Hora De Despertar A Deficiência E Encurtar O Tempo

Dr. Michael LaitmanAbertura da Lição Matinal de Cabalá 24/01/18

Em relação ao tema, “dos distúrbios à subida”, a palavra “distúrbios” é imprecisa, porque se dissermos que “não há outro além Dele”, que há apenas uma força, não duas ou três, mas apenas uma Força agindo na realidade, então tudo vem do Criador, e Ele é bom e benevolente.

Portanto, as influências negativas e positivas de um extremo ao outro, decorrem de uma única força, o “bom que faz o bem”. Somente na pessoa essa influência se divide em duas, onde ela se sente bem em alguma dessas influências e mal em outras. Isso apenas aponta para a falta de correção de uma pessoa, que ela não tem equivalência com o Criador, onde precisa sentir tudo emanando do Criador como bem, e o Criador como benevolente. Se ela não sentir, a cada momento, como estando no oceano do bom que faz o bem, pelo menos como um embrião no ventre materno, em todos os lados, em todos os discernimentos, onde somente o bem, a misericórdia e o amor a envolvem, é sinal de que ela tem um problema com a correção dos seus vasos.

Qualquer um poderia dizer: “Sim, eu tenho um problema com a correção dos vasos, mas o que posso fazer? Não sinto sua falta. Não consigo corrigir o que não me falta”.

Portanto, aqui nós precisamos atingir a deficiência pela correção. No entanto, pelo menos, começamos a determinar que nós, que estamos em um oceano de bem, benevolência, Luz, doação e amor, não sentimos isso, o que indica nossa falta de correção.

Agora, como eu posso despertar? Como não posso permanecer como era antes desse cálculo? Além disso, agora, depois desse cálculo, eu me sinto um pouco mal e um pouco bem, mas isso não me preocupa, me agita ou me força a atuar e me esforçar agora. Não há deficiência. Intelectualmente, eu poderia estar falando todas as coisas certas, mas não é suficiente. Emoção, deficiência, precisam me sacudir da minha posição.

A deficiência pode vir de cima. Isso é considerado o caminho do sofrimento. A deficiência pode vir de uma pessoa, que entra em uma conexão correta com o ambiente, e pela inveja, luxúria (cobiça) e honra, ela se obriga a sair deste mundo e entrar no mundo espiritual.

Se ela não faz isso através dos estratagemas sobre os quais os grandes Cabalistas escrevem, ela não avança no caminho de Achishena (“Eu acelerarei”). Ela é gradualmente aproximada do caminho de Beito (“no devido tempo”), mas isso é gradual, ou seja, é dependente do tempo e também da atitude da pessoa em relação ao sistema geral.

Portanto, tudo depende da nossa atitude para com a situação: Será que nós podemos, mesmo em um estado em que não sentimos nada – onde nada me move, nada importa para mim e onde simplesmente não me interesso, na maioria das vezes quando estou separado da espiritualidade, onde, aparentemente, eu sei o que está acontecendo e estou pronto para continuar com o fluxo -, reunir todos os meios à nossa disposição para que, no grupo, criemos de alguma forma um sistema de alarme que nos despertará, que nos impactará? Mesmo que todos nós adormeçamos, de qualquer forma, que haja algo que nos empurre até o propósito da criação.

Isso é considerado como acelerar o tempo. Isso é chamado de “Israel santificando os tempos”. Quem quer que seja “Yashar Kel” (“direto a Deus”) reduz muito o tempo, e tudo depende de encurtar tempo, porque certamente o Gmar Tikkun (o fim da correção) está vivo, mesmo agora, mas será que nós o alcançamos ou não, agora ou quem sabe em quantos eventos, encarnações ou anos?

O principal é que o nosso trabalho não é através de grandes subidas e grandes descidas, mas com a indiferença: é uma guerra contra a indiferença. Esse deserto nos consome.

Da Lição Diária de Cabalá, 24/01/18.

Comente