O Conceito De Deus Na Cabalá

226Pergunta do Facebook: O lugar central em todas as religiões é o conceito de Deus. O que significa Deus na Cabalá?

Resposta: Deus na Cabalá significa a força geral da natureza, à exceção dela, nada existe.

Em si, este é um conceito abstrato em relação a uma pessoa, e não podemos falar sobre algo que existe fora de nossa percepção. Ninguém nunca sentiu isso. Este estado do Criador, que não é relativo a nós quando essa força superior existe por si só, de forma alguma pode ser percebido por nós, e, portanto, essa força é chamada de Atzmuto, o que significa que Ele sozinho é Ele mesmo.

Tudo o que alcançamos e o que é possível para nós alcançar são as ações da força superior em relação a nós. A sabedoria da Cabalá trata de revelar essas ações em relação a uma pessoa.

Nós chamamos esta força superior de Criador porque Ele criou o homem, criou todas as qualidades em uma pessoa, dentro das quais sentimos o nosso mundo e podemos explorar através de nossos sentidos o próprio Criador, aquele que nos criou. Podemos explorar por que Ele nos criou com essas qualidades, com essas limitações ou, inversamente, com essas habilidades, e o que o Criador quer de nós.

Desenvolvendo-nos nessa direção, começamos a alcançá-Lo, ou seja, o Criador. Não Atzmuto, não Ele por si mesmo, mas exatamente o Criador em relação a nós. Dessa forma, exploramos Suas ações, como Ele criou nosso mundo e todos os outros mundos, que é um certo sistema de conexões entre Ele e nós. Tal sistema de conexões de graus progressivamente descendentes é chamado de mundos. Esse sistema nos afeta.

Estudando esses mundos, estudamos o Criador, estudamos a nós mesmos, entendemos em que estados estamos em conexão com Ele. E podemos mudar nosso comportamento e nossas ações de acordo com isso, a fim de elevar-nos a conexões mais altas, para estarmos conectados diretamente com o Criador, literalmente face a face.

Em outras palavras, podemos ver que tipo de reações nossas ações produzem Nele e, inversamente, que reações Suas ações produzem em nós. Podemos alcançar uma conexão de dois sentidos totalmente completa e aberta.

Quando começamos a alcançar essa oportunidade, para revelá-la e alcançá-la gradualmente, mudamos naturalmente nosso comportamento de acordo com o que revelamos, e entramos em uma fase completamente diferente do nosso desenvolvimento, onde começamos a mudar em equivalência com o Criador. Ao mesmo tempo, nosso mundo e nós mesmos somos mudados radicalmente e nosso estado torna-se cada vez mais confiável, conveniente, correto e verdadeiro.

Pergunta: Quem eu chamo de Deus se estudo Cabalá?

Resposta: Eu de chamo Deus a força geral da natureza. Ela é chamada Elokim, que em Gematria (o valor numérico da palavra) é igual a Teva (Natureza). A totalidade da natureza que eu revelo, tudo o que me afeta externamente, eu chamo de Criador, e tudo o que está dentro de mim, eu chamo de derivados do Criador.

Esse é o propósito do nosso trabalho, estudo e todos os tipos de ações: fazer uma semelhança absoluta entre nós e o Criador em desejos, intenções e ações e alcançar uma conexão completamente harmoniosa.

Assim como eu descubro que todas as qualidades do Criador são doação e amor, eu me elevo a essas qualidades. Tudo isso é percebido através dos sentimentos; afinal, uma pessoa é uma criatura sensorial. A mente é dada a ela a fim de controlar esses sentimentos e formá-los em semelhança com o Criador.

Nós somos criados apenas para isso. No entanto, a fim de chegar a essa decisão, conclusão e ação, temos que passar por uma fase muito longa do desenvolvimento histórico: inanimado, vegetativo, animado e falante.

Agora chegamos ao último estágio do desenvolvimento humano. Só precisamos revelar o Criador e nos tornar semelhantes a Ele. Então seremos chamados de “Homem” (Adam, que significa semelhante).

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 31/08/17

Comente