Luta Pela Liberdade

laitman_424.02O estado mais perigoso não é nem a subida nem a descida, mas a indiferença. Não temos força para sair dela: nem para cima nem para baixo. É considerado a morte. Em uma descida, a pessoa experimenta vários problemas, influências negativas e pensamentos estranhos, mas está viva e não está morta. A morte é a indiferença.

O Criador diz: “Venha ao Faraó!” Isto é, Ele nos convida a descobrir o quão oposto somos em relação à força superior, ao mundo espiritual, doação e amor. Nós teremos então ferramentas para o trabalho: a Luz será revelada no fundo da escuridão.

Caso contrário, não podemos discernir nem senti-la. Portanto, o exílio egípcio era necessário porque revelava nossa oposição total ao Criador, pois o Faraó é o inverso do Criador. Quando uma pessoa descobre toda a extensão dessa oposição, está pronta para sair do Egito.

Nosso problema não é nem a luz nem a escuridão, mas o crepúsculo cinza, a indiferença. Nada pode ser feito lá. Se eu estou na prisão e me sinto preso, eu faço todos os esforços para fugir. No entanto, se eu não sinto que estou aprisionado, separado da vida real, estou pronto para permanecer nesta cela para sempre. Não há pior estado. Esta é uma prisão real e apenas o ambiente pode ajudar a pessoa.

Estados ruins ou bons levam ao avanço, mas o estado de indiferença é totalmente estático e toma 90% do nosso tempo. Ele emgole a nossa vida, deixando-nos sem qualquer esperança de alcançar o propósito da criação. Portanto, devemos lutar contra isso. Essa é a nossa área de livre arbítrio, o terço médio de Tiferet, onde nem as forças do alto nem as forças de baixo agem sobre nós – nós estamos no meio delas e não podemos fugir para lugar algum. Esta é a verdadeira prisão.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 18/01/18, Lição sobre o Tema: “Das Obstruções Às Subidas” (Preparação para a Convenção Mundial de 2018)

Comente