Eu Retorno O Mundo Inteiro Para Dentro De Mim

laitman_928Eu sempre me dirijo ao “Não há mais além de Ele”, que é a causa de tudo o que está acontecendo comigo, mas vejo esse mundo imaginário entre eu e o Criador, o que me dá todos os tipos de problemas.  Eu tenho que imaginar este mundo como um reflexo de minhas qualidades internas. Dependendo da minha percepção da realidade, eu vejo minhas qualidades internas fora de mim, ao meu redor.

Se eu vejo você na minha frente, isso significa que você existe dentro de mim como um desejo particular com certas qualidades. Na medida que corrijo minha relação externa com você, eu, aparentemente, retorno você para dentro de mim. Você está agora incluído em mim e eu não lhe vejo mais do lado de fora.

Em nosso mundo, primeiro o embrião se desenvolve dentro de sua mãe, depois nasce e cresce gradualmente até virar um adulto. Aqui ocorre o processo inverso, retornando à origem interna. Assim, nós estudamos a Torá interna e penetremos nela.

O mundo inteiro que vejo do lado de fora, eu preciso tentar encontrar dentro de mim como minhas qualidades interiores. Se eu vejo vários eventos neste mundo, bons ou ruins, eu devo tentar imaginá-los dentro de mim e corrigir a maneira como eu me relaciono com eles, mudar meu desejo para a doação. Se meu desejo for direcionado à doação, eu me tornarei semelhante ao Criador e me unirei ao Criador em um todo. Isso é chamado de adesão.

É desejável imaginar que a realidade externa seja vista fora de nós somente devido aos nossos estados internos não corrigidos. Mas, de fato, essa realidade deve ser interna. É por isso que estudamos a parte interna da Torá, aprendemos que tudo está dentro de nós e que a correção ocorre dentro da pessoa.

A Cabalá nos dá um método prático com o qual a pessoa pode se corrigir e mudar o mundo que nos rodeia, porque o mundo é nossa projeção. Isso não é filosofia, mas a verdade. O filósofo é aquele que nega isso.

Qual é o objetivo de todos os nossos esforços para corrigir o mundo? O nome “reformadores do mundo” é um nome depreciativo na Cabalá, porque em vez de mudarem a si mesmos, eles tentam mudar o mundo ao seu redor. São como crianças, que pensam que seu jogo é a verdade, e que o bebê real é a boneca de pano e não um bebê vivo.

Da a 1a  parte da  Lição Diária de Cabalá 04/03/18,  Escritos do Rabash, Vol.2, Artigo 44

Comente