dentro e ao redor deles. Se eles renovarem constantemente essa atitude, ambos realizarão tudo o que desejam e verdadeiramente se tornarão um só corpo.

De KabTV “Nova Vida # 38 – Construindo Um Ponto De Conexão – Ser Um No Casamento”, 17/07/12