Depressão De Um Economista

Laitman_514.02Nas Notícias (Project Syndicate): O Prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, escreve:

“Eu tenho participado da conferência anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça – onde a chamada elite global se reúne para discutir os problemas do mundo – desde 1995. Nunca saí mais desanimado do que este ano. …

“Os CEOs de Davos ficaram eufóricos este ano com o retorno ao crescimento, os lucros fortes e a alta remuneração dos executivos. Os economistas lembraram que esse crescimento não é sustentável e nunca foi inclusivo; mas tais argumentos têm pouco impacto em um mundo onde o materialismo é rei.

“Então, esqueça as trivialidades sobre valores que os CEOs recitam nos parágrafos iniciais de seus discursos. Eles podem carecer da franqueza do personagem de Michael Douglas no filme Wall Street, de 1987, mas a mensagem não mudou: “A ganância é boa”. O que me deprime é que, embora a mensagem seja obviamente falsa, muitos no poder acreditam que seja verdade”.

Meu Comentário: Ao contrário de Joseph Stiglitz, não me sinto deprimido porque entendo o egoísmo da humanidade e, desde o início, não espero boas ações da elite econômica. Além disso, desejo-lhes boa sorte. Porque quanto mais eles descerem à sua própria ganância, mais rapidamente o mundo verá a verdade e finalmente se tornará maduro o suficiente para aplicar a sabedoria da Cabalá.

A sabedoria da Cabalá diz que precisamos nos unir e exigir a realização do método para a correção do mundo a partir do povo de Israel. Mesmo nos tempos antigos, o Faraó egípcio entendia que os judeus estavam fugindo dele para a verdadeira unidade, para a ascensão acima do egoísmo. Isso tem que ser entendido pelas nações hoje ainda mais claramente.

A essência do método da sabedoria Cabalística, inerente ao povo de Israel, é a seguinte: conectem-se de tal forma que o egoísmo não mais nos separe ou nos perturbe. Demonstrando essa possibilidade para todos, os judeus cumprirão aquilo que o mundo espera deles, mesmo que inconscientemente.

Tendo se encontrado em um beco sem saída, as pessoas vão sentir isso. A humanidade começará a perceber que a solução para o problema está escondida no povo de Israel.

E tudo depende de como o povo de Israel é capaz de perceber a ideia de unidade dentro de si – depois mostrando e apresentando ao mundo.

Hoje, os judeus são odiados, sem um claro entendimento do porquê. Em vez de uma causa inerente, razões e desculpas são oferecidas para esse ódio. Portanto, esse ódio requer uma orientação correta na consciência, de modo que todos juntos se concentrem no que interessa: por um lado, aqueles que aspiram à correção interna – o “povo de Israel”, por outro lado, todos os outros.

Na realidade, essas duas partes juntas resolvem um problema mútuo. É simplesmente necessário começar com alguém e é por isso que a união começa com aqueles que já estão maduros para isso. Então, numa base voluntária, baseada no desejo, por meio de exemplos positivos, círculos mais amplos se conectam a eles.

Desta maneira, é totalmente desnecessário expulsar os judeus de sua terra; não é necessário matá-los. É necessário motivá-los a criar uma sociedade forte e entrelaçada, espalhando a Luz superior para o mundo inteiro.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman”, 13/02/18

Comente