Admirar Os Amigos, Não Os Ídolos

laitman_260A princípio, Abraão era um adorador de ídolos e fazia ídolos, isto é, adorava os desejos aceitos neste mundo por dinheiro, honra e conhecimento. Todas as nossas ações neste mundo são chamadas de criação de ídolos ou adoração de ídolos. Afinal de contas, trabalhamos pelo nosso próprio egoísmo, que morrerá conosco, e isso significa que o trabalho não produz resultados, assim como a adoração de ídolos. Não trabalhar um ídolo significa trabalhar para alguém que reaja ao seu trabalho, alguém com quem você vive e se desenvolve. 1

A unidade não é um objetivo em si, mas um meio de revelação da força superior. É a mesma rede na qual reunimos uma grande pesca com a qual sonhamos: um Leviatã. Se conseguirmos a unidade na dezena, então ela se multiplica, amplia, “engorda”: um peixe engorda e engorda até se tornar um Leviatã. Um Leviatã é todo o desejo de desfrutar que é criado pelo Criador. Assim nós chegamos à refeição do Leviatã, onde recebemos toda a abundância do mundo que nos satisfaz. Nós percebemos isso na mente e no coração.

Ao estudar Cabalá, a pessoa se prepara para pegar a pesca maior e mais gorda. É um trabalho super egoísta. Um Cabalista não corre atrás do prêmio Nobel ou de um bilhão de dólares, que amanhã se tornará obsoleto e, mesmo que não o tornem, você ainda não poderá levá-lo ao túmulo. Um Cabalista espera por uma vitória séria, que excede as possibilidades deste mundo.

As pessoas que estão longe da Cabalá riem de nossa aspiração de alcançar a unidade, considerando esse engajamento ingênuo ou não sério. Na verdade, seus compromissos são brincadeiras de criança, que não trazem nenhum benefício: como castelos de areia construídos por crianças na praia. Mais cedo ou mais tarde, uma onda passará e levará tudo embora. E isso é chamado de ocupação séria em nosso mundo? 2

Se uma pessoa estabelece conexão com o Criador, significa que ela pertence ao Kli (vaso) que está ligado a Ele, isto é, o Kli comum de toda a humanidade. Isso significa que é impossível estar conectado ao Criador se você não se associar com toda a humanidade. Um está conectado ao outro. 3

Um sinal de avanço é ver que seus amigos são significativamente mais bem-sucedidos do que você. Eu acredito que eles estão avançando, estabelecendo uma conexão interna uns com os outros, dizendo coisas profundas, não apenas palavras vazias, mas verdadeiramente do coração, e esta é a vida deles. Enquanto isso, ainda estou olhando para eles com ceticismo e sentindo que estou confinado em armaduras, que me impede de me sentir tão bem quanto eles, de me alegrar e chorar junto com todos. Eles passaram por um avanço em seus sentimentos; quebraram a casca; eles emergiram dela, como um verme de um rabanete, e sentem algo fora de seu egoísmo.

Por um lado, estou cheio de inveja e, por outro lado, sinto-me orgulhoso e me regozijo com o fato de que me encontro em tal sociedade e me relaciono com pessoas tão grandes. Acontece que, se não hoje, amanhã eu também vou chegar a isso.

A inveja faz com que eu dê o meu melhor o tempo todo. A inveja é muito saudável se for positiva. Eu não quero que os amigos caiam do nível deles, já que eles são a corda que jogaram para mim, aquele que está se afogando no rio. Eu seguro essa corda e, como tal, quero que os amigos sejam tão altos e fortes quanto possível; eles são minha única esperança.

Eu começo a me alegrar com o fato de que estou atrás deles. De repente eu vejo que o grupo e o Criador revelados entre os amigos são minha salvação, e não pode ser de outra maneira. Portanto, é bom que eu seja menor que todos. É claro que quero crescer, mas estou pronto para servir a eles e ao Criador – eu já tenho a atitude correta em relação à força que avança. É um grande sucesso começar a se sentir assim. 4

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 01/04/18, Escritos do Rabash, “Quais São as Mitzvot Leves que uma Pessoa Pisoteia com Seus Calcanhares, no Trabalho? Artigo 41, 1990
1 (minuto 51:30)
2 (minuto 53:25)
3 (Minuto 57:15)
4 (minuto 58:00)

Comente