“Stephen Hawking”

Dr. Michael LaitmanDa Minha Página No Facebook Michael Laitman 15/03/18

Um entrevistador perguntou uma vez ao notório astrofísico Stephen Hawking, que morreu ontem, como é que ele usa “Deus” como uma metáfora, embora não seja religioso de forma alguma?

“Se você acredita na ciência, como eu, você acredita que existem certas leis que sempre são obedecidas. Se você gosta, pode dizer que as leis são a obra de Deus, mas isso é mais uma definição de Deus do que uma prova de sua existência”, Hawking respondeu.

Curiosamente, o Cabalista Yehuda Ashlag escreveu que “A natureza (HaTeva em hebraico) tem o mesmo valor numérico (em hebraico) que Deus (Elokim em hebraico) – oitenta e seis” e, portanto, podemos “chamar as leis de Deus de ‘leis da natureza’ ou vice-versa, pois é a mesma coisa” (“A Paz”)

A sabedoria da Cabalá, semelhante à ciência comum, afirma que o homem deve investigar e alcançar um senso claro de realidade e não ser atrapalhado por delírios. O homem deve aplicar o provérbio: “Um juiz tem apenas o que seus olhos veem”. Isto é, ele deve confiar apenas no que é capaz de apreender em seus sentidos reais.

No entanto, se o conceito de “Deus” é indefinido e amorfo, declarar que “não há Deus” é como declarar “existe um deus”. Para declarar a existência de algo ou a falta dele, primeiro você precisa definir o que é este algo. Talvez Hawking soubesse o que quis dizer quando disse “Deus”, mas na ciência, você não pode se referir a algo se não houver consenso sobre sua definição.

A abordagem decisiva de Hawking para a inexistência de algo é a reminiscência da certeza de que as gerações anteriores tinham de que a terra era plana ou que o sol gira em torno dela. Além disso, uma declaração sobre a existência de Deus, ou vice-versa, às vezes está relacionada com a expressão da justiça de sua visão e o triunfo de sua crença.

Uma pessoa que pesquisa a realidade usando o método da Cabalá aceita que o que ela não pode perceber simplesmente não existe para ela. Em outras palavras, digamos que me disseram: “Salte um metro de altura, e você verá um mundo completamente diferente”. Agora, eu simplesmente treino para pular um metro de altura. Não acredito no que me dizem, quero ver por mim mesmo. Portanto, eu me concentro apenas no próprio salto.

A sabedoria da Cabalá nos explica como usar as leis da natureza para expandir nossa compreensão da realidade. Em última análise, para chegar a um estado onde eu estou incluído em toda a natureza, conhecido como “alcançar a adesão ao Criador”, ou nas palavras de Stephen Hawking, “conhecer a mente de Deus”.

Para saber como fazer isso, comece aqui >> Curso Gratuito de Cabalá

Comente