Livros Sobre O Eterno

laitman_527.07

Se começarmos a explicar a uma criança de três ou quatro anos nossos problemas de adultos, obviamente, de acordo com seu desenvolvimento mental, psicológico e espiritual, ela será incapaz de compreendê-los. Ela não está interessada neles e eles não estão incluídos em suas definições.

É assim que lemos livros escritos por Cabalistas; devemos tentar perceber que não entendemos o que eles dizem.

Digamos que leiamos o artigo “Sobre o Amor dos Amigos”, mas não sabemos o que são os amigos ou o que é o amor. “Amigos” na espiritualidade são partes da minha alma; no entanto, eu não os sinto dessa maneira. Imediatamente, eu confundo a palavra “amigos” com a amizade habitual neste mundo: com conhecidos, alguém com quem é agradável passar uma noite, viajar, ou com amigos de infância.

No entanto, aqui tem um significado completamente diferente. Eu quero revelar a minha alma, a parte eterna da realidade, mas até agora só tenho uma existência temporária e ilusória em nosso mundo imaginário que realmente não existe. Portanto, eu devo entender que os livros falam da minha alma eterna, que surge diante de mim na forma de algumas pessoas especiais com as quais me juntei por um governo superior, pela rede quebrada de conexões entre nós.

É necessário formar uma representação de tal sistema dentro de nós, ainda que seja imaginário, mas tão próximo quanto possível do sistema espiritual. Além disso, precisamos definir com precisão quem é “uma pessoa” em geral e “amigos” em particular, e o que é “amor dos amigos”? Os amigos não são aqueles com quem é legal sair, tomar uma bebida, fazer uma refeição, dançar ou estudar.

Amigos são uma conexão espiritual especial, que não tem o propósito de trazer prazer uns aos outros. O prazer só pode ser o meio. Mas, na verdade, o amor dos amigos é quando cada um age em vez do outro. Essa é uma das dificuldades de estudar Cabalá.

A segunda dificuldade é que nós percebemos a Torá como uma história sobre o nosso mundo: como se houvesse tempo, espaço e movimento, que não existem no mundo espiritual. Portanto, essa “história” que ouvimos da Torá também não existe! Não há nem Egito nem o exílio egípcio.

Eu não deveria imaginar que isso aconteceu alguma vez em nosso mundo. A Torá não descreve eventos históricos, mas uma sequência de estados preparatórios pelos quais os Cabalistas passaram para alcançar a verdadeira e única percepção da realidade existente.

Portanto, eu também deveria constantemente me imaginar não estudando a história que ocorreu nos tempos antigos com um grupo de pessoas fugindo de um lugar para outro. Não é sobre isso, mas sobre as impressões sensoriais de uma pessoa, encontrando-se em um estado que ela define como exílio espiritual, exilada do mundo espiritual. Então é possível imaginar o que é a redenção e o desenvolvimento espiritual. Trata-se apenas do que está acontecendo dentro de uma pessoa.

Todos os dias eu quero me separar cada vez mais das histórias, da história e da geografia, e explicá-las a mim mesmo no nível interior, sensorial: o meu ou o de outra pessoa que quer se desenvolver espiritualmente. Tudo isso se aplica apenas ao período de desenvolvimento espiritual de uma pessoa. Portanto, “amor dos amigos” e, em geral, toda a Torá devem ser considerados apenas na forma interna, em relação ao nosso desenvolvimento.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 06/03/18, Lição sobre o Tópico: “Preparação para Pessach 

Comente