Jerusalém: A Capital Da Humanidade Unida

Laitman_421.01Jerusalém é o lugar do Templo e, ao mesmo tempo, o local da destruição. Precisamos chegar a um estado em que Jerusalém, que significa “temor/respeito completo” (Ira’a Shlema), habitará em nossos corações, em nosso desejo, e com a aquisição da intenção de doar, nós construiremos lá um vaso espiritual perfeito chamado “o Templo”.

Tanto o primeiro vaso espiritual – recepção em prol da doação – quanto o segundo – doação em prol da doação – pertenciam apenas à cabeça da alma comum. O terceiro vaso incluirá ambas, doação em prol da doação e recepção em prol da doação a todas as nações, como está escrito: “Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos” (Profetas, Isaías 56:07). Isto é, para todo o desejo de desfrutar criado no nível humano. Todos receberão igualmente a revelação da força superior em unidade comum. As diferenças entre as pessoas desaparecerão e este mundo desaparecerá no final da correção, como escreve Baal HaSulam. Somente um desejo comum em que todos se unem em perfeita unidade permanecerá, totalmente preenchido com a Luz superior.

Todos estarão em plena realização da força superior, como um só coração, sem diferenças. Pelo contrário, a separação prévia irá trabalhar para fortalecer a unidade, como está escrito: “O amor cobrirá todas as transgressões”.

A Jerusalém restaurada deve ser assim. Mas, por enquanto, como vemos, ela está em estado de destruição total. Não há cidade no mundo que seja mais dividida, dilacerada por toda oposição e contradição possíveis. Tudo deve ser revelado como material para correção.

O Dia de Jerusalém nos lembra de uma correção necessária. Acontece que não é uma celebração em homenagem à cidade em si. É uma celebração em honra da oportunidade que nos foi dada pela libertação.

Nós celebramos o dia em que Jerusalém nos é dada como local de trabalho e local onde ocorrerá a correção no futuro. Então, o povo de Israel e todas as outras nações, assim como a terra de Israel e o mundo inteiro, serão revelados em adesão com um único Criador.

Através disso, Israel cumprirá sua missão de ser uma Luz para as nações. A missão do povo de Israel como cabeça do Partzuf espiritual em relação ao corpo é corrigir toda a humanidade. No entanto, a correção deve se espalhar para todas as nações, e a revelação do Criador em todo o Seu poder acontece precisamente no corpo da alma comum, isto é, nas nações do mundo.

Está escrito que no final da correção a terra de Israel se espalhará para o mundo inteiro. Isto é, o desejo de desfrutar que se relaciona com a realização do Criador se espalhará para todo o universo e todos se unirão e se tornarão uma nação do Criador, como está escrito: “Todos Me conhecerão, do menor deles ao maior deles”.

Jerusalém não se refere apenas à unificação de Israel, mas também à unificação de toda a humanidade. Este ponto particular, esta cidade, existia mesmo antes de nossos antepassados ​​virem à terra de Israel; eles não a criaram do zero.

O fato de que as nações do mundo, por exemplo, os EUA e outros, mudem suas embaixadas para Jerusalém é uma espécie de símbolo. No entanto, isso não realiza a correção em si – a correção deve ser do povo de Israel. Chegou a hora de todos aqueles que estão no grau de Israel (Yashar-Kel), isto é, se esforçando para revelar o Criador, se unirem entre si e com o Criador, e se tornarem a cabeça do Partzuf espiritual. Nossa união, e nada mais, é o mais importante.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá, 13/05/18, Escritos do Baal HaSulam, “Um Mandamento”

Comente