Textos arquivados em ''

O Fenômeno Bitcoin

Chegará o dia em que, em virtude de uma nova qualidade de interconexão entre nós, surgirá uma nova “moeda”.

Abaixo está um gráfico de sete anos que mostra a taxa de câmbio Bitcoin-USD, com um aumento sem precedentes em 2017 (Buy Bitcoin Worldwide).

Impressionante, não é?

Obviamente, não sou analista de mercado ou especialista em criptografia. No entanto, a Bitcoin certamente não é apenas um fenômeno financeiro. Baseia-se na tentativa de criar um tipo completamente novo de valor universal.

Parece que não há nada que respalde a “moeda virtual” exceto algoritmos criptográficos. No entanto, não é motivo de risada. Afinal, a criptografia destina-se a fornecer confiabilidade e confiança, o que já é valioso em si mesmo. É como se os criadores da nova moeda declarassem: a natureza humana com sua “bagagem” não tem acesso ao nosso território.

O sistema financeiro moderno não pode se vangloriar de ter esse recurso; o dinheiro é produzido pelos bancos e é um fator das influências políticas e econômicas de países e organizações específicos. Em outras palavras, o “antigo” dinheiro serve a interesses muito específicos.

Por outro lado, bem diante dos nossos olhos, uma nova moeda, extra-governamental, extra-histórica, está nascendo, afirmando tornar-se um equivalente universal e absoluto, e até mesmo expulsando o ouro da sua posição imutável.

Ela está nascendo porque a necessidade dela está madura. Afinal, a globalização, que muitas pessoas criticam, é realmente um fenômeno natural. Ela reflete o estado atual da humanidade, que já se reuniu em um todo tecnologicamente, mas ainda não aceitou esse fato psicologicamente.

É por isso que ainda não entendemos como usar a criptomoeda, como integrá-la ao sistema e como ela mais tarde nos influenciará, aqueles que a criaram. No entanto, isso não altera sua essência: o mundo global está exigindo um equivalente monetário global que não depende de “circunstâncias” e interesses locais, subjetivos.

Por outro lado, se tratarmos essa novidade como nos velhos tempos, com os meios tradicionais, ela perderá seu “charme” – seu valor objetivo como visto pelo público. Sim, no início da estrada, a Bitcoin tornou-se um meio conveniente para negócios no mercado negro, que encontrou um caminho aqui, mas a “máfia financeira” completamente legal vai acabar com ela e vai encontrar uma maneira de assegurar um controle sobre a nova moeda.

Será que os jogadores ilegais poderão preservar a liberdade da criptografia? De um jeito ou de outro, seu futuro depende disso. Há chances de que isso aconteça, já que os governos e os bancos também estão conectados à “máfia financeira”.

No entanto, se nos elevarmos acima do barulho atual em torno da Bitcoin, veremos como o egoísmo em uma escala global está gradualmente construindo os respectivos sistemas globais para si mesmo, e de uma maneira que não lhes atribua ideais e ideologias artificiais.

Não há “bem” ou “mal” aqui, mas apenas negócios na forma pura. E que diferença faz se a confiança recíproca das partes é provida por cálculos de computadores virtuais? Pelo contrário, isso a torna ainda melhor; haverá menos erros nos cálculos.

Acontece que estamos falando de tendências globais e, na maioria das vezes, não faz sentido resistir a elas.

Além disso, no futuro, nós desenvolveremos parâmetros universais adicionais, mas de natureza social. Chegará o dia em que, em virtude de uma nova qualidade de interconexão entre nós, surgirá uma nova “moeda”: a avaliação social, expressada por um equivalente claro que qualquer um pode entender.

As pessoas também poderão acumulá-la, mas não vendê-la ou comprá-la. É mais provável que tenha uma natureza comparativa do que um valor completamente real.

Afinal, a sociedade, especialmente uma que seja global, não pode ser baseada apenas no egoísmo nu. Claro, ela é racional à sua maneira, mas, quando deixada com seus próprios dispositivos, isso leva a um ponto morto. O aspecto social no homem e na sociedade deve dominar o foco pessoal, de modo que o todo não se desintegre em pedaços.

Estes são os paradigmas de um novo tempo, cuja essência não é uma moeda única, mas novas relações entre pessoas em um mundo unido e moderno.

A Cabalá É Para O Mundo Inteiro

254.02Pergunta: Durante muito tempo, a Cabalá foi um ensinamento oculto para os iniciados. Você acha que a sabedoria da Cabalá é um ensinamento muito sério para pessoas comuns?

Resposta: A Cabalá é destinada para todos. Está escrito sobre isso no Livro do Zohar. Todos os grandes Cabalistas escrevem sobre isso: Ari, seu discípulo Marchu (Chaim Vital), Baal HaSulam, Rav Kook e Rabash.

A Cabalá não é um ensinamento, mas uma ciência acima da religião sobre a estrutura do mundo superior. Cada pessoa deve alcançá-lo porque faz parte deste sistema. Todos nós, no final do nosso desenvolvimento, devemos alcançar o estado em que nos integraremos com a mente e o desejo como elementos positivos.

Da Lição de Cabalá em Russo 10/09/17

Da Pobreza À Riqueza Extrema

laitman_566.01Observação: Hoje, o empreendedorismo tecnológico está sendo cultivado em Israel. Acredita-se que uma pessoa com uma ideia interessante pode saltar do status de um mendigo para a riqueza extrema. Por esse motivo, o futuro parece rico e próspero.

Meu Comentário: Esse é o mesmo sonho americano! Tudo estava aberto antes dos primeiros colonos que chegaram à América. Eles eram pobres, mas nada era proibido – por todos os meios, faça o que quiser. Liberdade absoluta de empreendimento. Se você tivesse inteligência e uma ideia, todas as rotas estavam abertas para você. Hoje, não é tão fácil. Dinheiro, linguagem e permissão de trabalho – e você é um rei.

Pergunta: Hoje em dia, em diferentes círculos que perseguem o desenvolvimento tecnológico, cada um acredita que eles serão os próximos: vão fazer carreira, ganhar bilhões e começar a viver bem. Essa fé é realista?

Resposta: Hoje, isso ainda é possível na alta tecnologia, uma vez que ela ainda é mantida pelo brilho da mente. Deve haver uma ideia. Ela pode surgir inclusive em alguém que é pobre, ou em alguém que sequer foi educado, por exemplo, como o estudante Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, o site de redes sociais.

Ideias brilhantes vêm mais dos judeus, uma vez que suas mentes são organizadas desta maneira. Eles são destinados a um correto trabalho espiritual, e não corpóreo. Mas, por enquanto, eles não estão sendo usados ​​para o propósito pretendido.

Pergunta: As perspectivas de implementar essas ideias são favoráveis ​​do ponto de vista da elite?

Resposta: A elite sabe como cortar cupons de tudo. Se eles não estivessem interessados ​​nisso, nada existiria. Eles teriam esmagado todos.

Quem legalizou as drogas? No começo, eles proibiram os cigarros: “Eles são tão ruins para você! Não podemos concordar com o fato de nossa sociedade fumar”. Depois eles os substituíram por drogas. Em cinco ou dez anos, veremos como eles irão gradualmente ter toda a população engajada em drogas.

Observação: Eu me lembro de como, em 2002, fumar já era proibido em um hotel em Las Vegas e todas as janelas estavam fechadas. Naquela época, parecia-me tão fantástico o quanto eles estavam cuidando da saúde das pessoas. E você disse: “Um programa estratégico está sendo implementado para substituir o tabagismo, que passará a fumar drogas”.

Meu Comentário: Era claro ver para onde isso estava indo. Nada do mundo acontece simplesmente assim.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 07/07/17

Nova Vida # 202 – Construindo Um Terreno Comum

Nova Vida # 202 – Construindo Um Terreno Comum
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Nitzah Mazoz

Resumo

Após o primeiro encontro, você pode construir um terreno comum construindo uma imagem da outra pessoa dentro de você. Você precisa ouvir sem criticar e absorver as emoções da outra pessoa enquanto se falam para conhecê-la ao nível da alma. Participe de um workshop de casais para aprender sobre amor, comunicação e como criar uma verdadeira família. É tudo sobre a conexão interna!

De KabTV “Nova Vida # 202 – Construindo Um Terreno Comum”, 25/06/13