Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 5

laitman_254.03Pergunta: A resistência à Cabalá começou na época do Baal Shem Tov e foi provocada pelo surgimento de muitos equívocos relacionados: o movimento sabbateano, quando Sabbatai Zevi se declarou Messias, Frankismo, etc.

Eles usaram o método do Ari e fizeram um substituto dele, o que atraiu muitas pessoas para si. Isso causou medos contra o método do Ari e a Cabalá em geral até hoje. Como esses estereótipos históricos podem ser dissipados?

Resposta: Se você está procurando uma desculpa para acusar um movimento que não gosta, você sempre pode encontrar um. É o mesmo que quando os antissemitas acusam os judeus de todos os pecados possíveis e impossíveis. É a mesma aspiração de se opor ao poder de doação.

O método do Ari é culpado pelo fato de Sabbatai Zevi ter tomado várias propostas dele? Existem muitas teorias de ficção supostamente baseadas na Cabalá: práticas médicas, camafeos, símbolos mágicos, notas, bênçãos. Todos usam alguns termos da Cabalá para mostrar que alegadamente têm poder.

Mas nós entendemos que não há poder neles e que, por fim, esse vazio se desdobrará, se não nessa geração, então na próxima. Todas as histórias falsas morrem, exceto a verdadeira Cabalá. Os Cabalistas continuam a praticar o mesmo método em todos os momentos, ajustando-o à sua geração e passando-o adiante.

Baal HaSulam revelou o método do Ari ao ponto em que ele nunca tinha sido revelado antes e, assim, escreveu O Estudo das Dez Sefirot, que é um comentário sobre a “A Árvore da Vida” do Ari e também O Comentário Sulam no Livro do Zohar. É impossível elaborar mais sobre esse método. E o Rabash revelou o trabalho em um grupo para nós, que não tinha sido feito antes. Mesmo o líder do Hassidismo, o Baal Shem Tov, não deixou um único livro sobre seus métodos.

Ao estudar a sabedoria da Cabalá, seguimos os métodos do Baal HaSulam, e usamos o método do Rabash para implementá-lo no trabalho em grupo. Se alguém não concorda com isso, sempre encontrará uma desculpa para acusações. Mas não há outros livros Cabalísticos que descrevam um método Cabalístico claro.

Em última análise, toda resistência à Cabalá é a favor dos Cabalistas e só prejudica os próprios acusadores. A crítica, publicada pelos criminosos, se transforma em outra forma de espalhar a Cabalá. Gradualmente, torna-se claro que os oponentes da Cabalá não têm idéia sobre ela e não estão em realização espiritual e, portanto, todas as suas acusações são exageradas.

Sua atitude não mudará, mas se tornará ainda mais difícil à medida que nos aproximamos do fim da correção. Isso é chamado de “guerra com Amaleque” quando espalhamos a lei do “ama ao próximo como a si mesmo”, que é ensinada pela sabedoria da Cabalá.

A Cabalá apela apenas para a unidade. Nós a implementamos através do trabalho prático em grupos de dez (dezenas), como Moisés fez uma vez. O método de unificação, que obtivemos dos Cabalistas, nos permite revelar a força superior entre nós. O homem existe neste mundo para esse propósito.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o tema: “A Resistência À Cabalá”

Comente