A Nação Pioneira

laitman_749.01Todas as criações devem atingir a unidade – este é o estado final de evolução de toda a criação. A evolução está constantemente progredindo, levando-nos as etapas da revelação do mal.

No final, todos devem compreender a vantagem da Luz sobre a escuridão, e depois de passar por todas as formas de separação, desejam elevar-se acima de sua natureza egoísta. A revelação do mal nos leva à unidade.

Sempre houve pessoas que entenderam a virtude da unidade, sendo altruístas por natureza. No entanto, hoje, a natureza está nos fornecendo provas práticas tornando-se integral e vinculando todo o mundo em uma única rede. O egoísmo está se tornando global e está nos conectando um ao outro. Quer nos agrade ou não, temos que nos unir para impedir que a força de separação reine sem fim.

Ao estudar Cabalá, aprendemos que a obrigação de se unir vem da própria natureza, do pecado da Árvore do conhecimento. Toda a criação foi feita como uma alma que mais tarde foi propositalmente dividida em muitas partes separadas.

Nós não temos escolha. Temos que reconstruir e unir toda a criação. Este é o estado que o Criador e as pessoas desejam. Aqueles que entendem isso são chamados de Yashar Kel – direto ao Criador – porque a força superior, o Criador, é a natureza autônoma unida, integral e global. Para que possamos alcançar a adesão com o Criador, equivalência de forma, temos que nos tornar como Ele, nos elevarmos acima de nosso egoísmo divisório e começar a se unir.

Não somos socialistas ou comunistas, nem humanitários nem biólogos observando exemplos de unidade em organismos vivos. A prova da necessidade de se unir é apresentada pela ciência da Cabalá, e nós estamos constantemente revelando a necessidade de alcançá-la em nossa consciência e sentimentos.

Por natureza, somos os maiores egoístas, porque aqueles que chegam à Cabalá têm o maior desejo. Mas junto com isso, entendemos que devemos nos tornar semelhantes à força superior para alcançar o sentido da vida. É por isso que Abraão, de toda a humanidade, escolheu um grupo que se tornou o povo de Israel, cujo fundamento é o ama ao próximo como a si mesmo, a grande lei da humanidade, da natureza e da Torá. Temos que nos considerar um grupo de pioneiros em toda a humanidade, que estão tentando perceber essa grande lei da natureza – o amor ao próximo – e implementando-a para que possamos transmitir a todos.

A responsabilidade do povo de Israel é de ser o primeiro a chegar à unidade porque eles são chamados a realizar a lei do amor ao próximo e servir de exemplo ao resto da humanidade, isto é, ser “a Luz para as nações”. Os filósofos e os fundadores do Estado de Israel também falaram da unidade. No entanto, eles não aceitaram a ciência da Cabalá, a estrutura da natureza, mas a partir de sua compreensão interna e instintiva.

A Cabalá diz que a unidade é a lei da natureza e que, primeiro, ela se aplica ao povo de Israel. Baal HaSulam escreve que nós recebemos o direito de retornar à terra de Israel, rompendo com o governo das nações do mundo, apenas para cumprir nosso propósito: realizar a unidade e mostrar esse método às nações do mundo e se tornar a Luz para as nações.

Em antecipação ao 70º aniversário de Israel, esperemos que o povo de Israel, especialmente os que vivem na terra de Israel, compreenda o propósito de sua existência. Pois se não percebermos a lei do “ama ao próximo como a si mesmo”, de modo que possamos servir de exemplo para o mundo, não temos o direito de existir.

Este é um ponto muito importante. É a única razão para uma pessoa viver na terra de Israel. Caso contrário, ela não tem o direito de ser chamada de “Israel” e não pertence à nação de Israel.

O Estado de Israel terá o direito de existir apenas se trabalharmos para realizar a nossa responsabilidade comum de nos tornarmos “um homem com um só coração”, “todos os de Israel são amigos”, até cumprir a lei do “amor ao próximo como base de toda existência.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 07/02/18, Lição sobre o Tema o “Dever da Unidade da Nação Israelense”

Comente