Lembre-se…

Laitman_020O feriado de Purim é o feriado mais feliz, o melhor momento para grandes misericórdias. Purim simboliza todo o nosso trabalho espiritual.

Todos os feriados estão relacionados com a correção da alma quebrada de Adam HaRishon, o primeiro homem, mas apenas Purim significa a conclusão desse processo, a última ação, chamada Gmar Tikkun, o fim da correção.

Então nos lembramos de todo o nosso desejo egoísta de receber prazer em todo o seu enorme alcance e entendemos que não podemos resistir a ele de forma alguma. Somos muito fracos. Mesmo o justo Mordechai (Mardoqueu) senta-se em uma rocha em frente ao portão do rei, um pobre velho que ninguém considera, enquanto Hamã governa todo o reino como braço direito do rei.

O Criador coroa de propósito o egoísmo para governar, como está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal”. E o Faraó (egoísmo) é o rei do mundo em vários papéis e personagens. Somente quando a pessoa sente que sua própria existência está ameaçada ela desperta. Quem a ajuda a despertar? Hamã faz isso, dizendo: “Destruamos essa raiz que poderia despertar, o desejo de doar ou a intenção de doar, nas suas bases. Por que devemos mantê-la? Eu sou o rei!”

Quando chegarmos a essa altura do desejo de receber em que queremos controlar tudo com a intenção de receber, descobriremos que o desejo de receber é uma matéria imutável, mas que a intenção de receber é incorreta e que podemos controlar o desejo de receber com a intenção de doar. Embora a intenção de doar seja contra a natureza, muito fraca, contra nossa consciência, compreensão e própria natureza, e, além disso, o rei, ou seja, o Criador, não a apoia, no entanto, ela ainda existe. Como é possível lutar contra isso? A intenção de doar é muito fraca, tênue e delicada para enfrentar Assuero que apoia Hamã com o poder do mal.

Mas há uma parte do desejo de receber que se chama “os judeus” (Yehudi) porque esta parte possui a força potencial da unidade. Se uma ameaça grave aparecer sobre eles, eles se unirão. Embora essa unidade seja forçada a eles, provocada pelo medo de destruição, ela, no entanto, atrai para eles a Luz que Reforma, a força superior. A força superior é despertada no rei Assuero que inicialmente apoiou Hamã, mas depois da união dos judeus, ele apoia Mordechai plenamente e com muita alegria.

Tudo depende desse grupo, que é chamado em seu potencial, “os judeus” (a palavra hebraica para “judeu” [Yehudi] vem da palavra “unidos” [yihudi]). Então, quando eles se unem, primeiro de forma coercitiva, depois, de bom grado, têm uma grande força, primeiro para controlar o rei Assuero, e mais tarde destroem o poder de Hamã, toda a inclinação ao mal que poderia facilmente destruí-los.

Tudo isso foi feito pela sua união e atração de uma grande força, que os ajudou a se unir ainda mais, então, ao agir através do poder da unidade, eles subjugaram o poder da separação, o poder de Hamã.

Eles fazem isso em todos os graus e estados, porque esta é a correção, mas em Purim, ela se desenrola como um milagre. Purim é sobre um enorme desejo de receber, nas suas 32 partes, que são impossíveis de corrigir diretamente. É por isso que é considerado um milagre, porque podemos corrigir 288 partes do desejo de receber gradualmente em 125 graus, mas o coração de pedra se une a todas essas correções, mas não aparece. Somente na ação final, o coração de pedra surge e se corrige através de 288 partes, e as 32 partes também entram na correção de uma só vez. Então, a Luz do fim da correção surge.

Em Purim, podemos ver todo o processo de correção: o exílio, a libertação em todas as suas formas. É por isso que Purim começa com a leitura do capítulo “Lembre-se do que Amaleque fez com você”. A intenção em benefício próprio, chamada inclinação ao mal ou Amaleque, nos acompanha todo o tempo, e é precisamente por causa de Amaleque que chegamos ao Criador.

Se não fosse por essa inclinação ao mal, nunca teríamos despertado para a unidade, nunca teríamos revelado nossa separação do Criador e não teríamos alcançado equivalência de forma com Ele. É impossível alcançar a adesão sem a ajuda desta força do mal que está trabalhando na linha esquerda.

É por isso que devemos lembrar o que Amaleque nos fez. Em todos os estados, o Criador nos envia uma ajuda contra Ele, e esta é uma grande ajuda. Nós só precisamos saber como nos relacionar corretamente com essas forças da natureza.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 27/02/18, Escritos do Rabash, Artigo 21

Comente