Newsmax: “Os Pais Devem Ensinar Os Filhos A Resgatar Os Valores Das Mídias Sociais”

O maior portal, Newsmax, publicou meu novo artigo: “Os Pais Devem Ensinar Os Filhos A Resgatar Os Valores Das Mídias Sociais

Pais do século XXI, a controvérsia de Logan Paul deve se tornar seu alerta.

Se nossos filhos podem deslizar o dedo para assistir a um brincalhão filmando o corpo de alguém que cometeu suicídio e depois brincar com isso, então devemos perceber que algo está terrivelmente errado com a geração mais nova e nós somos inconscientes disso ou simplesmente não nos importamos.

Pais, depois de se beliscarem para verificar se estão acordados, atualizem-se com o que está acontecendo: os brincalhões do YouTube com seus vinte e poucos anos de idade se tornaram educadores e modelos para nossos filhos. Eles não são personagens com roteiro em um filme de ficção, eles são pessoas reais fazendo brincadeiras reais no mundo real. As crianças olham para eles mais do que para seus professores e, em alguns casos, mais do que seus pais.

Aqui estão algumas perguntas para os pais se fazerem: eu sei o que meus filhos estão aprendendo com os ídolos da Internet que estão seguindo? Eu sei quais exemplos eles estão imitando? Eu sei a que nível de conteúdo explícito eles estão expostos?

Agora vamos falar sobre por que Logan Paul fez o que fez. Obviamente, como ele ganha mais de US$ 50.000 por vídeo, ele quer atrair o maior número de telespectadores possível, e se virou para mostrar um cadáver para aumentar sua fama e fortuna. Mas como afinal ele teve a ideia de que a filmagem de um cadáver é apropriada?

Minha resposta. Logan Paul é um menino de 22 anos que cresceu em uma cultura que o cercou com representações visuais de sangue e violência e, naturalmente, se acostumou. Como os típicos americanos de sua idade, Logan assistiu mais de 200 mil atos de violência que incluem mais de 16 mil assassinatos quando tinha 18 anos. Ele também assistiu à programação infantil que mostra até 20 atos violentos por hora.

Em suma, nós permitimos que a geração de Logan tomasse seus exemplos, modelos e valores de uma cultura de mídia que está extremamente saturada de violência, e agora estamos deixando que eles sejam os modelos para as crianças de hoje.

Além disso, o filme “We Found a Dead Body” (“Nós Encontramos um Cadáver”) de Logan Paul foi apreciado por cerca de 600.000 pessoas antes do início da reação, o que significa que ele não estava apenas intoxicado por seu ego quando pensou que esse vídeo iria bombar. Ele realmente conhecia bem a audiência para saber que muitos o aceitariam.

Pais, é hora de dar uma olhada no quadro maior e reconhecer a espiral descendente da mídia violenta, a degradação dos valores sociais e os resultados horríveis. Se continuarmos por essa estrada, estaremos desenvolvendo seres humanos completamente entorpecidos pelo sangue e a violência, que demonstram pouco respeito à vida humana e não consideram nada além da gratificação instantânea de seu ego.

Pais, É Hora De Agir

Portanto, pais, se vocês já tiveram o suficiente para se posicionar e assumir o controle sobre a educação de seus filhos, eu primeiro sugiro que vocês se juntem e exijam do YouTube e outras plataformas das redes sociais que endureçam seus regulamentos e dediquem os recursos necessários para certificar-se de que seus usuários não podem enviar conteúdo impróprio. Dizer não à violência e ao sangue deve ser uma área em que todos podemos concordar. Não há nenhuma razão pela qual devemos permitir que alguém ganhe dinheiro preenchendo as mentes dos nossos filhos com conteúdo violento.

Dito isto, os regulamentos, sanções e precauções são mais como curativos de emergência em comparação com o que precisa acontecer. Mais cedo ou mais tarde, não haverá como escapar de fazer com que o nosso sistema educacional e seus métodos passem por uma reforma completa. Teremos que aplicar os formatos, meios e estilos que atraem às crianças, e reutilizá-los para espalhar valores positivos, estabelecer bons exemplos e, o mais importante, criar seres humanos que têm consideração pelos outros.

Pais, entendam o mundo dos seus filhos. Crescer com a Internet na palma das mãos os transformou na primeira geração “global-virtual”. Não é de se admirar que às vezes pensemos que nossos filhos são criaturas inteiramente diferentes. Eles passam 8-11 horas por dia colados em suas telas, principalmente nas mídias sociais. Eles se aborrecem facilmente e rapidamente se deslocam para a próxima atração com o deslize do dedo.

E quanto o mais mundo fica online, seus pensamentos, interações e sensibilidades tornam-se globais também. Cinquenta e oito por cento dos adultos de mais de 35 anos concordam que “hoje as crianças têm mais em comum com seus pares globais do que com os adultos em seu próprio país”.

Ao passar a maior parte de suas horas de vigília colados em suas telas, nossos filhos se tornaram mais atraídos pelo global e virtual do que pelo local e físico. Tenham em mente que todos nós estamos nos movendo para a realidade virtual global e, a esse respeito, nossos filhos estão melhor preparados para essas mudanças.

Nós passamos pelo palco onde a educação referia-se à informação e conhecimento. Hoje, as crianças podem procurar as respostas na Wikipedia mais rapidamente do que o que seu professor lhes diz na escola.

Nossa educação agora deve se concentrar na construção do ser humano. E isso significa construir um sistema de valores dentro da pessoa e um ambiente social em torno dela que equilibre o ego humano e o dirija para uma realização positiva.

Não se trata de pregar valores morais. Nossos filhos não vão comprar isso, pois seus egos evoluíram além disso. Nós temos que ajudá-los a perceber seu potencial e a encontrar sua expressão em um mundo cada vez mais interconectado, dando-lhes ferramentas para melhor se compreenderem e forjar conexões saudáveis ​​e significativas com os outros.

Isso não precisa ser chato e didático para eles. Nós podemos certamente encontrar maneiras emocionantes para eles terem conexões humanas positivas, através de discussões em estilo circular e projetos colaborativos com seus pares, tanto de forma prática como física.

Mas para que tudo isso comece a acontecer, os pais devem se envolver. Nós temos que tomar uma decisão de nos engajar no futuro de nossos filhos e reconhecer a necessidade de cultivar a mentalidade global que corresponde às condições da nova era global. 

Comente