O Sistema Imutável Do Mundo Superior

laitman_541Pergunta: O que há de especial no método do Ari em comparação com os Cabalistas que vieram antes dele?

Resposta: Sistematização. Nada de novo. Nenhum Cabalista subsequente pode adicionar algo ao trabalho dos Cabalistas anteriores, além de elaborar as conclusões feitas em suas descobertas e dar uma descrição sistemática maior do que pode ter sido descrito com apenas algumas frases. Isso é tudo.

Pergunta: Pode-se dizer que a linguagem também mudou?

Resposta: Claro. Por exemplo, se tomarmos um curso de física escrito há 200 anos e compará-lo com um livro texto atual, naturalmente haverá uma diferença entre eles. Mas, em princípio, a essência da informação contida neles continua a ser a mesma.

É por isso que os grandes Cabalistas – pilares que aparecem uma vez em várias gerações – aumentaram significativamente as descobertas anteriores.

Pergunta: Os meios para alcançar essas descobertas permanecem os mesmos?

Resposta: Sim, porque a estrutura do mundo superior não muda.

Existem duas forças na criação: a força de doação e a força de recepção. A interação entre ambas forma o sistema superior e controla nosso mundo através dela. Essa é a física pura – um mecanismo simples de controle do nosso mundo.

É por isso que os Cabalistas não podem revelar nada novo, mas só podem explicar com maior detalhe o que foi revelado anteriormente. Afinal, o que foi alcançado por Abraão, Moisés e os Cabalistas do Primeiro e Segundo Templos continua a agir e a ser descoberto hoje.

Não há nada de novo no mundo superior. É um sistema estável e constante. É apenas que os Cabalistas, através da sua realização, adicionam esclarecimentos à próxima geração para que seja mais fácil de entender. Dessa forma, em cada geração a linguagem das explicações muda para torná-la mais compreensível a essa geração. É por isso que o Baal HaSulam (no início do século XX) e o Rabash (final do século XX) são os nossos Cabalistas mais próximos.

Da Lição de Cabalá em Russo, 23/07/17

Comente