Um HaVaYaH

laitman_269O Criador criou um sistema HaVaYaH e o quebrou para dar aos seres criados a oportunidade de se aproximarem Dele, e ele foi dividido em muitos sistemas individuais. Afinal de contas, a fim de alcançar a essência do Criador, Suas qualidades, caráter, comportamento, doação e Sua atitude para conosco, devemos gradualmente revelá-Lo desde as coisas mais fáceis às mais complexas.

O primeiro HaVaYaH é apenas um ponto e depois cresce: Ibur, Yenika e Mochin. Este é o fim da realização do primeiro HaVaYaH, e o daí segundo começa, o que significa que o primeiro HaVaYaH é dobrado para que possamos sentir melhor o Criador. Já existe uma necessidade de conexão mútua entre o Criador e o ser criado: todo o sistema começa a crescer a partir da gota de sêmen.

O Criador sempre se esconde e sobrecarrega nosso coração, e nós devemos superar isso e descobrir que o Criador está por trás de tudo. Cada vez esses sistemas HaVaYaH individuais (dezenas) se conectam mais e mais e se reúnem em um único HaVaYaH.

O universo nasceu de uma única centelha no Big Bang e expandiu-se a partir daí em todas as direções. Agora, pedaços deste HaVaYaH retornam de todas essas direções e se reconectam. De fato, essa separação existe apenas em relação a nós, e aprendemos como conectar o número infinito de partes em um único princípio: “Não há outro além Dele”.

Vemos que quanto mais o nosso mundo avança, mais todos os seus sistemas, manufatura e ciências se conectam. A sabedoria da Cabalá revela claramente todas as evidências de que nada mais existe além de um HaVaYaH.

É como se neste mundo nos abstraíssemos da matéria e de seu comportamento em diferentes níveis estudados pela física, química, biologia, zoologia e considerássemos apenas as próprias leis, então temos a matemática que descreve fórmulas de relações entre todas as partes, todos os desejos.

Não importa em que nível essas partes se conectem – no nível inanimado, vegetativo, animado ou mesmo falante, na mente e no coração – as mesmas fórmulas operam em todos os lugares. Portanto, depois de muitas pesquisas, começamos a ver como tudo se reúne em uma dezena.

Precisamos pensar nisso agora mesmo e tentar tratar toda a criação como uma dezena. Para o Criador não há diferença entre longe e perto – para Ele todos são iguais e todos se conectam em um todo. Nós também precisamos tentar nos relacionar com o ser criado da mesma maneira, para nos tornarmos mais sensíveis aos amigos que estão longe, que não estão na mesma sala, país ou continente.

Eles estão todos incluídos no vaso da alma. Para mim, todos os pontos no coração que o Criador escolheu e puxa para Si mesmo são inseparáveis ​​de mim mesmo como minha própria alma, ou até mais importante. Dessa forma, todos se unirão em uma dezena. 1

A correção acontece do mais leve ao mais pesado; portanto, os desejos mais leves são selecionados primeiro: 2.000 anos + 2.000 anos + 2.000 anos (HBD – HGT – NHY). As primeiras gerações alcançaram com relativa facilidade a Torá e as correções porque eram menos egoístas e não precisaram de muitos anos de trabalho duro para isso.

No entanto, somos nós, os mais egoístas, que revelam a maior Luz, embora ela se manifeste em seus desejos de luz. Então tudo isso é arredondado em uma dezena, mas por enquanto fazemos o trabalho e estamos na escuridão, e a Luz se manifesta nos Kelim (vasos) dos antepassados.

Somos chamados de “a última geração” por um bom motivo. Nós realmente pertencemos aos últimos desejos, mais grosseiros e pesados ​​incluídos na correção. No entanto, precisamos nos orgulhar de termos tido a oportunidade de atrair a maior Luz para os Kelim dos antepassados.

Precisamos entender que estamos fazendo um ótimo trabalho, mesmo que nos pareça minúsculo, e através disso atraímos a grande Luz, que é totalmente invisível para nós, porque é revelada nos Kelim acima de nós. Onde podemos obter motivação para o trabalho se não tivermos conexão com o grau dos antepassados ​​onde a Luz é revelada através de nossos esforços?

Este é um problema e, portanto, só precisamos continuar “como um boi para o fardo e como um burro para a carga” até que tudo se conecte em uma dezena, pelo menos aproximadamente, de modo que a iluminação do grau superior atinja nossa dezena mais baixa. Isso não acontece de uma só vez. Existem dez Sefirot da Luz direta, dez Sefirot da Luz refletida, e em cada Sefira existem dez Sefirot horizontalmente, e assim por diante.

Levará muito tempo até que todas estas Sefirot se espalhem de cima para baixo e através delas, corrigidas diante de nós, a Luz mais fraca de Nefesh flua até nós. Era muito mais fácil alcançar a espiritualidade no tempo deles. Por isso eles são chamados pais e nós somos chamados de filhos, a última geração. 2

A Tragédia no Deserto de Arava

Todos devem tentar ver e sentir que essa perda aconteceu em sua própria família, em seu filho. Então entenderemos até que ponto estamos longe de estar conectados. Afinal, quando descobrimos a tragédia, ficamos chateados e preocupados, mas mesmo assim fomos dormir e tomamos café da manhã como de costume. Esta não é de forma alguma a tristeza que se abateu agora sobre as famílias dos adolescentes que perderam suas vidas. Mas por que não nos sentimos exatamente da mesma maneira? Nós não estamos conectados o suficiente, porque, na verdade, todos deveriam sentir tal tristeza como se tivessem perdido seus próprios filhos.

Todas as tragédias do mundo acontecem porque o Criador precisa ser revelado quando chega a hora, mas não O revelamos. Esse é o sofrimento. 3

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá, 27/4/18, Lição do Tópico: “Conectando o Mundo Inteiro a uma Única Dezena” (Preparação para a Convenção “Todos Como Um” em Nova Jersey, 2018)
1 minuto 0:30 – 9: 15
2 minuto 11:45
3 minuto 63:30

Comente